Poster do agregador

24.jun.2022

“E diferente do Bolsa Família, lá atrás com o Bolsa Família, quem fosse trabalhar perdia o Bolsa Família. Com o Auxílio Brasil pode trabalhar que não vai perder o Auxílio Brasil.”

É falso que beneficiários do Bolsa Família que entrassem para o mercado formal perdessem o direito ao auxílio. Segundo explica o próprio Ministério da Cidadania em sua página oficial, o principal critério para a participação no programa era a renda familiar, que não poderia exceder R$ 89 mensais por pessoa ou entre R$ 89 e R$ 178 em caso de famílias com crianças entre 0 e 17 anos. A família só perdia o direito ao benefício caso sua renda com o novo emprego formal excedesse o total estipulado pelo programa. Nesse caso, os beneficiários ainda eram incluídos na regra de permanência, em que recebiam o auxílio por mais dois anos caso seus rendimentos não ultrapassassem meio salário mínimo. No caso do Auxílio Brasil, têm direito os que recebem até R$ 210 por pessoa, independentemente de estarem integrados ou não ao mercado formal. Caso o beneficiário seja contratado com carteira assinada enquanto integra o programa, ele tem direito a um bônus de R$ 200 por dois anos.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 16 VEZES. Em 2022: 19.mai, 05.jun, 24.jun, 28.jun, 13.ago, 28.ago, 13.set, 14.set, 29.set, 05.out, 07.out, 14.out, 15.out, 28.out.

Tema: Direitos e Assistência Social. Origem: Discurso

Em 1.459 dias como presidente, Bolsonaro deu 6.685 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 30 de Dezembro, 2022


Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

20.jun.2019

“Os estados que têm menos clube de tiro, têm menos porte e posse de arma de fogo é o estado mais violento.”

Os dados sobre clubes e estandes de tiro do Brasil não estão disponíveis para consulta. Aos Fatos solicitou os dados para o Centro de Comunicação do Exército, mas não obteve retorno. A declaração permanece INSUSTENTÁVEL enquanto não houver resposta.

FONTE ORIGEM

Tema: Segurança. Origem: Live

20.jun.2019

“Você olha o Estado de Santa Catarina, por exemplo, é o Estado que tem mais clube de tiro e não por coincidência é o Estado menos violento do Brasil.”

Como não existem dados públicos disponíveis sobre o número de estandes e clubes de tiro no país, não é possível fazer a relação citada por Bolsonaro. No entanto, é FALSO que Santa Catarina é o estado menos violento do país. De acordo com o último Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que trouxe dados de 2017, é São Paulo o estado com a menor taxa de mortes violentas (10,7 para cada cem mil habitantes). Santa Catarina vem logo depois, com 16,5 mortes para cada cem mil. O Monitor de Violência do G1, que traz dados mais atualizados, também desmente a fala de Bolsonaro: em todos os quatro primeiros meses de 2019, a taxa de homicídios em SP foi menor que a de SC. Em abril, por exemplo, São Paulo registrou taxa de 0,63 para cada 100 mil habitantes, enquanto Santa Catarina fechou o mês com uma taxa de 0,84.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 6 VEZES. Em 2019: 20.jun, 17.out. Em 2020: 02.jan. Em 2021: 07.jul, 21.out, 30.dez.

Tema: Segurança. Origem: Live

19.jun.2019

“O índio é um ser igual eu e você. Quando ele se apresenta a nós, ele quer televisão, quer internet, quer futebol, quer ir para o cinema, ele quer fazer o que nós fazemos, quer um médico, quer um dentista, é isso que nós queremos para o índio, é integrá-lo à sociedade.”

Bolsonaro faz uma generalização ao afirmar que toda a população indígena quer se integrar aos não índios. De acordo com a ONG Survivor Brasil, que defende os direitos dos índios, ao menos cem povos vivem de maneira isolada apenas na região amazônica. A decisão de isolamento decorre de violentos encontros anteriores e de ameaças de destruição da terra por não índios. A declaração, portanto, é FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 17 VEZES. Em 2019: 18.abr, 19.jun, 28.jun, 30.ago, 19.set, 07.nov, 27.nov. Em 2021: 24.abr, 29.abr, 24.jun, 12.ago. Em 2022: 11.mar, 12.mar, 24.mar, 26.abr, 30.mai.

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Entrevista

19.jun.2019

“Reserva yanomami. Duas vezes o tamanho do Rio de Janeiro para 9 mil índios.”

Bolsonaro subestima a população do território Yanomami, o que torna a declaração FALSA. Segundo dados da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), a etnia tinha cerca de 25 mil representantes em 2017. A informação sobre a extensão do território, no entanto, está correta: a área ocupada pela reserva tem cerca de 96 mil km², mais que o dobro do estado do Rio de Janeiro, que tem 43 mil km².

FONTE ORIGEM

REPETIDA 4 VEZES. Em 2019: 18.abr, 19.jun, 28.jun. Em 2020: 23.mai.

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Entrevista

18.jun.2019

“Queremos pelo lado de cá dar o direito à legítima defesa que foi decidido em 2005.”

Bolsonaro faz referência ao plebiscito realizado em outubro de 2005, previsto no texto do Estatuto do Desarmamento (lei nº 10.826/2003). Naquele ano, os eleitores foram questionados sobre o artigo 35 do estatuto, que proibia “a comercialização de arma de fogo e munição em todo o território nacional”, salvo exceções previstas em lei, como agentes de segurança. A proibição do comércio foi rejeitada por 63,94% dos votantes. Com esse resultado, foi revogado o artigo que vedava a venda de armas de fogo e munição. A declaração de Bolsonaro é FALSA, porque o referendo não previa nenhuma decisão sobre direito de legítima defesa ou porte e posse de armas de fogo por cidadãos.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 4 VEZES. Em 2019: 01.jan, 08.mai, 18.jun. Em 2021: 13.fev.

Tema: Segurança. Origem: Entrevista

15.jun.2019

“[As Forças Armadas brasileiras] em nenhum momento de sua história se furtou de estar ao lado de seu povo para lutar por democracia e liberdade.”

Desde o golpe militar que levou à proclamação da República em 1889, as Forças Armadas têm, com mais ou menos força, influência no processo político brasileiro. Diferentemente do que afirma Bolsonaro, nem sempre as Forças Armadas defenderam a democracia. Em 1964, o marechal Humberto Castelo Branco assumiu a Presidência por eleição indireta com compromisso de convocar nova eleição presidencial em 1965. Castelo Branco não só não convocou as eleições como cassou políticos opositores e funcionários públicos, determinou que as eleições fossem indiretas, criando a oportunidade da instituição de um período de ditadura militar no país. Vale lembrar que as Forças Armadas não são homogêneas e em vários momentos da história nacional houve divergência entre setores militares legalistas e golpistas. Além disso, os militares tiveram atuações em favor da manutenção democrática, quando, em 1956, por exemplo, o general Henrique Lott atuou para garantir a posse do presidente eleito Juscelino Kubitschek, em um período de conspirações golpistas após o suicídio de Getúlio Vargas.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 10 VEZES. Em 2019: 07.mar, 27.mar, 08.abr, 15.jun, 23.nov. Em 2020: 15.jun, 13.nov. Em 2021: 15.jan.

Tema: Forças Armadas. Origem: Discurso

13.jun.2019

“Esse foi um compromisso, não de campanha meu, mas de fazer cumprir o referendo de 2005 quando o povo decidiu pelas armas.”

Bolsonaro, mais uma vez, distorce o objetivo do plebiscito realizado em outubro de 2005 que estava previsto no próprio texto do Estatuto do Desarmamento. Naquele ano, os eleitores foram questionados sobre o artigo 35 do estatuto, que proibia “a comercialização de arma de fogo e munição em todo o território nacional”, salvo exceções previstas em lei, como agentes de segurança. A declaração de Bolsonaro, portanto, é FALSA, porque, no referendo, não houve decisão sobre regras de porte de arma, por exemplo. A proibição do comércio foi rejeitada por 63,94% dos votantes no plebiscito de 2005. Com esse resultado, foi revogado o artigo que vedava a venda de armas de fogo e munição.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

Tema: Segurança. Origem: Discurso

13.jun.2019

“Vale do Ribeira, região mais pobre de São Paulo.”

De acordo com dados do IBGE de 2016, últimos disponíveis, somente 2 das 15 cidades do Vale do Ribeira estão entre as 20 que têm os menores PIB per capita. Por conta disso, a declaração é IMPRECISA.

