As expressões desinformativas de

2021

23 dez. 2021
Por Bianca Bortolon, Ethel Rudnitzki, João Barbosa e Milena Mangabeira

A desinformação possui um léxico próprio.

O mapeamento foi feito pela equipe do Radar, ferramenta do Aos Fatos que monitora conteúdos de baixa qualidade em sites e nas redes sociais

A seguir, revelamos termos comuns em mensagens desinformativas que circulam nas redes sociais

O uso de palavras inventadas é recorrente em textos desinformativos sobre a pandemia. Entre elas, estão:

fraudemia

plandemia

comunavírus

vachina

Neologismos

(FRAUDE + PANDEMIA)

(PLANO + EPIDEMIA)

(COMUNISMO + VÍRUS)

(VACINA + CHINA)

Postagens que contêm essas palavras apareceram mais de

34 mil vezes

no monitor do Radar neste ano — a mais comum foi

vachina

que apareceu em 18 mil mensagens

Letras, números e ícones

O endurecimento das redes sociais frente a conteúdos enganosos sobre a Covid-19 provocou adaptações na linguagem desinformativa

Alguns usuários passaram a trocar letras por números e ícones para driblar a moderação de conteúdo

v4c1n4

v@cin@

publicações de baixa qualidade detectadas pela ferramenta do Radar em 2021

Mensagens com os termos acima estiveram presentes em mais de

2.100

iv3rm3ctina

1vermect1na

5TF

A mesma estratégia foi usada em posts que atacavam o STF (Supremo Tribunal Federal)

aparecem em quase 3.000 publicações coletadas pelo monitor

$TF

ou

Ofensas e apelidos

Termos de natureza ofensiva e provocativa são característicos de conteúdos potencialmente enganosos.

Ministros do STF e políticos que fazem oposição a Bolsonaro foram alvo dessa estratégia desinformativa

Relator de inquéritos no STF que investigam bolsonaristas, o ministro Alexandre de Moraes foi chamado de "cabeça de ovo" e "advogado do PCC", que remete a falsa ligação do ministro com o crime organizado) em quase

de baixa qualidade detectadas pelo Radar em 2021

mensagens

700

Já o atual presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, foi tratado como "Boca de Veludo" e "Borroso" em cerca de

publicações

900

Ataques semelhantes ocorreram com senadores que lideraram a CPI da Covid-19, além de governadores críticos a Bolsonaro durante a pandemia

Presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM) foi chamado de "Omar Azia" em

1.535

e o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), de “Canalheiros” em

publicações,

mensagens

3.480

Já o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), apareceu em

coletadas pela plataforma sendo chamado de "calça apertada", "calcinha apertada" e "ditadória"

mensagens

5.789

Saiba como ajudar

Apoie o Aos Fatos