O que as redes sociais proíbem sobre
Covid-19

25 nov. 2021
Redação Aos Fatos

As maiores plataformas de redes sociais têm políticas para punir quem dissemina informações enganosas sobre a Covid-19

Em geral, É PROIBIDO:

Desacreditar medidas de prevenção, tratamentos ou outras precauções para mitigar ou tratar a doença...

Foto: Rafael Arbex / Estadão Conteúdo

... e incentivar o consumo de qualquer substância que não tenha sua eficácia comprovada

O YouTube é a única rede que proíbe especificamente menções à hidroxicloroquina e à ivermectina para tratar a Covid-19

O site afirma que conteúdos que violam suas diretrizes são removidos, e o canal, notificado

Ao acumular três avisos, o canal é encerrado

O Facebook proíbe postagens que possam causar danos ao sistema de saúde

A plataforma especifica algumas proibições, como publicar que as vacinas tornam as pessoas que as recebem magnéticas

As penalidades variam de acordo com a gravidade e vão de notificação até desativação do perfil

O Twitter afirma que o foco de suas regras está em "conteúdos que possam causar danos às pessoas"

A rede pode adicionar um rótulo de desinformação a postagens enganosas ou reduzir o seu alcance

Em casos graves, a plataforma exclui a publicação. A conta é encerrada quando há transgressões contínuas

Faça parte

Ajude-nos a espalhar mais informação
de qualidade.
Apoie o Aos Fatos