FONTE ORIGEM

Tema: Economia. Origem: Discurso

12.jun.2019

“O advogado de Adélio Bispo diz que o mandante do atentado contra Jair Bolsonaro é quem paga seus honorários.”

O comentário de Jair Bolsonaro, que acompanha um vídeo da Direita Minas feito com Zanone de Oliveira Júnior, advogado de Adélio, distorce informações. Em nenhum momento, o advogado diz que quem paga seus honorários é o mandante do atentado contra o presidente e, por isso, a declaração foi considerada FALSA. No vídeo, ao ser questionado sobre quem teria interesse em “esconder quem mandou matar Bolsonaro”, Zanone responde: "a pessoa que me pagou". Em nenhum momento, no entanto, o advogado diz que quem paga seus honorários é o mandante. Aos Fatos entrou em contato com a Zanone Associados, que afirmou que tanto o comentário de Bolsonaro quanto o vídeo da Direita Minas distorcem as informações. Em resposta à publicação do presidente em seu Instagram, Zanone disse que "as imagens foram editadas e minha fala deturpada, o que resultou neste grande sensacionalismo em torno" e que "apenas disse que, segundo Adélio, quem ordenou o covarde ataque contra o senhor foi 'Deus; e que a pessoa que me contratou tinha interesse em manter segredo sobre quem ordenou matá-lo, leia-se: 'Deus'.

FONTE ORIGEM

Tema: Atentado. Origem: Twitter

11.jun.2019

“Só nós temos [nióbio]”

A informação é FALSA. O Brasil detém 98% das reservas de nióbio do mundo e é responsável por 90% de toda a sua comercialização, segundo dados do Serviço Geológico do Brasil. Os outros países que possuem reservas do minério são Canadá, Egito e Congo.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 8 VEZES. Em 2019: 16.mai, 11.jun, 19.jul, 05.set. Em 2020: 15.jan. Em 2021: 21.jan, 24.dez.

Tema: Economia. Origem: Discurso

11.jun.2019

“Israel. O que eles têm lá? Areia, não têm petróleo, quase não têm nada.”

É FALSO que Israel não possui petróleo. Segundo a EIA (Administração de Informação de Energia dos EUA, na sigla em inglês), o país tinha uma reserva estimada de 14 milhões de barris de petróleo em seu território e nas regiões ocupadas na Síria em janeiro de 2016. Parte da reserva de petróleo israelense está situada no Mar Morto, e parte descoberta em 2015 está na Colinas de Golã. É fato, no entanto, que o país importa a maior parte do petróleo que consome.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 18 VEZES. Em 2019: 23.mar, 11.abr, 11.jun, 04.ago, 05.set. Em 2020: 14.mai, 23.mai. Em 2021: 01.mar, 24.ago, 31.ago, 05.out, 09.out, 14.out, 09.nov, 25.nov, 16.dez. Em 2022: 04.fev, 09.ago.

Tema: Economia, Relações internacionais. Origem: Discurso

11.jun.2019

“Tenho uma recordação apenas de uma multa [na baía de Angra], no mesmo horário e dia que eu tinha apertado o dedo de votação em Brasília.”

A declaração é FALSA. Em 25 de janeiro de 2012, Bolsonaro foi autuado por um fiscal do Ibama por pesca ilegal na Estação Ecológica de Tamoios, em Angra dos Reis (RJ). No momento da aplicação da multa, o funcionário do órgão ambiental tirou uma foto do então deputado federal para comprovar a sua presença em local proibido. No dia em que a conduta foi flagrada, em 25 de janeiro, a Câmara estava em recesso parlamentar.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 23 VEZES. Em 2019: 11.jun, 30.ago, 31.out, 23.nov, 26.nov, 19.dez, 20.dez. Em 2020: 06.fev, 20.fev, 05.mai, 22.mai, 13.ago, 10.nov. Em 2021: 02.mar, 15.jun, 05.ago, 22.nov, 25.nov. Em 2022: 19.jan, 23.ago.

Tema: Congresso, Meio ambiente. Origem: Discurso

11.jun.2019

“Então, a escolha dos ministros, pelo critério técnico, sem o critério político, nos faz um governo diferente”

Apesar de não ter recorrido a alianças com partidos no Congresso, a montagem do ministério de Bolsonaro seguiu, sim, critérios políticos na escolha de nomes, inclusive dos considerados "técnicos". Ao preterir as lideranças partidárias nas indicações, o presidente ampliou a influência de outros grupos de interesse, como as bancadas que representam ruralistas e evangélicos e os militares. Um exemplo foi a nomeação de Tereza Cristina (DEM) para a pasta da Agricultura. Engenheira agrônoma, ela se cacifou junto ao presidente para o cargo ainda nas eleições, quando a Frente Parlamentar para a Agricultura, da qual era a chefe, manifestou apoio a Bolsonaro. A bancada ruralista também pressionou pela indicação de Ricardo Salles ao Ministério do Meio Ambiente, que teve apoio de entidades ligadas ao setor, além do ramo da construção civil A bancada evangélica emplacou não só Damares Alves, que é pastora, no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, como conseguiu barrar a indicação do educador Mozart Neves Ramos para o Ministério da Educação. Os parlamentares da frente também avalizaram a escolha do professor Ricardo Veléz para o MEC. Já poder de barganha dos militares no atual governo fica evidente ao observarmos que integrantes das Forças Armadas ocupam hoje sete dos 22 ministérios, além de cargos-chave no segundo escalão. Mais uma vez, portanto, Bolsonaro faz essa declaração FALSA.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 73 VEZES. Em 2019: 01.jan, 02.jan, 22.jan, 07.mar, 23.mar, 02.abr, 05.mai, 11.jun, 30.jun, 01.ago, 25.out, 30.out, 27.nov, 02.dez. Em 2020: 01.jan, 03.jan, 04.jan, 16.jan, 10.mar, 05.abr, 08.jul, 29.ago, 24.set, 08.out, 15.out, 16.out, 22.out, 06.nov, 29.nov, 15.dez. Em 2021: 07.abr, 26.abr, 14.mai, 12.jun, 01.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 31.jul, 14.ago, 02.set, 05.set, 14.out, 27.out. Em 2022: 06.jan, 14.jan, 11.fev, 16.mar, 18.mar, 13.abr, 25.abr, 26.abr, 12.mai, 25.jul, 26.jul, 30.jul, 14.ago, 19.ago, 22.ago, 23.ago, 28.ago, 13.set, 29.set, 04.out, 14.out, 20.out, 27.out, 30.dez.

Tema: Equipe de governo. Origem: Discurso

11.jun.2019

“E o mais importante, como fiz com todos os outros 21 ministros: carta branca, 100% de autoridade para compor o seu ministério”

Pelo menos em dois momentos o presidente barrou nomeações feitas por seus ministros. A primeira ocorreu em fevereiro de 2019, quando Bolsonaro pressionou o ministro Sergio Moro para que ele revogasse a nomeação de Ilona Szabó para a suplência do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. Segundo a Folha de S.Paulo, apoiadores do presidente nas redes sociais criticaram a escolha, e Bolsonaro pressionou Moro a voltar atrás. O outro caso ocorreu no MEC em março, quando o presidente impôs a demissão do então diretor de Programas da Secretaria-Executiva do MEC (Ministério da Educação), Ricardo Wagner Roquetti. A ordem foi motivada por pressão de uma ala do governo que acusou o diretor de ser responsável pela crise causada pelo pedido do MEC para que crianças fossem filmadas em escolas cantando o hino nacional e repetindo o slogan de campanha de Bolsonaro. A declaração, portanto, é FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 11.jun, 07.nov.

Tema: Equipe de governo. Origem: Discurso

07.jun.2019

“Então, não existe no momento, até o momento, nenhuma punição pecuniária ou pontuação na carteira para quem não usa cadeirinha.”

Segundo a resolução nº 227/2008 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), "menores de dez anos deverão ser transportados nos bancos traseiros usando individualmente cinto de segurança ou sistema de retenção equivalente", como berços-portáteis ou cadeirinhas auxiliares. A mesma resolução determina ainda que o não cumprimento dessas regras sujeita os infratores às penalidades previstas pelo artigo 168 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro): infração gravíssima com multa e retenção do veículo. A declaração de Bolsonaro, portanto, é FALSA. Vale ressaltar que o projeto de lei 3.267/2019, enviado pelo governo ao Congresso, determina que a violação "será punida apenas com advertência por escrito", mas a retirada de pontos da carteira permanece.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2019: 07.jun, 30.ago, 04.dez.

Tema: Justiça. Origem: Entrevista

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.