Vídeo de fazenda de sul-coreanos no Brasil é atribuído em posts a propaganda chinesa

Por Marco Faustino

31 de janeiro de 2022, 18h48

Não é verdade que um vídeo que circula nas redes sociais seja uma propaganda chinesa que exalta a dominação do país asiático sobre o Brasil, como alegam postagens (veja aqui). A gravação é uma produção institucional da fazenda de alimentos orgânicos Doalnara Oásis, administrada por sul-coreanos e com unidades em São Paulo e na Bahia.

Publicações com o conteúdo enganoso somavam ao menos centenas de compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (31).


Selo falso

Propaganda chinesa que está sendo veiculada na Alemanha

Vídeo institucional da Fazenda Doalnara Oásis, que pertence sul-coreanos

Não se trata de uma propaganda chinesa o vídeo que tem circulado nas redes sociais com o argumento de que o país asiático está “dominando o Brasil”. As cenas são de um vídeo institucional em alemão que mostra um empreendimento agrícola de sul-coreanos em São Paulo e na Bahia, a Fazenda Doalnara Oásis.

Aos Fatos verificou a origem do vídeo ao pesquisar em mecanismos de busca pela frase em alemão “Dies ist Doalnara Oasis-Farm” (“Isso é a Fazenda Doalnara Oásis”), que aparece no canto superior da filmagem. O vídeo institucional está disponível no YouTube (veja abaixo), com o título e a descrição também em alemão, e é possível ver as cenas usadas na peça desinformativa a partir do minuto 5”27.

O empreendimento agrícola sul-coreano se estabeleceu no Brasil entre 2009 e 2010 com a aquisição de quatro fazendas em São Paulo e na Bahia. A empresa informa que tem 14 mil hectares destinados ao cultivo de alimentos orgânicos.

Em 2018, mais de 600 pessoas viviam nas fazendas pertencentes à Doalnara no Brasil, segundo a Deutsche Welle. A empresa Doalnara está presente desde 1994 em Coreia do Sul, EUA, Reino Unido, Japão, Rússia, Quênia, Filipinas, e também na China.

Referências:

1. Fazenda Doalnara Oásis
2. YouTube
3. DW


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.