Poster do agregador

24.jun.2022

“E diferente do Bolsa Família, lá atrás com o Bolsa Família, quem fosse trabalhar perdia o Bolsa Família. Com o Auxílio Brasil pode trabalhar que não vai perder o Auxílio Brasil.”

É falso que beneficiários do Bolsa Família que entrassem para o mercado formal perdessem o direito ao auxílio. Segundo explica o próprio Ministério da Cidadania em sua página oficial, o principal critério para a participação no programa era a renda familiar, que não poderia exceder R$ 89 mensais por pessoa ou entre R$ 89 e R$ 178 em caso de famílias com crianças entre 0 e 17 anos. A família só perdia o direito ao benefício caso sua renda com o novo emprego formal excedesse o total estipulado pelo programa. Nesse caso, os beneficiários ainda eram incluídos na regra de permanência, em que recebiam o auxílio por mais dois anos caso seus rendimentos não ultrapassassem meio salário mínimo. No caso do Auxílio Brasil, têm direito os que recebem até R$ 210 por pessoa, independentemente de estarem integrados ou não ao mercado formal. Caso o beneficiário seja contratado com carteira assinada enquanto integra o programa, ele tem direito a um bônus de R$ 200 por dois anos.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 16 VEZES. Em 2022: 19.mai, 05.jun, 24.jun, 28.jun, 13.ago, 28.ago, 13.set, 14.set, 29.set, 05.out, 07.out, 14.out, 15.out, 28.out.

Tema: Direitos e Assistência Social. Origem: Discurso

Em 1.459 dias como presidente, Bolsonaro deu 6.685 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 30 de Dezembro, 2022


Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

16.out.2019

“Não justifica [falar] que eu tô tumultuando a relação com o partido [PSL], que eu to dividindo o partido, não justifica. Eu to calado e vou continuar calado sobre esse assunto.”

A declaração de Bolsonaro é FALSA, porque foi uma fala do presidente que desencadeou a mais recente crise do PSL. Em 8 de outubro, Bolsonaro disse a um apoiador para "esquecer" o PSL e pediu para não ter o nome divulgado junto com o do presidente do partido, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), pois ele estaria "queimado para caramba". No dia seguinte a essas declarações, Bivar disse em entrevista ao Estado de S. Paulo que a fala de Bolsonaro foi "terminal" e que o presidente estava "afastado" do partido. Em 9 de outubro, em entrevista a O Antagonista, Bolsonaro afirmou que não pretendia deixar a legenda "por livre espontânea vontade", mas que se ele saísse era "natural” que muita gente também o fizesse. Em entrevista a O Globo em 14 de outubro, a advogada de Bolsonaro, Karina Kufa, afirmou que o presidente já estava sendo procurado outras legendas. No dia 15 de outubro, o líder do PSL na Câmara, delegado Waldir (GO) orientou os deputados do partido a obstruírem uma votação de interesse do governo.

FONTE ORIGEM

Tema: Congresso, Família Bolsonaro. Origem: Entrevista

16.out.2019

“Eu não tenho falado nada do PSL. Zero.”

A declaração de Bolsonaro é FALSA, já que uma fala do presidente foi o estopim da crise do PSL. Em 8 de outubro, Bolsonaro disse a um apoiador para "esquecer" o PSL e pediu para não ter o nome divulgado junto com o do presidente do partido, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), pois ele estaria "queimado para caramba". No dia seguinte a essas declarações, Bivar disse em entrevista ao Estado de S. Paulo que a fala de Bolsonaro foi "terminal" e que o presidente estava "afastado" do partido. Em 9 de outubro, em entrevista a O Antagonista, Bolsonaro afirmou que não pretendia deixar a legenda "por livre espontânea vontade", mas que se ele saísse era "natural” que muita gente também o fizesse. Em entrevista a O Globo em 14 de outubro, a advogada de Bolsonaro, Karina Kufa, afirmou que o presidente já estava sendo procurado por outras legendas. No dia 15 de outubro, o líder do PSL na Câmara, delegado Waldir (GO) orientou os deputados do partido a obstruírem uma votação de interesse do governo.

FONTE ORIGEM

Tema: Congresso, Família Bolsonaro. Origem: Entrevista

15.out.2019

“Nesta tarde, como presidente, assinei MP que cria o 13° do Bolsa Família, que será pago partir deste ano, com recursos oriundos do combate às fraudes no programa.”

A declaração de Bolsonaro é EXAGERADA. Ainda que o governo consiga ressarcir todo o dinheiro de fraudes cometidas no Bolsa Família, o montante é muito inferior ao valor necessário para pagar a parcela do 13º do programa. Mensalmente, o governo gasta, em média, R$ 2,5 bilhões com benefícios do Bolsa Família. Segundo a última auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União), os benefícios irregulares correspondiam a apenas 1,04% da folha de pagamento mensal do programa em 2018, e a 2,17% em 2017. Este ano, o governo emitiu cobranças de R$ 5,8 milhões para pessoas que receberam o Bolsa Família irregularmente. Além disso, a Medida Provisória 898, que criou a 13º parcela do benefício, não prevê nenhuma vinculação dos recursos recolhidos em casos de fraude para financiar esse pagamento.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 4 VEZES. Em 2019: 15.out, 21.nov, 28.nov, 16.dez.

Tema: Direitos e Assistência Social. Origem: Twitter

13.out.2019

“[Pontos positivos do governo Bolsonaro na 2ª semana de outubro:] Brasil sobe de posição no ranking global de competitividade.”

O Brasil realmente subiu uma posição no Ranking de Competitividade do Fórum Econômico Mundial (de 72º em 2018 para 71º em 2019). No entanto, é IMPRECISO atribuir essa melhoria ao governo Bolsonaro, porque alguns dos indicadores computados para a classificação no ranking não são relativos a 2019. Isso porque são usados os dados mais recentes disponíveis e em determinados casos eles são de anos atrás. Constam nas fontes do ranking, por exemplo, a Global Burden of Disease 2017, a Global Financial Development Database 2017 e dados do Banco Mundial de 2018. No caso do Brasil, há dados de 2016 (como Pegada Ecológica), 2017 (como Gni) e 2018 (PIB).

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 12.out, 13.out.

Tema: Economia. Origem: Twitter

12.out.2019

“Brasil sobe de posição no ranking global de competitividade. Indicativos de confiabilidade do investidor. Se todos fizermos o dever de casa teremos muitos mais a crescer!”

O Brasil realmente subiu uma posição no Ranking de Competitividade do Fórum Econômico Mundial (de 72º em 2018 para 71º em 2019). Essa melhoria, no entanto, não tem relação com a atuação do governo Bolsonaro, já que alguns dos indicadores computados para a classificação não são relativos a 2019. Isso se deve ao fato de serem usados os dados mais recentes disponíveis e eles, em determinados casos, serem de anos atrás. Constam nas fontes do ranking, por exemplo, a Global Burden of Disease 2017, a Global Financial Development Database 2017 e dados do Banco Mundial de 2018. No caso do Brasil, há dados de 2016 (como Pegada Ecológica), 2017 (como Gni) e 2018 (PIB). Por conta disso, a declaração é IMPRECISA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 12.out, 13.out.

Tema: Economia. Origem: Twitter

12.out.2019

“Estranhamos o silêncio da ONU e ONGs [sobre o derramamento de óleo nas praias do Nordeste], sempre tão vigilantes com o meio ambiente.”

A declaração de Bolsonaro é EXAGERADA, porque, apesar de a ONU não ter se manifestado sobre o derramamento de óleo nas praias do Nordeste, diversas ONGs se pronunciaram sobre o assunto. A WWF Brasil, por exemplo, falou sobre o óleo em seu site e tem postado sobre o tema também nas redes sociais. Já o Greenpeace publicou uma nota em que critica a atuação do governo e discute os impactos ambientais do derramamento. A ONG Oceânica também vem cobrando ações para reduzir os problemas decorrentes dos vazamentos nas praias do Rio Grande do Norte, onde atua.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 12.out, 22.out.

Tema: Meio ambiente. Origem: Twitter

11.out.2019

“Não usei um centavo do fundo partidário.”

A declaração é IMPRECISA. Por mais que as receitas de campanha de Bolsonaro em 2018 apresentem apenas recursos advindos de doações, ele usou indiretamente cerca de R$ 1 milhão do fundo partidário concedido ao PSL em 2018. Segundo reportagem do jornal O Globo, o então presidente da legenda, Gustavo Bebianno, contratou, por exemplo, a empresa J&J Marketing por R$ 500 mil para atuar como consultora na coordenação de campanha do então pré-candidato. Já a AM4 Brasil foi contratada pelo PSL com dinheiro do fundo partidário por R$ 480 mil para executar a estratégia de atuação do partido nas redes sociais. Ao O Globo, a assessoria de Bolsonaro disse que ele não teve conhecimento dos usos de recursos públicos na contratação dessas empresas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 9 VEZES. Em 2019: 11.out, 03.nov, 14.nov. Em 2020: 02.jan, 21.mai, 22.mai, 09.jul, 14.ago, 09.nov.

Tema: Eleições. Origem: Live

11.out.2019

“No Rio de Janeiro aconteceu a mesma coisa. Acusaram aí a mim de três laranjas. A gente vai ver na prestação de contas, se eu não me engano cada uma recebeu, três mulheres, R$ 2.500.”

Bolsonaro se refere ao caso das candidaturas laranjas revelado em reportagem do Jornal Nacional em junho deste ano. Diferentemente do que afirma o presidente, no entanto, os candidatos Raquel Stasiaki, Marcelo Do Seu Dino e Clébio Lopes Pereira "Jacaré" teriam recebido um total de R$ 90.509 dos diretórios nacional e estadual do PSL. Por isso, a declaração é FALSA.

FONTE ORIGEM

Tema: Eleições. Origem: Live

11.out.2019

“[o fundo partidário do PSL em 2018] mais ou menos R$ 10 milhões.”

Bolsonaro se referia ao dinheiro do fundo partidário, que, segundo ele, não foi usado por sua campanha. A verba do fundo é repassada às legendas para financiar as atividades partidárias em geral, incluindo a campanha eleitoral. A declaração sobre o valor destinado ao seu partido é FALSA. De janeiro a outubro de 2018, o PSL recebeu R$ 6,96 milhões do fundo, valor muito inferior ao mencionado por Bolsonaro.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2019: 11.out. Em 2020: 21.mai, 22.mai.

Tema: Eleições. Origem: Live

11.out.2019

“Aí, Datafolha. Se eu acreditasse em vocês eu não seria presidente. Perderia para todo mundo no segundo turno.”

Pesquisa divulgada pelo Datafolha em 28 de setembro de 2018 de fato mostrava que o então deputado Jair Bolsonaro perderia em todos os cenários de segundo turno nas eleições presidenciais. No entanto, a pesquisa registra as intenções do eleitor em um determinado momento, e o Datafolha fez outros levantamentos nas semanas seguintes que indicavam a vitória de Bolsonaro nas eleições. O instituto mostrou que as intenções de voto nele cresciam e que ele seria o provável primeiro colocado no primeiro turno e, depois, o candidato vencedor das eleições. Em pesquisa publicada na véspera do primeiro turno, o instituto disse que Bolsonaro tinha 40% das intenções de votos válidos, contra 25% de Haddad. O resultado nas urnas foi próximo a esse: Bolsonaro teve 46% dos votos, contra 29% de Haddad. Já na véspera do segundo turno, o Datafolha publicou que Bolsonaro ganharia a eleição com 55% dos votos válidos, contra 45% de Haddad, o que de fato aconteceu. A declaração, portanto, é IMPRECISA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 16 VEZES. Em 2019: 02.set, 11.out, 09.dez, 10.dez. Em 2020: 16.jan. Em 2021: 30.jan, 10.jun, 25.jun, 12.jul, 17.ago, 23.set, 25.nov. Em 2022: 31.jan, 15.jun, 13.ago.

