Vídeo não mostra manifestantes cimentando portões do Parlamento francês

Compartilhe

Não é verdade que manifestantes franceses fecharam o portão do Parlamento com cimento em um protesto recente contra os políticos do país, como alegam posts nas redes (veja aqui). As imagens que vêm sendo compartilhadas são de um ato de 2018, quando integrantes do movimento dos “coletes amarelos” depredaram o Conselho Regional localizado na cidade de Limoges ao protestar contra o aumento do preço do diesel.

O vídeo fora de contexto aparece em publicações no Facebook que acumulavam ao menos 25 mil compartilhamentos na tarde desta terça-feira (22) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


Circula nas redes sociais um vídeo em que manifestantes vestidos com coletes amarelos cimentam um portão. Segundo as publicações, as imagens mostrariam um protesto recente na França em que teriam fechado as entradas da Assembleia Nacional. O vídeo, no entanto, não é recente nem mostra um protesto na sede do Legislativo francês.

As imagens foram gravadas em novembro de 2018 em Limoges, cidade do sul da França. Na ocasião, os manifestantes, que faziam parte do movimento dos “coletes amarelos”, cimentaram o portão do Conselho Regional, uma espécie de assembleia deliberativa composta por 183 membros eleitos, e jogaram esterco na frente do local. Um vídeo do mesmo momento foi publicado pelo canal France 3:

Peças de desinformação semelhantes circularam nas redes francesas em novembro de 2018 para exagerar os impactos das manifestações que ocorreram no país. Na época, centenas de milhares de pessoas, algumas vestidas com coletes amarelos, foram às ruas para protestar contra o aumento do preço do diesel.

Hoje, além de circular nas redes brasileiras, a peça de desinformação também tem aparecido em outros países, como na Romênia.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas