Poster do agregador

24.jun.2022

“E diferente do Bolsa Família, lá atrás com o Bolsa Família, quem fosse trabalhar perdia o Bolsa Família. Com o Auxílio Brasil pode trabalhar que não vai perder o Auxílio Brasil.”

É falso que beneficiários do Bolsa Família que entrassem para o mercado formal perdessem o direito ao auxílio. Segundo explica o próprio Ministério da Cidadania em sua página oficial, o principal critério para a participação no programa era a renda familiar, que não poderia exceder R$ 89 mensais por pessoa ou entre R$ 89 e R$ 178 em caso de famílias com crianças entre 0 e 17 anos. A família só perdia o direito ao benefício caso sua renda com o novo emprego formal excedesse o total estipulado pelo programa. Nesse caso, os beneficiários ainda eram incluídos na regra de permanência, em que recebiam o auxílio por mais dois anos caso seus rendimentos não ultrapassassem meio salário mínimo. No caso do Auxílio Brasil, têm direito os que recebem até R$ 210 por pessoa, independentemente de estarem integrados ou não ao mercado formal. Caso o beneficiário seja contratado com carteira assinada enquanto integra o programa, ele tem direito a um bônus de R$ 200 por dois anos.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 16 VEZES. Em 2022: 19.mai, 05.jun, 24.jun, 28.jun, 13.ago, 28.ago, 13.set, 14.set, 29.set, 05.out, 07.out, 14.out, 15.out, 28.out.

Tema: Direitos e Assistência Social. Origem: Discurso

Em 1.459 dias como presidente, Bolsonaro deu 6.685 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 30 de Dezembro, 2022


Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

27.out.2019

“Tarifa média para voos INTERNACIONAIS já caiu 23% com a chegada de companhias aéreas low cost.”

A informação é FALSA, porque a queda de preço citada por Bolsonaro se refere apenas à rota Rio de Janeiro-Londres, não à média de todos os voos internacionais que saem do Brasil, e foi aferida pelo site Kayak, que intermedia a compra de passagens, não por órgãos oficiais. O site comparou o preço médio dos três meses que antecederam a operação da Norwegian Air na rota com os três meses que se seguiram à chegada da companhia de baixo custo. A pesquisa também registrou queda de 17% nas tarifas de voos para Santiago saindo tanto de São Paulo quanto do Rio de Janeiro, onde outras empresas "low cost" começaram a atuar. A metodologia usada — comparar os preços médios antes e depois da chegada das companhias — também não é suficiente para determinar que a queda no preço foi causada pela entrada dos novos competidores. Para tanto, seria necessário usar modelos estatísticos que levem em conta outros fatores que influenciam o preço das viagens, como o preço do combustível, cotação do dólar, efeitos sazonais etc.

FONTE ORIGEM

Tema: Economia. Origem: Twitter

25.out.2019

“(...) nosso projeto independente que permitiu escolher nomes técnicos comprometidos com o Brasil e com o povo.”

Repetida diversas vezes por Bolsonaro, a declaração é FALSA. Apesar de não ter recorrido a alianças com partidos no Congresso, a montagem da equipe de governo do presidente obedeceu critérios políticos, inclusive entre os considerados "técnicos". Ao preterir as lideranças partidárias nas indicações, Bolsonaro ampliou a influência de outros grupos, como as bancadas ruralista e evangélica e os militares. Um exemplo foi a nomeação da ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM), que se aliou ao presidente ainda durante a campanha eleitoral, quando a Frente Parlamentar para a Agricultura, da qual era líder, manifestou apoio ao Bolsonaro. A bancada também determinou a indicação de Ricardo Salles ao Ministério do Meio Ambiente. A bancada evangélica emplacou não só Damares Alves, que é pastora, no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, como também conseguiu barrar a indicação do educador Mozart Neves Ramos para o Ministério da Educação. Os parlamentares do grupo também avalizaram a escolha do professor Ricardo Veléz para o MEC. Já poder de barganha dos militares no atual governo fica evidente ao observarmos que integrantes das Forças Armadas ocupam hoje 7 dos 22 ministérios, além de cargos-chave no segundo escalão.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 73 VEZES. Em 2019: 01.jan, 02.jan, 22.jan, 07.mar, 23.mar, 02.abr, 05.mai, 11.jun, 30.jun, 01.ago, 25.out, 30.out, 27.nov, 02.dez. Em 2020: 01.jan, 03.jan, 04.jan, 16.jan, 10.mar, 05.abr, 08.jul, 29.ago, 24.set, 08.out, 15.out, 16.out, 22.out, 06.nov, 29.nov, 15.dez. Em 2021: 07.abr, 26.abr, 14.mai, 12.jun, 01.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 31.jul, 14.ago, 02.set, 05.set, 14.out, 27.out. Em 2022: 06.jan, 14.jan, 11.fev, 16.mar, 18.mar, 13.abr, 25.abr, 26.abr, 12.mai, 25.jul, 26.jul, 30.jul, 14.ago, 19.ago, 22.ago, 23.ago, 28.ago, 13.set, 29.set, 04.out, 14.out, 20.out, 27.out, 30.dez.

Tema: Equipe de governo. Origem: Twitter

25.out.2019

“Afinal de contas, o Brasil mudou e mudou para melhor. A começar por sinais que vêm da política, do entendimento, do perfeito entrosamento entre o Executivo e o Legislativo.”

A declaração é FALSA, porque, desde que Bolsonaro assumiu a Presidência, seu governo teve atritos com o Congresso. Em junho, por exemplo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou a retirada da capitalização da Reforma da Previdência durante tramitação na Câmara dos Deputados e disse que os deputados não tinham "compromisso com as futuras gerações". O presidente da Casa, Rodrigo Maia, rebateu dizendo que o governo federal era "uma usina de crises". No mesmo mês, o próprio Bolsonaro reclamou que o Congresso queria transformá-lo na "rainha da Inglaterra" [supostamente sem poder efetivo] depois da aprovação de um projeto de lei que dava poder de veto aos parlamentares na nomeação de dirigentes de agências reguladoras. Por fim, um levantamento do jornal O Globo mostrou que Bolsonaro foi o presidente com a maior porcentagem de vetos derrubados pelo Congresso desde a promulgação da Constituição de 1988.

FONTE ORIGEM

Tema: Congresso. Origem: Discurso

24.out.2019

“Estou num país capitalista [sobre a China].”

No final da década de 70, o governo de Deng Xiaoping iniciou um programa de "reforma e abertura" da economia da China. Desde então, o país se abriu ao mercado internacional e ao investimento estrangeiro e tem apresentado crescimento em níveis recordes. No entanto, do ponto de vista político, a China segue o modelo comunista, com estrutura centralizada e partido único. É o Partido Comunista quem controla a Assembleia Popular Nacional, que, por sua vez, elege o presidente. A atuação do Estado também é marcante na economia, uma vez ele controla o sistema bancário e grande parte das maiores empresas do país. A declaração de Bolsonaro, portanto, é IMPRECISA.

FONTE ORIGEM

Tema: Ideologia, Relações internacionais. Origem: Entrevista

24.out.2019

“Fernando de Noronha, em um acordo assinado em 2012, passou a ser propriedade privada de um grupo. ”

A informação é IMPRECISA. Em 2010, foi assinado um contrato de licitação por meio do qual o ICMBio (Instituto Chico Mendes) concedeu a administração do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha à iniciativa privada. Desde então, é a Econoronha que presta serviços de apoio à visitação do parque, que ocupa cerca de 70% da área do arquipélago. O contrato, no entanto, tem duração de 15 anos, e Fernando de Noronha permanece como um distrito estadual do governo de Pernambuco e submetido a sua jurisdição.

FONTE ORIGEM

Tema: Turismo. Origem: Entrevista

22.out.2019

“No mínimo estranho o silêncio de ONGs e esquerda brasileira sobre o óleo nas praias do Nordeste.”

A declaração de Bolsonaro é FALSA, porque tanto ONGs quanto a esquerda brasileira já se manifestaram a respeito do derramamento de óleo nas praias do Nordeste. A WWF Brasil, por exemplo, falou sobre o desastre em seu site e tem postado sobre o tema também nas redes sociais. Já o Greenpeace publicou uma nota em que critica a atuação do governo e discute os impactos ambientais do derramamento. Além disso, conforme mostrado por Aos Fatos em reportagem, pelo menos outras nove ONGs, como a Instituto Verde Luz e o Instituto Biota, também realizaram ou programaram atividades nas regiões afetadas. Entre a esquerda no espectro político, congressistas de partidos como PSOL, PT e PC do B discursaram e publicaram em suas redes mensagens de repúdio à atuação do governo.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 2 VEZES. Em 2019: 12.out, 22.out.

Tema: Meio ambiente. Origem: Twitter

21.out.2019

“Foro de São Paulo, criado em 1990, tendo a frente o PT, as FARC e partidos de esquerda da América Latina e Caribe.”

Criado em 1990 no Brasil, o Foro de São Paulo realmente é uma organização de partidos políticos, entre eles o PT, e movimentos de esquerda de toda a América Latina e do Caribe. A declaração de Bolsonaro é INSUSTENTÁVEL, no entanto, porque não há nenhum registro de participação das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) nos encontros de fundação do Foro, nem documentos de filiação à organização, de acordo com o livro “Foro de São Paulo: construindo a integração Latinoamericana e Caribenha”, de Roberto Regalado e Valter Pomar. A Colômbia foi representada por dois partidos: o Partido Comunista Colombiano e a União Patriótica. As Farc são citadas no livro, no entanto, como tema discutido pelo Foro. Um dos objetivos da organização era tentar dialogar com a guerrilha para que o governo e as Farc chegassem a um “acordo que ajude a pôr fim a uma guerra que dura mais de 40 anos”. Há, porém, indícios que apontam para a participação de ao menos um membro da guerrilha em um dos encontros do Foro, em 1996, em El Salvador, o que não prova que o grupo integrou o Foro, mesmo como convidado. Em 2003, Raul Reyes, considerado porta-voz e “número 2” das Farc, disse, em entrevista à Folha de S.Paulo, ter se encontrado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na edição do Foro em San Salvador. E, em 2008, ao comentar a morte de Reyes em um bombardeio na selva equatoriana, o então presidente da Venezuela, Hugo Chávez, lembrou que o conheceu durante a edição do Foro de São Paulo realizada na capital de El Salvador. Entretanto, na gravação, exibida originalmente pela TV estatal venezuelana, Chávez erra o ano do evento ao dizer que seu relato se passou em 1995, e não em 1996.

LEIA MAIS FONTE ORIGEM

REPETIDA 6 VEZES. Em 2019: 21.mar, 21.out, 11.nov. Em 2022: 23.jun, 26.jun, 30.ago.

Tema: Ideologia. Origem: Twitter

18.out.2019

“No meio do caminho, temos o único astronauta do Hemisfério Sul, o nosso ministro, o Marcos Pontes.”

A declaração de Bolsonaro é IMPRECISA. Marcos Pontes, atualmente ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações esclareceu em entrevista que ele foi o primeiro astronauta profissional de nacionalidade do Hemisfério Sul. Antes dele, no entanto, três australianos naturalizados norte-americanos já atuavam como astronautas profissionais na Nasa (agência espacial americana). Desses, apenas um, Andrew Thomas, também esteve no espaço como Pontes.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 19 VEZES. Em 2019: 28.mar, 31.mar, 02.abr, 04.set, 08.out, 10.out, 18.out. Em 2021: 11.fev, 15.jun, 17.jun, 19.ago, 02.set, 27.out, 07.nov, 09.dez. Em 2022: 12.jan, 16.fev, 14.abr.

Tema: Equipe de governo. Origem: Discurso

17.out.2019

“14% do território brasileiro como reserva indígena.”

A declaração é IMPRECISA. De acordo com dados da Funai (Fundação Nacional do Índio), há atualmente 440 terras indígenas regularizadas e outras seis interditadas (com restrição de uso e entrada de terceiros, para proteção de tribos isoladas), que ocupam uma área correspondente a 12,6% do território nacional. Chega-se ao valor de 13,7%, mais próximo ao apresentado pelo presidente, quando se somam às áreas já regularizadas as que ainda estão em estudo ou que aguardam a sanção presidencial.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 48 VEZES. Em 2019: 08.abr, 27.jul, 24.ago, 30.ago, 24.set, 26.set, 17.out, 23.nov. Em 2020: 11.fev, 14.fev, 19.fev, 10.mar, 23.mai, 15.jun, 16.jul, 11.ago, 03.set, 24.set. Em 2021: 04.mar, 01.abr, 29.abr, 20.mai, 25.jun, 02.jul, 04.ago, 12.ago, 19.ago, 26.ago, 28.ago, 02.set, 21.set, 01.out, 07.nov, 24.nov. Em 2022: 14.jan, 17.jan, 02.fev, 03.fev, 16.fev, 28.fev, 09.mai, 27.mai, 04.jun, 06.jun, 13.set.

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Live

17.out.2019

“[O índio] não fala a nossa língua.”

Segundo o Censo 2010, última pesquisa disponível sobre o assunto, dos indígenas com 5 ou mais anos de idade no país, 76,9% falavam português, o que significa cerca de 605 mil pessoas. Como três quartos da população indígena fala português, a declaração de Bolsonaro foi considerada FALSA.

FONTE ORIGEM

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Live

17.out.2019

“O índio não tem dinheiro.”

A afirmação de Bolsonaro é FALSA. A Funai (Fundação Nacional do Índio), por meio da Política Nacional de Gestão Ambiental de Terras Indígenas, apoia comunidades na implantação de projetos que gerem renda. Eles podem se dar por meio da venda de itens produzidos pelo artesanato ou cultivados nas terras de maneira sustentável, pela pesca, pelo turismo de visitação das terras e pelo recebimento de benefícios sociais do governo.

FONTE ORIGEM

Tema: Economia, Indígenas e quilombolas. Origem: Live

17.out.2019

“Pegamos [o governo com] 14 milhões de desempregados.”

Na verdade, no último trimestre antes de Bolsonaro assumir (out-nov-dez de 2018), o IBGE estimava que havia 12,66 milhões de pessoas desocupadas. Logo, a declaração é IMPRECISA.

FONTE ORIGEM

Tema: Economia. Origem: Live

17.out.2019

“Deixo claro: a menor média de incêndios dos últimos 15 anos tem sido no nosso governo.”

Até o dia 15 de outubro deste ano, foram registrados no Brasil 155.283 focos de incêndio, de acordo com dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). O número, diferentemente do informado por Bolsonaro, não representa a menor média dos últimos 15 anos. Na verdade, o número de focos de incêndio de 2019 é o oitava maior neste período. Se considerarmos apenas os últimos dez anos, 2019 salta para a quarta posição. A afirmação é, portanto, FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 11 VEZES. Em 2019: 23.ago, 24.ago, 27.ago, 29.ago, 19.set, 26.set, 07.out, 17.out. Em 2020: 02.jan, 09.mar, 25.jun.

Tema: Meio ambiente. Origem: Live

17.out.2019

“O Brasil é um local onde, graças a Deus, não há conflito religioso.”

De acordo com dados do Ministério da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, foram recebidas 506 denúncias de intolerância religiosa no Disque Direitos Humanos (Disque 100) durante o ano de 2018. As crenças mais atingidas foram umbanda (72 denúncias), candomblé (47) e testemunhas de Jeová (31). A declaração é, portanto, FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 3 VEZES. Em 2019: 17.out. Em 2021: 16.nov, 25.nov.

Tema: Outros. Origem: Live

17.out.2019

“[Santa Catarina é o estado com] Maior quantidade de clube de tiros”

A declaração é INSUSTENTÁVEL, porque, segundo o Centro de Comunicação de Exército, que enviou os dados ao Aos Fatos, não é possível saber se Santa Catarina é o estado com maior número de clubes e entidades de tiro no país, uma vez que os dados são separados por RMs (Região Militar). A 5ª RM é, de fato, a que tem o maior número (193), mas ela engloba os estados do Paraná e de Santa Catarina. A segunda região com mais clubes e entidades de tiro é a 2ª RM (SP), com 134. A terceira é a 3ª RM (RS), com 123.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 6 VEZES. Em 2019: 20.jun, 17.out. Em 2020: 02.jan. Em 2021: 07.jul, 21.out, 30.dez.

Tema: Segurança. Origem: Live

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.