Tema: Eleições. Origem: Live

11.out.2019

“Quanto é um salário lá em Cuba? 20 dólares.”

De acordo com o relatório Salario Medio em Cifras de 2018, divulgado pelo governo cubano anualmente, o valor mensal recebido no país é de 777 pesos, o que equivale, na cotação da terceira semana de outubro de 2019, a cerca de US$ 29. A declaração é, portanto, IMPRECISA.

FONTE ORIGEM

Tema: Economia, Ideologia. Origem: Live

10.out.2019

“[Marcos Pontes é] o único astronauta do hemisfério sul”

A declaração de Bolsonaro é IMPRECISA. Marcos Pontes, atualmente ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações esclareceu em entrevista que ele foi o primeiro astronauta profissional de nacionalidade do Hemisfério Sul. Antes dele, no entanto, três australianos naturalizados norte-americanos já atuavam como astronautas profissionais na Nasa (agência espacial americana), desses, apenas um, Andrew Thomas, também esteve no espaço como Pontes.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 19 VEZES. Em 2019: 28.mar, 31.mar, 02.abr, 04.set, 08.out, 10.out, 18.out. Em 2021: 11.fev, 15.jun, 17.jun, 19.ago, 02.set, 27.out, 07.nov, 09.dez. Em 2022: 12.jan, 16.fev, 14.abr.

Tema: Equipe de governo. Origem: Discurso

10.out.2019

“Roraima, hoje se eu não me engano, importa arroz. ”

A declaração é EXAGERADA. Em 2018, Roraima até chegou a importar US$ 247 mil de arroz, mas a balança comercial do produto no estado é positiva, pois foram exportados US$ 4,48 milhões para outros países. Segundo dados do Ministério da Economia, o arroz foi, ainda, o principal produto de exportação do estado no ano passado. Roraima produziu 72,6 mil toneladas de arroz em 2018, segundo o IBGE, três vezes o consumo interno do grão estimado pela Embrapa (23,6 mil toneladas).

FONTE ORIGEM

Tema: Economia. Origem: Discurso

10.out.2019

“Nós já estávamos monitorando e analisando as amostras de piche, que aquilo é um piche, não é um petróleo em si, desde o dia 2 do mês passado.”

A declaração de Bolsonaro é FALSA. O governo vem sendo criticado pela demora na tomada de decisões referentes ao derramamento de petróleo cru (ou hidrocarboneto, conhecido também como piche) nas praias do Nordeste por uma série de motivos. Um deles é o fato de o departamento de emergências ambientais do Ministério do Meio Ambiente, que lida com esse tipo de problema, só ter ganhado um diretor no dia 4 de outubro, mais de um mês depois da detecção das primeiras manchas. O órgão teve sua diretora anterior exonerada em março de 2019, e desde então permanecia sem liderança. Outro ponto apontado por críticos é a demora para o início das investigações: foi só no dia 5 de outubro, também mais de um mês depois do início do desastre, que o presidente Jair Bolsonaro determinou que fossem investigadas as causas do derramamento.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 10.out, 27.out.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

10.out.2019

“[A Amazônia] É uma área lindíssima, quase totalmente preservada.”

Praticamente um quinto da Amazônia foi perdido desde a década de 1980, logo é FALSO afirmar que o bioma está "quase totalmente preservada". De acordo com a análise feita pelo Mapbiomas, a Amazônia perdeu 18% de área de floresta entre 1985 e 2017, o que dá cerca de 36 milhões de hectares.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2019: 24.set, 10.out. Em 2022: 31.jan.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.