Vídeo do JN de 2020 sobre ‘fique em casa’ é editado para excluir ‘para quem pode’

Por Bruna Leite

25 de agosto de 2022, 18h53

Um vídeo que circula nas redes foi editado para cortar as palavras “para quem pode” de uma fala em que a apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos, pede para os espectadores ficarem em casa (veja aqui). As peças desinformativas foram feitas a partir de uma edição de março de 2020 do telejornal. Os conteúdos dão a entender, de forma falsa, que Vasconcellos se contradisse na entrevista com o presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), ao afirmar que as recomendações de isolamento no início da pandemia de Covid-19 não eram para todos.

Na quinta-feira (25), o vídeo contava com 2.456 retuítes e 72 mil curtidas no Instagram.


Selo falso

Renata mentiu [na entrevista com Bolsonaro]

Print de vídeo viral com a apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos, e legenda enganosa

Um vídeo que circula nas redes sociais engana ao afirmar que a jornalista Renata Vasconcellos “mentiu” durante entrevista com o presidente Jair Bolsonaro (PL), na segunda-feira (22), ao dizer que a recomendação de isolamento no início da pandemia de Covid-19 era para que as pessoas ficassem em casa caso pudessem. Para embasar a alegação, o influenciador Bernardo Küster publicou trecho editado do Jornal Nacional de março de 2022 em que as palavras “para quem pode” são cortadas.

O vídeo desinformativo começa com um trecho da entrevista de segunda em que Vasconcellos comenta: “Candidato, mas as medidas socioeconômicas importantíssimas, elas foram adotadas por governos no mundo inteiro justamente para sustentar o fique em casa no pico da pandemia, fique em casa se puder, para que as pessoas pudessem proteger a própria vida e, ao mesmo tempo, receber o amparo econômico, para evitar o colapso dos hospitais, aliás, como nós vimos em Manaus, pessoas morrendo com falta de oxigênio por um erro de logística e gestão do seu ministro da Saúde”.

Na sequência, Küster questiona: “Será que ela disse ‘se puder’ ou só ‘fique em casa’?” Em seguida, é inserido um recorte do editorial do jornal que foi ao ar em 23 de março de 2020, início da pandemia no país. O trecho editado faz crer que a apresentadora disse: “Além dos cuidados com a higiene, o principal pedido hoje é ficar em casa, até que venha a orientação para sair”.

Na versão original, sem cortes e edição, ela diz: “Além dos cuidados com a higiene, o principal pedido hoje é, para quem pode, ficar em casa, até que venha a orientação para sair. Mas é claro que alguns profissionais não podem cumprir essa ordem. Porque fazem um trabalho essencial e não podem parar.”

No fim da peça desinformativa, o autor mostra um vídeo publicado no dia 29 de março de 2020 pelo apresentador Serginho Groisman, em que diversos artistas pedem para que as pessoas fiquem em casa. Sobre as imagens, aparece a legenda “Renata mentiu”.

O Aos Fatos entrou em contato com Bernardo Küster, mas não teve resposta. Esta postagem também foi checada pela Agência Lupa.

Referências:

1. Escriba
2. Jornal Nacional
3. Instagram Serginho Groisman


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.