Vídeo mostra igreja que foi depredada na Venezuela, não na Argentina

Por Priscila Pacheco

9 de setembro de 2021, 12h48

Não é verdade que foi gravado na Argentina recentemente um vídeo que mostra uma igreja católica que havia sido depredada, como alegam posts nas redes sociais (veja aqui). As imagens foram registradas em janeiro de 2019 na cidade de San Francisco, na Venezuela, após um grupo armado invadir o templo durante uma missa, quebrar objetos e agredir fiéis.

A peça de desinformação circulou no WhatsApp, onde não é possível medir com precisão o alcance, e no Facebook, onde reunia centenas de compartilhamentos nesta quinta-feira (9).


Não foi gravado na Argentina o vídeo que mostra uma imagem de Jesus Cristo sendo retirado do altar de uma igreja e vários objetos quebrados, diferentemente do que alegam as postagens checadas. O registro foi feito em janeiro de 2019 na cidade de San Francisco, na Venezuela, após um grupo armado invadir a missa, depredar o templo e agredir fiéis.

O narrador do vídeo indica que as imagens foram gravadas na Venezuela e que a imagem foi retirada do altar por receio de novos ataques. O registro original foi publicado na época pelo ex-deputado Julio Montoya, opositor do presidente Nicolás Maduro, no Instagram.

Segundo o jornal El Universal, o grupo invadiu a igreja Nossa Senhora de Guadalupe, no estado de Zulia, na manhã do dia 28 de janeiro. Uma imagem de Jesus Cristo foi derrubada, vitrais foram quebrados e 15 fiéis ficaram feridos. Ainda de acordo com o periódico, o caso teria sido uma represália do governo local porque o padre da paróquia permitiu uma reunião de opositores em um terreno próximo ao templo.

Aos Fatos não encontrou qualquer registro de caso semelhante na Argentina.

Esta peça de desinformação também foi checada pelo Boatos.org.

Referências:

1. Instagram Julio Montoya
2. El Universal

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.