É falso que Zeca Pagodinho recebeu R$ 2 milhões em projeto via Lei Rouanet

Por Luiz Fernando Menezes

5 de maio de 2022, 18h43

Postagens que circulam nas redes sociais enganam ao compartilhar a reprodução de um site para dizer que o cantor Zeca Pagodinho recebeu R$ 2,2 milhões via Lei Rouanet (veja aqui). O valor que aparece na imagem foi captado pelo projeto “Zeca Pagodinho: Uma História de Amor ao Samba”, que é uma peça de teatro sobre o músico e que não conta com a sua participação. Pelo projeto, o cantor recebeu R$ 16,4 mil em direitos autorais.

Publicações com a alegação enganosa somavam ao menos 25 mil compartilhamentos no Facebook e centenas de curtidas no Instagram nesta quinta-feira (5).


Selo falso

Post engana ao dizer que Zeca Pagodinho recebeu R$ 2,19 milhões via Lei Rouanet

Uma montagem que mostra Zeca Pagodinho ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) circula ao lado de uma reprodução do site Versalic, da Secretaria de Cultura do governo federal, para dizer que o cantor recebeu R$ 2,19 milhões pela Lei Rouanet. A informação, entretanto, é falsa: a cifra se refere ao valor captado pelo musical “Zeca Pagodinho: Uma História de Amor ao Samba”, e não foi diretamente para o músico, que não participou da peça.

O projeto inspirado na vida do cantor foi proposto pela empresa Danneman Entretenimento, e o nome de Zeca Pagodinho não consta na ficha técnica do espetáculo. Contatada por Aos Fatos, a assessoria do artista afirmou que ele não participou da produção e recebeu apenas uma quantia relacionada aos direitos autorais de músicas suas usadas no espetáculo. Embora a assessoria não tenha mencionado o valor, o relatório fiscal da peça no Versalic mostra que foram pagos, no total, R$ 16.394,30 em direitos autorais.

Dados atestam que R$ 16,3 mil foram pagos a Zeca Pagodinho em direitos autorais

O release da peça e reportagens publicadas sobre o espetáculo em 2018 corroboram a nota da assessoria do artista. Na época, Zeca Pagodinho disse não ter participado da montagem e que fez apenas uma exigência aos produtores: que fosse incluído o personagem Baixinho, caseiro da família. Aos Fatos não encontrou outro projeto proposto por Zeca Pagodinho, seja com seu nome artístico ou com o real (Jessé Gomes da Silva Filho), na base de dados da Secretaria de Cultura.

Embora tenha dito recentemente que pensa em sair do Brasil caso a situação “continue como está”, Zeca Pagodinho não manifestou apoio a algum pré-candidato nas próximas eleições. Ao Aos Fatos, no entanto, sua assessoria disse que ele “sempre declarou sua simpatia, pela pessoa, pelo jeito de ser de Luiz Inácio [Lula da Silva]”.

A Agência Lupa e o Projeto Comprova também checaram essa peça de desinformação.

Referências:

1. Ministério da Cultura
2. Aos Fatos
3. Folha de S.Paulo (Fontes 1 e 2)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


Esta reportagem foi publicada de acordo com a metodologia anterior do Aos Fatos.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.