Não é verdade que vídeo comprova fraude eleitoral contra Le Pen na França

Compartilhe

Um vídeo que circula nas redes sociais não mostra votos para a candidata Marine Le Pen que teriam sido interceptados por policiais em um caminhão, evidenciando uma fraude nas eleições da França, como sustentam postagens nas redes (veja aqui). Os papéis são notas de dinheiro falsas que foram jogadas por manifestantes na rua em frente do comitê de Le Pen. O protesto era referente a um empréstimo de 9 milhões de euros feito por um banco russo ao partido da candidata da extrema-direita em 2014.

Postagens com a alegação enganosa somavam 13 mil compartilhamentos no Twitter e centenas de compartilhamentos no Facebook nesta quarta-feira (18).


Selo falso

A fraude ficou escancarada na França (...) que foi até transparente demais

Vídeo mostra protesto na França, não um caso de fraude eleitoral

É falso que o vídeo seria prova do desvio de votos que iriam para a candidata Marine Le Pen nas últimas eleições francesas. As imagens mostram uma abordagem policial a uma manifestação em frente ao comitê de campanha da política de extrema-direita, em 19 de abril de 2022. Os papéis mostrados são cédulas falsas de dinheiro em alusão a um empréstimo concedido por um banco theco-russo ao partido de Le Pen.

O protesto foi convocado pelo movimento antirracista SOS Racisme e pela União dos Estudantes Judeus da França, e registrado pela imprensa local. As notas falsas faziam referência aos 9 milhões de euros emprestados pelo First Czech-Russian Bank, banco sediado na Rússia que faliu em 2016, à Frente Nacional (atual Agrupamento Nacional), ao partido de Le Pen em 2014.

O vídeo fora de contexto teve origem em um canal em espanhol no Telegram, em 3 de maio de 2022, onde foi difundido com melhor qualidade de imagem. Assim, Aos Fatos identificou elementos gráficos nos papéis, como bandeiras da Rússia e da França, símbolos do euro e do rublo, moedas adotadas na União Europeia e na Rússia, respectivamente, e o termo “9 millions”.

O montante foi citado durante a campanha por Emmanuel Macron, adversário de Le Pen no segundo turno, para alegar a suposta relação da candidata com o governo de Vladimir Putin. Macron foi reeleito presidente da França em 24 de abril com 55,8% dos votos. Le Pen ficou em segundo lugar, com 41,45% do eleitorado.

Esta peça de desinformação também foi verificada pela Lupa.


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas