Por Marco Faustino

Foto: Michal Jarmoluk /Pixabay

XX jun. 2022

Como funciona o golpe da lipozepina, falso emagrecedor vendido online
A lipozepina se apresenta como um suplemento alimentar natural que promete perda de peso rápida
Entidades médicas alertam que não há evidência da eficácia e segurança do produto, que não é autorizado no país
Mesmo assim, o produto segue à venda em grandes plataformas de e-commerce
Há ainda um site próprio que promete uma amostra grátis do produto mas que, na verdade, cobra frete e uma “assinatura mensal”, sem o devido aviso
Perfis e páginas falsas foram criados para convencer consumidores a adquirirem a lipozepina
Essa rede de desinformação se divide em duas operações
Uma dissemina sites enganosos e outra simula usuários reais que
teriam perdido peso com os suplementos
Os sites enganosos apresentam falas inventadas ou tiradas de contexto de celebridades, como Alcione e Preta Gil, e simulam o design de portais de notícia

Esses sites levam o consumidor para o link do golpe da amostra grátis
Os perfis falsos roubam imagens de influenciadoras pouco conhecidas no Brasil
Um perfil que se passa por uma moradora de Itaperuna (RJ), por exemplo, usa fotos da modelo americana Caroline Zalog
Os produtos vendidos nos anúncios enganosos são produzidos pela Guki Nutracêutica
A empresa produz um outro falso emagrecedor que consta na lista de produtos proibidos pela Anvisa

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em abril, a agência determinou o recolhimento de todos os produtos fabricados pela empresa, além de proibir a comercialização e propaganda
A medida foi motivada pelo descumprimento das regras de boas práticas de fabricação pela Guki Nutracêutica

Foto: Steve Buissinne/Pixabay

Emagrecedores precisam obrigatoriamente de autorização da Anvisa para serem comercializados
E só podem ser vendidos em farmácias ou drogarias, pois são considerados medicamentos
Ajude-nos a combater golpes na internet
Apoie o Aos Fatos