Vídeo de fazenda de sul-coreanos no Brasil é atribuído em posts a propaganda chinesa

Compartilhe

Não é verdade que um vídeo que circula nas redes sociais seja uma propaganda chinesa que exalta a dominação do país asiático sobre o Brasil, como alegam postagens (veja aqui). A gravação é uma produção institucional da fazenda de alimentos orgânicos Doalnara Oásis, administrada por sul-coreanos e com unidades em São Paulo e na Bahia.

Publicações com o conteúdo enganoso somavam ao menos centenas de compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (31).


Selo falso

Propaganda chinesa que está sendo veiculada na Alemanha

Vídeo institucional da Fazenda Doalnara Oásis, que pertence sul-coreanos

Não se trata de uma propaganda chinesa o vídeo que tem circulado nas redes sociais com o argumento de que o país asiático está “dominando o Brasil”. As cenas são de um vídeo institucional em alemão que mostra um empreendimento agrícola de sul-coreanos em São Paulo e na Bahia, a Fazenda Doalnara Oásis.

Aos Fatos verificou a origem do vídeo ao pesquisar em mecanismos de busca pela frase em alemão “Dies ist Doalnara Oasis-Farm” (“Isso é a Fazenda Doalnara Oásis”), que aparece no canto superior da filmagem. O vídeo institucional está disponível no YouTube (veja abaixo), com o título e a descrição também em alemão, e é possível ver as cenas usadas na peça desinformativa a partir do minuto 5”27.

O empreendimento agrícola sul-coreano se estabeleceu no Brasil entre 2009 e 2010 com a aquisição de quatro fazendas em São Paulo e na Bahia. A empresa informa que tem 14 mil hectares destinados ao cultivo de alimentos orgânicos.

Em 2018, mais de 600 pessoas viviam nas fazendas pertencentes à Doalnara no Brasil, segundo a Deutsche Welle. A empresa Doalnara está presente desde 1994 em Coreia do Sul, EUA, Reino Unido, Japão, Rússia, Quênia, Filipinas, e também na China.


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas