Vídeo que mostra garis entregando urnas no RJ é de 2018 e não prova fraude

Por Marco Faustino

22 de setembro de 2022, 19h02

O vídeo que mostra a distribuição de urnas eletrônicas por garis da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), no Rio de Janeiro, foi gravado em 2018 e não mostra uma irregularidade, como alegam postagens (veja aqui). O TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) afirmam que os funcionários estavam habilitados a distribuir os equipamentos, cuja entrega é acompanhada por servidores da Justiça Eleitoral e policiais militares.

Publicações com o contexto enganoso somavam centenas de compartilhamentos no Facebook nesta quinta-feira (22) e circulam também no Twitter, Instagram, Kwai, Helo e Gettr.


Selo falso

ENTREGA DE URNAS ELETRÔNICAS PELA EMPRESA DE LIMPEZA DA PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO (COMLURB). OLHA A FRAUDE EM TEMPO REAL. OLHA O ESQUEMA MONTADO

Posts difundem vídeo de 2018 que mostra garis entregando urnas em escola no Rio de Janeiro como se fosse indício de fraude, o que não procede.

Não é verdade que a entrega de urnas eletrônicas por funcionários da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana) no Rio de Janeiro é um indício de fraude eleitoral, como afirmam postagens. As imagens, gravadas em 2018 na Escola Municipal George Summer, mostra a distribuição do equipamento pelos funcionários que estava prevista em convênio entre o TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) e a companhia de limpeza urbana.

Na época, o TRE-RJ e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) afirmaram que os garis estavam devidamente habilitados a desempenhar tal atividade. Neste ano, a Comlurb confirmou ao Aos Fatos que transporta os equipamentos até os locais de votação, mas que isso é feito apenas no dia anterior à eleição, nos dois turnos, com acompanhamento de servidores da Justiça Eleitoral e de policiais militares. Após o fim do pleito, os garis recolhem as urnas e as devolvem ao tribunal eleitoral.

As urnas eletrônicas que serão usadas nas eleições deste ano ainda não foram distribuídas e estão sendo preparadas pelo TRE-RJ. Essa etapa deve durar até o dia 27 de setembro e consiste na inserção de dados nos equipamentos, testes de votação, lacração e posterior armazenagem em local designado pelo tribunal.

O convênio do TRE-RJ segue valendo para as eleições deste ano, segundo a corte informou ao Aos Fatos. Ele prevê “cessões gratuitas de pessoal para a distribuição e recolhimento de urnas nos finais de semana da eleição, bem como de veículos para fiscalização de propaganda e apoio logístico”.

Referências:

1. Facebook (TRE-RJ)
2. TSE
3. TRE-RJ (Fontes 1 e 2)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.