Vídeo mostra muçulmanos celebrando feriado na Rússia, não vitória da esquerda na França

Compartilhe

Não é verdade que um vídeo mostra muçulmanos celebrando nas ruas a vitória da esquerda nas eleições para o Parlamento francês. O registro compartilhado pelas peças de desinformação foi feito em Moscou, na Rússia, em junho deste ano — antes, portanto, do resultado do pleito do último domingo (7) —, durante a celebração do feriado islâmico Eid al-Adha, ou Festa do Sacrifício.

Publicações com o conteúdo enganoso acumulavam centenas de compartilhamentos no X (ex-Twitter) até a tarde desta segunda-feira (8).

Comemoração da vitória da extrema esquerda francesa pelas ruas de país é algo que gera emoção. Uma emoção muito peculiar: MEDO!

Publicação engana ao afirmar que celebração islâmica gravada na Rússia teria acontecido em comemoração à vitória do bloco de esquerda na França


Publicações enganam ao associar à vitória da esquerda nas eleições francesas do último domingo (7) imagens que mostram muçulmanos rezando nas ruas. O vídeo usado pelas peças de desinformação circula nas redes ao menos desde 16 de junho deste ano (veja abaixo) e mostra a celebração do feriado islâmico Eid al-Adha nas ruas de Moscou.

Com base em registros do Google Maps, Aos Fatos verificou que o local mostrado no vídeo fica nos arredores da Mesquita da Catedral de Moscou (veja comparação abaixo).

Imagem comparativa de um frame do vídeo da publicação enganosa que mostra a Mesquita da Catedral de Moscou com a sua localização do Google Mapas.
Comparação. Análise comparativa confirma que as imagens usadas no vídeo desinformativo foram gravadas nos arredores da Mesquita da Catedral de Moscou, e não na França.

O feriado religioso celebra a obediência do profeta Abraão, que recebeu de Deus a ordem para executar o próprio filho, o profeta Ismael. A comemoração ocorre em todo décimo dia do mês da peregrinação (Hajj). Neste ano, a data de início foi 16 de junho.

Eleições parlamentares. O partido de extrema-direita Reunião Nacional, liderado por Marine Le Pen, tem uma plataforma anti-imigração e anti-islâmica. Defendendo essas pautas, a sigla venceu o primeiro turno das eleições parlamentares francesas na semana passada.

Em uma reviravolta eleitoral, a coalizão de esquerda Nova Frente Popular conseguiu reverter o quadro no segundo turno, disputado no último domingo (7). O grupo foi o mais votado e conquistou 182 assentos na Assembleia Nacional. Já o partido de Le Pen ficou em terceiro, com 143 parlamentares eleitos, atrás da coalizão governista do presidente Emmanuel Macron, que conquistou 168 cadeiras.

O caminho da checagem

Por meio de busca reversa, Aos Fatos verificou que o vídeo usado pelas peças desinformativas circulava nas redes ao menos desde o dia 16 de junho — e que não poderia, portanto, ter sido registrado no último domingo (7). Também foi feita uma comparação do monumento que aparece na peça desinformativa com registros do Google Maps, que indicaram que a filmagem foi feita em Moscou, na Rússia.

Compartilhe

Leia também

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

Ações clandestinas da ‘Abin paralela’ realçam violências reais

falsoIdosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

Idosa foi presa por tráfico, não por participar dos atos golpistas do 8 de Janeiro

falsoLula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores

Lula devolveu 423 presentes recebidos durante mandatos anteriores