Poster do agregador

08.ago.2022

“Um partido pequeno, sete segundos de televisão, sem fundo partidário.”

Ao ser questionado sobre como chegou ao cargo de presidente, Bolsonaro engana ao dizer que não teve recursos de fundo partidário para a campanha de 2018. Partido pelo qual o presidente concorreu na última eleição, o PSL recebeu R$ 9.203.060,51 de Fundo Especial de Financiamento de Campanha, de acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Cerca de R$ 480 mil desse montante foram utilizados para executar a estratégia de atuação do PSL nas redes sociais, o que beneficiou Bolsonaro indiretamente. Além disso, foram empregados na campanha presidencial de Bolsonaro, indiretamente, cerca de R$ 1 milhão do fundo partidário concedido ao PSL em 2018. Segundo reportagem do jornal O Globo, o então presidente da legenda, Gustavo Bebianno, contratou, por exemplo, a empresa J&J Marketing por R$ 500 mil para atuar como consultora na coordenação de campanha do então pré-candidato. Também é falso que o presidente não teve direito a tempo de televisão na campanha. Ainda que no primeiro turno tenha tido direito a apenas oito segundos de tempo de propaganda, no segundo, Bolsonaro teve os mesmos dez minutos de seu adversário, Fernando Haddad (PT), conforme determina a Lei Eleitoral. Com variações sobre as frases, o presidente repetiu essa alegação ao menos 12 vezes desde o início do seu mandato.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 5 VEZES. Em 2019: 21.nov. Em 2021: 25.out, 09.nov, 25.nov. Em 2022: 08.ago.

Tema: Eleições. Origem: Entrevista

Em 1.407 dias como presidente, Bolsonaro deu 6.673 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 08 de Novembro, 2022


Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

05.ago.2019

“Você pega as provas do Pisa, em média, a qualidade só cai.”

A declaração de Bolsonaro é IMPRECISA. As notas brasileiras na prova do Pisa (Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes) tiveram aumento ao longo dos anos. No ranking dos países que fizeram a prova, o Brasil manteve-se entre os piores desempenhos em todas as matérias. Não é possível, no entanto, comparar a posição no ranking ao longo dos anos, porque houve aumento no número de países participantes a cada nova edição da prova. Em 2006, quando o Pisa analisou 57 países, o Brasil ficou na 53ª posição em matemática, com 370 pontos; na 49ª em leitura, com 393 pontos; e na 52ª posição em ciências, com 390 pontos. Na edição seguinte, em 2009, a avaliação passou a contar com 65 países e o Brasil ficou em 57° lugar em matemática, com 386 pontos; 53° em leitura, com 412 pontos; e 53° em ciências, com 405 pontos. Em 2012, ainda com 65 países avaliados, o Brasil ficou na 58ª posição em matemática, com 389 pontos; 55ª em leitura, com 407 pontos; e 59ª em ciências, com 402 pontos. Por fim, em 2015, considerando os 70 países avaliados, o Brasil ficou em 66º em matemática, com 377 pontos; 59º em leitura, com 407 pontos; e 63º em ciências, com 401.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

Tema: Educação. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“O PT dobrou os recursos com a educação e a qualidade caiu.”

São FALSAS as informações sobre investimentos em educação e qualidade do ensino durante os governos petistas. Diferentemente do que diz Bolsonaro, os investimentos mais do que triplicaram entre 2002 e 2015, e a qualidade da educação melhorou. Em 2002, antes do primeiro mandato de Lula, o país investiu R$ 35,7 bilhões em educação (valor ajustado à inflação). Em 2015, último ano inteiro do governo de Dilma Rousseff, foram investidos R$ 115,3 bilhões. Com relação à qualidade do ensino, dados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) revelam melhorias no desempenho dos estudantes entre 2005 (primeiro ano da avaliação) e 2015. Neste período, o indicador subiu de 3,8 para 5,5, nos anos iniciais de ensino; e de 3,5 para 4,5, nos anos finais. Ainda que tímido, houve também avanço no ensino médio: de 3,4, para 3,7 no período.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 05.ago.

Tema: Educação. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“61% do território brasileiro, que é tudo área de preservação.”

A declaração de Bolsonaro é IMPRECISA. Segundo estudo da Embrapa Territorial, a área total destinada à preservação, manutenção e proteção da vegetação nativa no Brasil ocupa 66,3% do território, valor acima do mencionado pelo presidente. Nesse número, estão os espaços preservados pelo segmento rural, as unidades de conservação integral, as terras indígenas e as terras devolutas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2019: 05.ago, 24.set, 26.set.

Tema: Meio ambiente. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“O governo do PT dobrou o orçamento da educação e a qualidade caiu.”

Diferentemente do que afirma Bolsonaro, os investimentos em educação mais do que triplicaram durante os governos petistas. Em 2002, antes do primeiro mandato de Lula, o país investiu R$ 35,7 bilhões em educação (valor ajustado à inflação). Em 2015, último ano completo do governo de Dilma Rousseff, foram investidos R$ 115,3 bilhões. O incentivo foi acompanhado por um aumento na qualidade da educação: dados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) mostram que o desempenho de estudantes aumentou entre 2005 (primeiro ano da avaliação) e 2015. Neste período, o indicador subiu de 3,8 para 5,5, nos anos iniciais de ensino; e de 3,5 para 4,5, nos anos finais. Ainda que tímido, houve também avanço no ensino médio: de 3,4, para 3,7 no período. A declaração é, portanto, FALSA.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 05.ago.

Tema: Educação. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“Lá [em Cuba] não tem internet.”

A afirmação de Bolsonaro é FALSA. Cuba autorizou o uso de internet nas casas e abriu cerca de 1.200 pontos de conexão Wi-Fi públicos em 2017. No final de 2018, o país também instalou o serviço de internet móvel. A internet cubana é monopolizada pela estatal Etecsa.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2019: 05.ago. Em 2021: 12.jul. Em 2022: 26.jun.

Tema: Economia, Ideologia. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“Só médico brasileiro [No programa Médicos pelo Brasil]. Não tem cubano aqui não.”

A declaração de Bolsonaro é FALSA. O programa Médicos pelo Brasil, lançado pelo governo no dia 1º de agosto de 2019 para substituir o programa Mais Médicos, não impede a participação de estrangeiros. Isso porque, pelas normas do programa, os médicos precisam ter registro no CRM (Conselho Regional de Medicina) para se inscrever nos editais. Isso é possível tanto para estrangeiros formados em medicina no Brasil quanto para estrangeiros que passem pelo processo de revalidação do diploma.

FONTE ORIGEM

Tema: Ideologia, Saúde. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“O que eu falei pro Onyx, eu não chamei eles de “paraíba”. E se fosse, qual o problema? Eu falei o da Paraíba, e depois o governador do Maranhão.”

Bolsonaro se refere a uma frase captada de uma conversa entre ele e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante um café da manhã realizado com jornalistas estrangeiros no Planalto em 19 de julho. No vídeo, é possível escutar Bolsonaro dizer que "Dentre aqueles governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão". A declaração do presidente que nega ter chamado nordestinos de paraíba, termo usado no Rio de Janeiro para se referir pejorativamente aos nordestinos, é, portanto, FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 21.jul, 05.ago.

Tema: Preconceitos. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“Os Estados Unidos é cinco, quatro vezes menos violento do que nós.”

De acordo com o Global Peace Index 2019, que estabelece um ranking de ausência de violência em países a partir de indicadores como relações com os países vizinhos, instabilidade política, índice de homicídios, população encarcerada e gastos com militarização, o Brasil é menos violento do que os Estados Unidos. Apesar de ter ocupado uma posição baixa no ranking, a 116ª, com uma pontuação de 2,271 em uma métrica que vai de 1 a 5, o Brasil ficou 12 posições acima dos EUA, que, com 2.401 pontos, conseguiram o 128º lugar. A declaração de Bolsonaro é, portanto, FALSA.

FONTE ORIGEM

Tema: Relações internacionais, Segurança. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“Faltou uma arma na mão de alguém para abater o bandido de rua [no caso do morador de rua que desferiu facadas no Rio de Janeiro].”

A declaração de Bolsonaro é FALSA. O presidente se refere ao crime cometido pelo morador de rua Plácido de Moura, que esfaqueou três pessoas, causando duas mortes, no dia 28 de julho, no Rio de Janeiro. Depois que Plácido esfaqueou o engenheiro João Feliz Napoli, que morreu em função da facada, e sua namorada, a bióloga Caroline Moutinho, policiais armados de três batalhões militares diferentes tentaram impedir a continuidade do ataque. Ainda assim, ele esfaqueou o personal trainer Marcelo Reis, que também morreu. PMs do BPTur (Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas), do 19º BPM (Copacabana) e do 23º BPM (Leblon) fizeram cerco ao criminoso e chegaram a balear Plácido. Os disparos feitos pelos policiais do BPTur também atingiram um soldado do 19º BPM e um casal de bombeiros que socorria uma das vítimas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 29.jul, 05.ago.

Tema: Segurança. Origem: Entrevista

05.ago.2019

“De 65 países, estamos em 61º lugar em todos os requisitos [no Pisa].”

Se considerarmos os dados do último Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), que teve suas provas aplicadas em 2015 para alunos de 70 países, percebemos que o Brasil não ocupa a 61ª posição em todos os quesitos. Em Leitura, o país está na 59ª posição; em Matemática, 66ª; e, por fim, em Ciências, na 63ª. Se levarmos em consideração os dados da edição anterior, de 2012, da qual participaram 65 países, pode-se verificar que o Brasil conquistou a 55ª posição em Leitura, a 58ª em Matemática e a 59ª em Ciências. A declaração de Bolsonaro é, portanto, FALSA.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

Tema: Educação. Origem: Entrevista

04.ago.2019

“Tem petróleo em Israel? Zero.”

A informação é FALSA, porque, apesar de a maior parte do petróleo consumido em Israel ser importada, o país tinha, em janeiro de 2016, uma reserva estimada de 14 milhões de barris de petróleo em seu território e nas regiões ocupadas na Síria, segundo dado da EIA (Administração de Informação de Energia dos EUA, na sigla em inglês). Parte da reserva de petróleo israelense está situada no Mar Morto, e parte descoberta em 2015 está nas Colinas de Golã.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 18 VEZES. Em 2019: 23.mar, 11.abr, 11.jun, 04.ago, 05.set. Em 2020: 14.mai, 23.mai. Em 2021: 01.mar, 24.ago, 31.ago, 05.out, 09.out, 14.out, 09.nov, 25.nov, 16.dez. Em 2022: 04.fev, 09.ago.

Tema: Relações internacionais. Origem: Discurso

01.ago.2019

“Até eu costumo dizer, se esses números todos fossem verdadeiros a Amazônia já teria sido devastada três vezes, ao longo dos últimos 20 anos.”

Ao comentar a pegunta de um repórter sobre a capa da revista The Economist sobre aumento no desmatamento na Amazônia, Bolsonaro criticou os dados sobre o tema sem especificar a qual dado estaria direcionando as críticas. O Prodes, projeto do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) que compila dados anuais de desmatamento tem a maior série histórica disponível do tema. De acordo com o Prodes foram devastados, entre 1998 e 2018, 436.400 km² da Floresta Amazônica, área pouco maior do que o Paraguai (406 mil km²). A área total da floresta, no entanto, é bem maior: são 5,02 milhões de km², segundo o IBGE. A declaração de Bolsonaro, portanto, é FALSA.

FONTE ORIGEM

Tema: Meio ambiente. Origem: Entrevista

01.ago.2019

“A gente cresce, o mundo cresce 70 milhões de habitantes por ano. ”

A população mundial aumentou, em média, em 83,9 milhões de pessoas por ano de 2014 a 2018, segundo estimativas do World Population Prospects, da ONU.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 18 VEZES. Em 2019: 16.mai, 27.jul, 01.ago, 10.dez, 12.dez. Em 2020: 15.jun, 18.jun, 22.jun, 06.nov, 25.nov. Em 2021: 28.jan, 09.set, 09.out, 11.nov. Em 2022: 17.mar, 13.abr, 22.out.

Tema: Outros. Origem: Entrevista

01.ago.2019

“Pela primeira vez na história do Brasil, um presidente escolheu uma equipe de ministros técnicos, patriotas e comprometidos com as questões da sua pasta.”

Repetida de forma rotineira por Bolsonaro, a declaração é FALSA. Apesar de não ter recorrido a alianças com partidos no Congresso, a montagem do ministério de Bolsonaro seguiu, sim, critérios políticos na escolha de nomes, inclusive dos considerados "técnicos". Ao preterir as lideranças partidárias nas indicações, o presidente ampliou a influência de outros grupos de interesse, como as bancadas que representam ruralistas e evangélicos e os militares. Um exemplo foi a nomeação de Tereza Cristina (DEM) para a pasta da Agricultura. Engenheira agrônoma, ela se cacifou junto ao presidente para o cargo ainda nas eleições, quando a Frente Parlamentar para a Agricultura, da qual era a chefe, manifestou apoio a Bolsonaro. A bancada ruralista também pressionou pela indicação de Ricardo Salles ao Ministério do Meio Ambiente, que teve apoio de entidades ligadas ao setor, além do ramo da construção civil A bancada evangélica emplacou não só Damares Alves, que é pastora, no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, como conseguiu barrar a indicação do educador Mozart Neves Ramos para o Ministério da Educação. Os parlamentares da frente também avalizaram a escolha do professor Ricardo Veléz para o MEC. Já poder de barganha dos militares no atual governo fica evidente ao observarmos que integrantes das Forças Armadas ocupam hoje sete dos 22 ministérios, além de cargos-chave no segundo escalão.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 72 VEZES. Em 2019: 01.jan, 02.jan, 22.jan, 07.mar, 23.mar, 02.abr, 05.mai, 11.jun, 30.jun, 01.ago, 25.out, 30.out, 27.nov, 02.dez. Em 2020: 01.jan, 03.jan, 04.jan, 16.jan, 10.mar, 05.abr, 08.jul, 29.ago, 24.set, 08.out, 15.out, 16.out, 22.out, 06.nov, 29.nov, 15.dez. Em 2021: 07.abr, 26.abr, 14.mai, 12.jun, 01.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 31.jul, 14.ago, 02.set, 05.set, 14.out, 27.out. Em 2022: 06.jan, 14.jan, 11.fev, 16.mar, 18.mar, 13.abr, 25.abr, 26.abr, 12.mai, 25.jul, 26.jul, 30.jul, 14.ago, 19.ago, 22.ago, 23.ago, 28.ago, 13.set, 29.set, 04.out, 14.out, 20.out, 27.out.

Tema: Equipe de governo. Origem: Discurso

29.jul.2019

“Eles [a Ação Popular] resolveram sumir com o pai do [presidente da OAB, Felipe] Santa Cruz. (...) Não foram os militares que mataram ele, não.”

É falso que Fernando Augusto de Santa Cruz, pai do atual presidente da OAB, foi assassinado por membros da APML (Ação Popular Marxista-Leninista). Fernando desapareceu em fevereiro de 1974 e, segundo documentos da CNV (Comissão Nacional da Verdade), foi preso pelo CISA - Centro de Informações da Aeronáutica, enquanto articulava a sua fuga para a Argentina com outros dois membros da APML. Em depoimento à CNV, o ex-delegado Cláudio Guerra cita que o corpo de Fernando Santa Cruz foi incinerado com outros na Usina de Cambahyba, em Campo de Goytacazes, Rio de Janeiro. A CNV, com base em documentos da Aeronáutica, concluiu que Santa Cruz foi preso, torturado e morto. Além disso, a Comissão de Mortos e Desaparecidos do Ministério dos Direitos Humanos emitiu, na semana passada, o atestado de óbito de Fernando. O documento afirma que ele “faleceu provavelmente no dia 23 de fevereiro de 1974, no Rio de Janeiro/RJ, em razão de morte não natural, violenta, causada pelo Estado brasileiro, no contexto da perseguição sistemática e generalizada à população identificada como opositora política ao regime ditatorial de 1964 a 1985".

FONTE ORIGEM

Tema: Ditadura. Origem: Live

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.