Poster do agregador

Em 1.232 dias como presidente, Bolsonaro deu 5.431 declarações falsas ou distorcidas

Esta base agrega todas as declarações de Bolsonaro feitas a partir do dia de sua posse como presidente. As checagens são feitas pela equipe do Aos Fatos semanalmente.

Atualizado em 17 de Maio, 2022


Número de afirmações sobre




As três afirmações mais repetidas

REPETIDA 203 VEZES

Em 2019: 15.dez, 23.dez, 24.dez, 26.dez. Em 2020: 10.jan, 06.fev, 20.fev, 03.mar, 09.mar, 16.mar, 20.mar, 22.abr, 28.abr, 05.mai, 22.mai, 28.mai, 26.jul, 30.jul, 02.ago, 13.ago, 07.out, 08.out, 11.out, 15.out, 22.out, 29.out, 09.nov, 25.nov, 29.nov, 08.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 11.jan, 12.jan, 15.jan, 18.jan, 08.fev, 11.fev, 20.fev, 04.mar, 07.abr, 27.abr, 05.mai, 08.mai, 11.mai, 13.mai, 10.jun, 15.jun, 18.jun, 21.jun, 24.jun, 25.jun, 07.jul, 12.jul, 13.jul, 18.jul, 19.jul, 21.jul, 22.jul, 26.jul, 27.jul, 29.jul, 31.jul, 02.ago, 04.ago, 05.ago, 06.ago, 17.ago, 19.ago, 23.ago, 24.ago, 25.ago, 28.ago, 30.ago, 31.ago, 09.set, 10.set, 15.set, 17.set, 21.set, 23.set, 24.set, 30.set, 09.out, 13.out, 14.out, 18.out, 20.out, 21.out, 24.out, 25.out, 27.out, 07.nov, 09.nov, 10.nov, 19.nov, 22.nov, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 10.dez, 15.dez, 19.dez, 27.dez, 30.dez, 31.dez. Em 2022: 06.jan, 12.jan, 20.jan, 31.jan, 02.fev, 07.fev, 09.fev, 10.fev, 11.fev, 12.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 28.fev, 04.mar, 07.mar, 16.mar, 21.mar, 22.mar, 23.mar, 27.mar, 04.abr, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 15.abr, 05.mai, 12.mai.

“E com orgulho eu digo: estamos completando três anos e meio sem corrupção em nosso governo.”

A declaração do presidente é FALSA, porque integrantes e ex-integrantes do seu governo são alvos de investigações e denúncias de casos de corrupção e outros delitos ligados à administração pública. Em março de 2022, a PF (Polícia Federal) abriu dois inquéritos para apurar suspeitas de crimes como corrupção, tráfico de influência e prevaricação no Ministério da Educação, sob o comando de Milton Ribeiro. A investigação foi pedida pela PGR (Procuradoria-Geral da República) após a imprensa noticiar uma possível influência de pastores na distribuição de recursos da pasta para prefeitos. Além disso, o relatório da CPI da Covid-19 pediu o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro e de seis ministros e ex-ministros por prevaricação, emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documento particular, charlatanismo, crime contra a humanidade, crime de responsabilidade e epidemia com resultado de morte. Outros agentes do governo também foram indiciados por envolvimento em um suposto esquema para a compra da vacina indiana Covaxin. Por fim, atuais e antigos integrantes do governo são investigados pela PF (Polícia Federal) ou pelo Ministério Público por suspeitas de corrupção, como o ministro Ciro Nogueira (Casa Civil), Ricardo Salles, ex-titular do Meio Ambiente, Marcelo Álvaro Antônio, que comandou a pasta do Turismo, e Fabio Wajngarten, que chefiou a Secretaria de Comunicação Social.

REPETIDA 129 VEZES

Em 2020: 09.abr, 11.abr, 16.abr, 18.abr, 29.abr, 30.abr, 02.mai, 07.mai, 14.mai, 19.mai, 20.mai, 21.mai, 22.mai, 26.mai, 28.mai, 02.jun, 03.jun, 04.jun, 08.jun, 09.jun, 11.jun, 15.jun, 18.jun, 19.jun, 25.jun, 07.jul, 09.jul, 16.jul, 18.jul, 06.ago, 13.ago, 24.ago, 25.ago, 03.set, 16.set, 22.set, 24.set, 09.out, 19.out, 09.nov, 10.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 14.jan, 15.jan, 21.jan, 04.fev, 02.mar, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 21.jul, 22.jul, 28.jul, 29.jul, 02.ago, 04.ago, 05.set, 15.set, 27.set, 09.out, 14.out, 31.out, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 08.dez, 11.dez, 19.dez. Em 2022: 12.jan, 14.jan, 31.jan, 02.fev, 08.fev, 09.fev, 11.fev, 25.fev, 17.mar, 21.mar, 12.abr, 28.abr, 13.mai, 16.mai.

“Eu não tive o poder de administrar a pandemia. O Supremo deu poder para governadores e prefeitos.”

Bolsonaro repete o argumento de que o STF (Supremo Tribunal Federal) teria limitado a sua atuação durante a pandemia de Covid-19, o que é FALSO, porque a corte não eximiu a Presidência da República de atuar contra a disseminação da doença. O STF decidiu, na verdade, que prefeitos e governadores têm legitimidade para tomar medidas locais de restrição de circulação e que não cabe ao Poder Executivo Federal derrubar essas iniciativas. Segundo os ministros, o governo federal pode, sim, adotar medidas para conter a pandemia em casos de abrangência nacional, como fez ao determinar o fechamento de fronteiras terrestres. Ainda de acordo com o STF, seria função da Presidência, por exemplo, coordenar as diretrizes de isolamento a serem seguidas em todo o país. Os estados, por sua vez, não teriam legitimidade para fechar rodovias, prejudicando o abastecimento nacional. Em um dos julgamentos, o ministro Edson Fachin destacou que a ausência de legislação por parte do governo federal também obriga que os estados atuem localmente: "A União exerce a sua prerrogativa sempre, desde que veicule uma norma que organize essa cooperação federativa. No silêncio da legislação federal, estados e municípios têm presunção de atuação. Na ausência de manifestação legislativa, não se pode tolher o exercício da competência dos demais entes federativos".

REPETIDA 108 VEZES

Em 2020: 10.set, 16.set, 22.set, 08.out, 11.out, 14.out, 19.out, 27.out, 11.nov, 16.nov, 17.nov, 27.nov, 15.dez, 24.dez. Em 2021: 14.jan, 15.jan, 27.jan, 28.jan, 03.fev, 04.fev, 05.fev, 08.fev, 11.fev, 12.fev, 19.fev, 20.fev, 22.fev, 23.fev, 26.fev, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 18.mar, 22.mar, 23.mar, 25.mar, 31.mar, 01.abr, 05.abr, 07.abr, 15.abr, 23.abr, 26.abr, 20.mai, 23.mai, 01.jun, 02.jun, 10.jun, 12.jun, 18.jun, 25.jun, 26.jun, 28.jun, 19.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 30.jul, 31.jul, 06.ago, 12.ago, 17.ago, 23.ago, 25.ago, 26.ago, 28.ago, 30.ago, 02.set, 10.set, 21.set, 29.set, 30.set, 07.out, 14.out, 21.out, 26.out, 27.out, 07.nov, 11.nov, 25.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 17.dez, 27.dez. Em 2022: 02.fev, 28.fev, 07.mar, 12.mar, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 16.abr, 28.abr, 05.mai, 12.mai, 13.mai, 17.mai.

“Disse que deveríamos combater o vírus, mas também combater o desemprego.”

De fato, desde o início, o presidente tem destacado que a pandemia traria dois problemas ao Brasil, um de saúde pública e um econômico, e que os dois deveriam ser tratados simultaneamente. Em levantamento feito nas redes, Aos Fatos encontrou declarações do tipo ao menos desde o dia 15 de março de 2020, data de uma entrevista à CNN Brasil. O presidente, porém, não tratou as duas questões com o mesmo peso, já que, desde o início da crise, tem minimizado os efeitos da Covid-19. Em diversas entrevistas e declarações públicas, Bolsonaro relacionou a doença a uma “gripezinha” e chegou a dizer, em discurso realizado no dia 18 de setembro de 2020, que o isolamento social seria “conversinha mole” e que as medidas de restrição de circulação seriam para “os fracos”. Durante a pandemia, o presidente também desrespeitou recomendações sanitárias ao causar aglomerações e circular sem equipamento de proteção e se posicionou contra as vacinas, única forma conhecida de atenuar os riscos da doença. A declaração, portanto, foi classificada como FALSA.

Explore as afirmações

Filtros

Por tema

Por origem

Ordenar por

17.mai.2022

“Disse que deveríamos combater o vírus, mas também combater o desemprego.”

De fato, desde o início, o presidente tem destacado que a pandemia traria dois problemas ao Brasil, um de saúde pública e um econômico, e que os dois deveriam ser tratados simultaneamente. Em levantamento feito nas redes, Aos Fatos encontrou declarações do tipo ao menos desde o dia 15 de março de 2020, data de uma entrevista à CNN Brasil. O presidente, porém, não tratou as duas questões com o mesmo peso, já que, desde o início da crise, tem minimizado os efeitos da Covid-19. Em diversas entrevistas e declarações públicas, Bolsonaro relacionou a doença a uma “gripezinha” e chegou a dizer, em discurso realizado no dia 18 de setembro de 2020, que o isolamento social seria “conversinha mole” e que as medidas de restrição de circulação seriam para “os fracos”. Durante a pandemia, o presidente também desrespeitou recomendações sanitárias ao causar aglomerações e circular sem equipamento de proteção e se posicionou contra as vacinas, única forma conhecida de atenuar os riscos da doença. A declaração, portanto, foi classificada como FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 108 VEZES. Em 2020: 10.set, 16.set, 22.set, 08.out, 11.out, 14.out, 19.out, 27.out, 11.nov, 16.nov, 17.nov, 27.nov, 15.dez, 24.dez. Em 2021: 14.jan, 15.jan, 27.jan, 28.jan, 03.fev, 04.fev, 05.fev, 08.fev, 11.fev, 12.fev, 19.fev, 20.fev, 22.fev, 23.fev, 26.fev, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 18.mar, 22.mar, 23.mar, 25.mar, 31.mar, 01.abr, 05.abr, 07.abr, 15.abr, 23.abr, 26.abr, 20.mai, 23.mai, 01.jun, 02.jun, 10.jun, 12.jun, 18.jun, 25.jun, 26.jun, 28.jun, 19.jul, 20.jul, 21.jul, 29.jul, 30.jul, 31.jul, 06.ago, 12.ago, 17.ago, 23.ago, 25.ago, 26.ago, 28.ago, 30.ago, 02.set, 10.set, 21.set, 29.set, 30.set, 07.out, 14.out, 21.out, 26.out, 27.out, 07.nov, 11.nov, 25.nov, 02.dez, 07.dez, 09.dez, 17.dez, 27.dez. Em 2022: 02.fev, 28.fev, 07.mar, 12.mar, 08.abr, 11.abr, 12.abr, 16.abr, 28.abr, 05.mai, 12.mai, 13.mai, 17.mai.

Tema: Coronavírus, Economia. Origem: Discurso

17.mai.2022

“Dizer a vocês que somente na Petrobras, o endividamento dessa empresa comandada pelo PT chegou na casa dos R$ 900 bilhões.”

De acordo com as demonstrações financeiras publicadas pela Petrobras, a dívida bruta da companhia em 31 de dezembro de 2015 era de R$ 492,849 bilhões — corrigida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a cifra ficaria atualmente em R$ 681,4 bilhões. Em 2003, os resultados divulgados pela Petrobras à Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) indicavam um endividamento total de R$ 63,791 bilhões (R$ 176 bilhões, corrigidos) — uma diferença, portanto, de R$ 429,058 bilhões em valores nominais e de R$ 505,4 bilhões se considerada a correção pela inflação. Todos esses valores estão muito distantes dos R$ 900 bilhões citados por Bolsonaro, portanto, a declaração é FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 30 VEZES. Em 2022: 31.jan, 01.fev, 02.fev, 03.fev, 04.fev, 16.fev, 18.fev, 21.fev, 23.fev, 24.fev, 25.fev, 07.mar, 10.mar, 16.mar, 21.mar, 24.mar, 31.mar, 04.abr, 06.abr, 11.abr, 12.abr, 14.abr, 16.abr, 25.abr, 29.abr, 16.mai, 17.mai.

Tema: Economia. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Eu podia ter acabado com a CPI nos primeiros semanas. Como? Se eu aceitasse uma emenda do Omar Aziz, que eu não vou falar de um senador que pega mal, né? Do Omar Aziz. Emenda também do Renildo Calheiros, que é irmão do Renan Calheiros, a mesma emenda. Cópia autêntica. Relator, saltitante, Randolfe Rodrigues. O que que dizia essa emenda, Paulo Guedes? Que governadores e prefeitos, não quero generalizar governadores e prefeitos, a grande maioria eu sei que são pessoas de bem, mas governadores e prefeitos poderiam comprar vacina de qualquer lugar do mundo sem a certificação da Anvisa e sem licitação.”

Bolsonaro sugere que a CPI da Pandemia no Senado teria sido uma retaliação de senadores à não aprovação de uma emenda à MP 1026/2021, que permitiria que estados e municípios importassem vacinas sem aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e sem licitação. Ainda que o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da comissão, tenha de fato feito proposição do tipo na emenda 112, o deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE), irmão do senador Renan Calheiros (MDB-AL), não sugeriu nada similar. Por isso, o argumento é IMPRECISO. É importante destacar, ainda, que a emenda de Aziz foi rejeitada pelo relator do projeto na Câmara, o deputado Pedro Westphalen (PP-RS), em 23 de fevereiro, menos de um mês depois de sua data de apresentação, e que não chegou nem mesmo a ser analisada por Randolfe Rodrigues, relator do texto no Senado.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 21 VEZES. Em 2021: 26.jul, 27.jul, 28.jul, 29.jul, 31.jul, 05.ago, 06.ago, 09.ago, 12.ago, 30.set, 12.out, 14.out, 27.out, 02.dez, 11.dez. Em 2022: 16.fev, 16.abr, 16.mai.

Tema: Congresso, Coronavírus. Origem: Discurso

16.mai.2022

“O Renan Calheiros falou: não apuraremos desvios de recursos.”

A declaração é imprecisa, pois o presidente distorce o conteúdo de uma fala do senador Renan Calheiros (MDB-AL) em entrevista ao UOL no dia 3 de maio de 2021. Questionado por jornalistas, Calheiros afirmou que a CPI da Pandemia não tinha como objetivo principal investigar desvios de recursos por parte dos governadores, mas que, se necessárias, apurações do tipo poderiam ocorrer. "É evidente que, se houver necessidade para fazê-lo, nós vamos fazer, mas esse não é o objetivo da CPI. É isso que difere essa comissão das outras comissões que anteriormente se instalaram". Por questões ligadas ao Regimento Interno do Senado, no entanto, a apuração se restringe especificamente à verba repassada pelo Executivo federal.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 20 VEZES. Em 2021: 13.mai, 20.mai, 26.mai, 01.jun, 02.jun, 14.jun, 17.jun, 26.jul, 27.jul, 02.ago, 05.ago, 05.set, 23.nov, 09.dez, 23.dez. Em 2022: 06.jan, 16.fev, 16.abr, 16.mai.

Tema: Congresso, Coronavírus. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Não querem mais, como descobrimos na transição, um contrato de R$ 50 milhões de reais da Funai para ensinar o índio a mexer com bitcoin.”

A declaração é FALSA, pois não houve a destinação de R$ 50 milhões para indígenas “mexerem com bitcoin” na transição entre os governos Jair Bolsonaro e Michel Temer. O presidente se refere a um convênio de R$ 45 milhões entre o governo federal e a UFF (Universidade Federal Fluminense) para um “Projeto de Fortalecimento Institucional", que previa a execução de 16 serviços, entre eles a criação de uma plataforma de criptomoedas indígenas - não bitcoin, que é uma das criptomoedas existentes. Não há o detalhamento de quanto desses R$ 45 milhões seria destinado a cada produto. De acordo com o relatório que acompanha o documento, o objetivo do projeto de criptomoedas era "recriar" as já tradicionais moedas sociais por meio da tecnologia blockchain, como base das transações da feira indígena Moitará. Segundo o documento, “a criptomoeda seria usada com o objetivo de encorajar os indígenas de uma determinada comunidade a gastar localmente, apoiando, assim, os ecossistemas locais". Também estavam previstos no contrato o mapeamento de problemas funcionais na Funai e a criação de um centro de monitoramento de áreas indígenas.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 13 VEZES. Em 2019: 27.jul. Em 2020: 19.dez. Em 2021: 04.ago, 07.out, 06.dez, 08.dez, 09.dez, 15.dez. Em 2022: 31.jan, 09.fev, 10.fev, 09.mar, 16.mai.

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Nós, em cada cinco bocas do mundo, uma é alimentada pelo Brasil.”

O presidente sugere que um quinto da população mundial, ou 20%, seja alimentado com produtos agropecuários brasileiros, o que é FALSO. Estudo da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) publicado em março de 2021 aponta que, na verdade, a produção brasileira foi responsável por alimentar 772,6 milhões de pessoas em 2020, o que corresponde a cerca de 9,78% da população mundial, usando como base a estimativa de 7,898 bilhões de habitantes no mundo. Os dados, calculados a partir da produção e da exportação de grãos e de carne bovina, são ainda ligeiramente superiores aos apresentados pela FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), que apontou um total de 628,2 milhões de pessoas, pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que estimou 625 milhões, e pelo IGC (International Grains Council), que indicou 636,9 milhões de pessoas. Descontados os 212,3 milhões de brasileiros, os autores do estudo da Embrapa concluem que 560,3 milhões de cidadãos de outros países se beneficiam dos alimentos produzidos no Brasil.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 16 VEZES. Em 2021: 02.set, 13.set, 15.set, 16.set, 01.out, 03.nov, 07.nov. Em 2022: 27.fev, 28.fev, 03.mar, 07.mar, 17.mar, 16.abr, 28.abr, 09.mai, 16.mai.

Tema: Economia. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Amazônia não pega fogo. É uma floresta úmida. Pode jogar um tambor de gasolina e tocar fogo. O fogo se apaga quando queimar todo o combustível. ”

Em diversas ocasiões, o presidente já afirmou que, por ser úmida, a floresta amazônica não poderia ser incendiada. Nessa declaração, ele mais uma vez sugere esse tipo de correlação, que é FALSA. Por mais que seja, de fato, úmida, as plantas que compõem a floresta amazônica podem sim entrar em combustão, mas apenas por meio da ação humana. Dados da ONG Ipam e da Nasa, agência espacial americana, indicam que os focos de incêndio que atingiram a região em 2019 aconteceram em áreas previamente desmatadas. Esta seria, segundo a bióloga Erika Berenguer, a única forma de incendiar a floresta. No processo de desmatamento, a vegetação é derrubada, colocada ao sol para secar e, então, queimada para a limpeza da área.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 39 VEZES. Em 2020: 09.mar, 10.mar, 16.jul, 23.jul, 11.ago, 03.set, 22.set, 08.out, 11.out, 21.out, 22.out, 11.nov, 13.nov, 19.nov, 17.dez. Em 2021: 08.fev, 09.fev, 23.abr, 27.mai, 28.mai, 10.jun, 24.jun, 08.jul, 03.ago, 25.ago, 10.set, 09.out, 15.nov, 19.nov, 25.nov, 09.dez. Em 2022: 31.jan, 03.mar, 09.mar, 16.mai.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Vimos aqui do lado, em Araraquara, uma mulher sendo presa em praça pública [durante a pandemia de Covid-19].”

Bolsonaro faz referência a um caso ocorrido em Araraquara, no interior de São Paulo, no dia 13 de abril de 2020, quando uma mulher foi presa após desacatar agentes da Guarda Municipal. Na ocasião, ela descumpria o decreto municipal de isolamento que proibia o acesso a praças públicas, foi abordada pela Guarda, mas se recusou a deixar o local. A mulher chegou a morder uma agente e, por ter resistido à abordagem, foi algemada. Por omitir o real contexto da prisão, a declaração de Bolsonaro foi classificada como IMPRECISA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2020: 29.abr, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 08.mar, 23.ago, 30.set. Em 2022: 16.mai.

Tema: Coronavírus. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Eu não tive o poder de administrar a pandemia. O Supremo deu poder para governadores e prefeitos.”

Bolsonaro repete o argumento de que o STF (Supremo Tribunal Federal) teria limitado a sua atuação durante a pandemia de Covid-19, o que é FALSO, porque a corte não eximiu a Presidência da República de atuar contra a disseminação da doença. O STF decidiu, na verdade, que prefeitos e governadores têm legitimidade para tomar medidas locais de restrição de circulação e que não cabe ao Poder Executivo Federal derrubar essas iniciativas. Segundo os ministros, o governo federal pode, sim, adotar medidas para conter a pandemia em casos de abrangência nacional, como fez ao determinar o fechamento de fronteiras terrestres. Ainda de acordo com o STF, seria função da Presidência, por exemplo, coordenar as diretrizes de isolamento a serem seguidas em todo o país. Os estados, por sua vez, não teriam legitimidade para fechar rodovias, prejudicando o abastecimento nacional. Em um dos julgamentos, o ministro Edson Fachin destacou que a ausência de legislação por parte do governo federal também obriga que os estados atuem localmente: "A União exerce a sua prerrogativa sempre, desde que veicule uma norma que organize essa cooperação federativa. No silêncio da legislação federal, estados e municípios têm presunção de atuação. Na ausência de manifestação legislativa, não se pode tolher o exercício da competência dos demais entes federativos".

FONTE ORIGEM

REPETIDA 129 VEZES. Em 2020: 09.abr, 11.abr, 16.abr, 18.abr, 29.abr, 30.abr, 02.mai, 07.mai, 14.mai, 19.mai, 20.mai, 21.mai, 22.mai, 26.mai, 28.mai, 02.jun, 03.jun, 04.jun, 08.jun, 09.jun, 11.jun, 15.jun, 18.jun, 19.jun, 25.jun, 07.jul, 09.jul, 16.jul, 18.jul, 06.ago, 13.ago, 24.ago, 25.ago, 03.set, 16.set, 22.set, 24.set, 09.out, 19.out, 09.nov, 10.dez, 19.dez, 24.dez, 31.dez. Em 2021: 07.jan, 14.jan, 15.jan, 21.jan, 04.fev, 02.mar, 03.mar, 04.mar, 10.mar, 21.jul, 22.jul, 28.jul, 29.jul, 02.ago, 04.ago, 05.set, 15.set, 27.set, 09.out, 14.out, 31.out, 23.nov, 25.nov, 26.nov, 02.dez, 07.dez, 08.dez, 11.dez, 19.dez. Em 2022: 12.jan, 14.jan, 31.jan, 02.fev, 08.fev, 09.fev, 11.fev, 25.fev, 17.mar, 21.mar, 12.abr, 28.abr, 13.mai, 16.mai.

Tema: Coronavírus, Justiça. Origem: Discurso

16.mai.2022

“O BNDES foram 400 bilhões [de endividamento durante gestões petistas].”

A declaração de Bolsonaro é FALSA, porque o montante total da dívida bruta acumulada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) entre 2003 e 2015 é muito superior ao citado. De acordo com dados enviados pelo banco ao Aos Fatos, a dívida do BNDES em 2003, primeiro ano do governo Lula (PT) era de R$ 135,8 bilhões (R$ 380,55 bilhões, com correção pelo IPCA). Já em 2015, último ano completo do governo Dilma (PT), o montante era de R$ 881,3 bilhões (ou R$ 1,2 trilhão, com correção pelo IPCA). Isso significa que o saldo negativo acumulado durante gestões petistas foi de R$ 745,5 bilhões nominais e R$ 850,2 bilhões corrigidos.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 6 VEZES. Em 2022: 16.mar, 17.mar, 24.mar, 06.abr, 11.abr, 16.mai.

Tema: Economia. Origem: Outros

16.mai.2022

“Em 2020, o valor do auxílio emergencial foi equivalente a 15 anos de Bolsa Família.”

É FALSO que o governo federal tenha gastado o equivalente a 15 anos do Bolsa Família com o pagamento do auxílio emergencial no primeiro ano de pandemia. De acordo com dados do Ministério da Cidadania, foram despendidos com o Bolsa Família entre 2005 e 2019 R$ 434,1 bilhões, em valores corrigidos pela inflação. Já dados do Tesouro Transparente indicam que o governo Bolsonaro pagou R$ 293,1 bilhões de auxílio emergencial em 2020.

FONTE ORIGEM

Tema: Coronavírus, Economia. Origem: Telegram

16.mai.2022

“ A multagem [ambiental] caiu em média 80%.”

A redução no volume de multas no campo não foi tão expressiva como diz o presidente, por isso a declaração foi classificada como FALSA. De acordo com dados do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), foram aplicadas nos três anos do governo Bolsonaro 28.968 autuações ambientais, que totalizaram R$ 9,9 bilhões, em valores corrigidos pela inflação. Como nos três anos anteriores (2016 a 2018), o número total de multas foi de 47.878 (valor total de R$ 12,5 bilhões), a redução na atual gestão é de 36,7% no número de autuações e 20,8% nos valores.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 7 VEZES. Em 2022: 17.jan, 02.fev, 11.fev, 07.mar, 09.abr, 29.abr, 16.mai.

Tema: Meio ambiente. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Mas temos no Brasil o equivalente à região Sudeste demarcada como terra indígena.”

O presidente é impreciso na sua declaração pois, somando as áreas dos quatro estados da região Sudeste, chega-se à extensão de 924.564 km², de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Já as 441 terras indígenas regularizadas e 6 interditadas ocupam, segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), uma área cerca de 15% maior, de 1.069.480,3 km².

FONTE ORIGEM

REPETIDA 8 VEZES. Em 2019: 19.set. Em 2020: 16.jul. Em 2021: 04.mar, 19.ago, 25.ago. Em 2022: 24.mar, 25.abr, 16.mai.

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Está dentro do Supremo Tribunal Federal, que o ministro Fachin luta de todas as maneiras pra aprovar, o novo marco temporal. O que que é isso? Leva-se em conta não mais o limite final de ocupação de terras por indígenas, mas fica sendo pra vida toda. De imediato,caso isso seja aprovado, nós teremos, além da região Sudeste, uma área equivalente à região Sul demarcada como terra indígena. ”

Bolsonaro afirma que, caso a tese do marco temporal seja rejeitada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), terá que ser demarcada como terra indígena uma parcela do território brasileiro de extensão similar à região Sul. A declaração, porém, é FALSA, porque a decisão da corte não levará a uma aprovação automática de novos processos de demarcação. Para que um território seja demarcado, é preciso comprovar por meio de estudos técnicos que o povo indígena que reside na região têm um vínculo histórico com o espaço e necessita dele para sobrevivência, bem-estar e reprodução física e cultural. Esse processo é estabelecido por lei e envolve diversas etapas e órgãos como a Funai (Fundação Nacional do Índio) e o Ministério da Justiça. Atualmente, o Brasil tem 434 terras demarcadas e estão pendentes de finalização os processos de outras 237. Caso todas elas sejam aprovadas, seriam reservados mais 97.820 km² para os povos originários. Enquanto isso, a região Sul tem extensão total de 564 mil km². Defendida especialmente por ruralistas, a tese do marco temporal sustenta que apenas espaços habitados por indígenas na data da promulgação da Constituição (5 de outubro de 1988) podem ser demarcados. O estabelecimento desse marco está em análise pelo STF.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 6 VEZES. Em 2021: 15.dez. Em 2022: 08.jan, 17.jan, 28.fev, 08.mar, 16.mai.

Tema: Indígenas e quilombolas. Origem: Discurso

16.mai.2022

“Hoje nós vemos estudos de fora do Brasil, inclusive, que o lockdown não salvou vidas, mas foi uma pancada na economia, como estamos vendo, e outra pancada na educação.”

Bolsonaro possivelmente se refere ao estudo publicado na SAE (Studies in Applied Economics) em janeiro de 2022, que apontava que as medidas de isolamento não teriam ajudado a salvar vidas na pandemia. O artigo, no entanto, foi contestado por diversos especialistas por ter priorizado estudos que conversavam com a sua hipótese e, sem critério técnico, excluído dados. Diferentemente do que sugere Bolsonaro e o estudo da SAE, há diversos artigos que mostram que a restrição de atividades econômicas ajudou na contenção de danos do novo coronavírus. Em julho de 2020, por exemplo, o British Medical Journal publicou uma pesquisa que mostra que medidas como o fechamento de escolas e locais de trabalho, interrupção no transporte público, restrições a aglomerações e bloqueio da circulação de pessoas causaram uma diminuição média de 13% na incidência de Covid-19 em 149 países ou regiões. Já a revista Nature publicou um estudo sobre o tema em dezembro de 2020 que analisou as medidas não farmacêuticas adotadas em 226 países. Os pesquisadores concluíram que as mais eficazes incluem fechar e restringir a maioria dos lugares onde as pessoas se reúnem por longos períodos de tempo (empresas, bares, escolas e assim por diante). Artigos publicados na Revista Brasileira de Epidemiologia e no The Brazilian Journal of Infectious Diseases também mostraram redução, em 2020, no ritmo de transmissão da doença em São Paulo e na ocupação de leitos em Fortaleza, respectivamente, após a adoção de medidas restritivas. Além das evidências apontadas em pesquisas, as medidas que favorecem o distanciamento social vêm sendo recomendadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como forma de reduzir a transmissão do Sars-CoV-2, vírus causador da Covid-19. A declaração, portanto, é FALSA.

FONTE ORIGEM

REPETIDA 9 VEZES. Em 2022: 28.fev, 03.mar, 17.mar, 12.abr, 16.abr, 29.abr, 12.mai, 13.mai, 16.mai.

Tema: Coronavírus, Economia. Origem: Discurso

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.