🕐 ESTA REPORTAGEM FOI PUBLICADA EM Setembro de 2022. INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE TEXTO PODEM ESTAR DESATUALIZADAS OU TEREM MUDADO.

Vídeo mostra bandeira do PT sendo queimada em 2013, não recentemente

Por Bruna Leite

28 de setembro de 2022, 18h27

Um vídeo em que manifestantes rasgam e queimam uma bandeira do PT não é atual nem foi gravado em Salvador, como afirmam posts nas redes (veja aqui). As imagens foram registradas em junho de 2013, durante manifestações na avenida Paulista, em São Paulo, em que militantes do PT foram hostilizados por ativistas contrários ao partido.

Até esta quarta-feira (28), a desinformação alcançou mais de 5.000 visualizações e centenas de compartilhamentos no Facebook.


Selo falso

Manifestantes na Bahia queimam bandeira do PT
Postagem engana ao dizer que vídeo de manifestação na avenida. Paulista em 2013 foi feito na Bahia em 2022

É falso que um vídeo que mostra manifestantes rasgando e queimando a bandeira do PT foi gravado recentemente em Salvador. As cenas foram registradas durante os protestos de junho de 2013 na avenida Paulista, em São Paulo, organizados pelo Movimento Passe Livre.

Um vídeo que mostra cenas presentes na peça desinformativa, como a queima da bandeira diante de um homem com a máscara de Guy Fawkes, aparecem em um vídeo que circula pelo menos desde 2018. Registros feitos de outros ângulos, como uma reportagem do G1 e imagens publicadas no YouTube, atestam que a gravação foi feita em 20 de junho de 2013.

No vídeo, manifestantes ecoam gritos como “sem partido” e “abaixa a bandeira”. Na manifestação daquele dia, na avenida Paulista, houve tensão entre militantes petistas que participaram das mobilizações e ativistas contrários ao partido. Esta também foi a razão pela qual foi queimada a bandeira do PT, partido da então presidente Dilma Rousseff (PT).

O vídeo também foi verificado pela AFP e pelo Estadão Verifica.

Referências:

1. Folha de S.Paulo
2. UOL (1 e 2)
3. G1 (1 e 2)
4. YouTube
5. AFP
6. Estadão Verifica



Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.