Vídeo de saque a supermercado foi gravado em Honduras em 2017, não no Brasil

Por Luiz Fernando Menezes

27 de março de 2020, 14h08


Um vídeo que mostra o saque a um supermercado chamado Despensa Familiar não foi gravado no Brasil nem tem relação com a pandemia da Covid-19, ao contrário do que afirmam publicações que circulam em redes sociais. As imagens, registradas em dezembro de 2017, mostram uma ação de manifestantes na cidade de San Pedro Sula, em Honduras, quando o país vivia uma onda de protestos por causa do resultado das eleições presidenciais realizadas um mês antes.

O vídeo, que tem sido difundido como se mostrasse a reação de um grupo de brasileiros ao isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (veja aqui), foi compartilhado no Twitter, Youtube e Facebook. Nesta última, as publicações já acumulavam mais de 30 mil compartilhamentos até sexta-feira (27). Todas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (entenda como funciona).


FALSO

O vídeo de um saque em um supermercado vem circulando nas redes como se mostrasse pessoas desesperadas por causa do isolamento social do coronavírus no Brasil. As imagens já foram compartilhadas como se mostrasse um crime ocorrido em Lençóis Paulista (SP), Cupira (PE), ou apenas com a indicação de que ocorreram no interior paulista ou no Nordeste brasileiro. O vídeo, no entanto, foi gravado em Honduras e não tem relação com a pandemia do novo coronavírus.

Ao realizar uma busca reversa, Aos Fatos encontrou as mesmas imagens publicadas no Youtube em dezembro de 2017. O título, na época, indicava que o crime tinha ocorrido na cidade de San Pedro Sula, em Honduras.

Outros indícios apontam que o material foi gravado no país da América Central: como é possível verificar no próprio vídeo, a moeda que aparece no anúncio tem o símbolo “L”, de lempira hondurenha, e o supermercado saqueado se chama Despensa Familiar. A rede faz parte do grupo Walmart , que não tem presença no Brasil desde outubro de 2019, quando a multinacional passou para o Grupo BIG.

Em nota enviada ao Aos Fatos, a rede Walmart disse que o vídeo "não é recente e não deveria estar sendo compartilhado atualmente, uma vez que é fake news". A assessoria afirmou ainda que irá contatar as pessoas que publicaram as imagens para retirá-las do ar.

Em dezembro de 2017, parte da população hondurenha protestava contra o que consideravam “fraude eleitoral”. Naquele ano, tanto o presidente Juan Orlando Hernández (Partido Nacional de Honduras) quanto o adversário Salvador Nasralla (Aliança da Oposição contra a Ditadura) reivindicaram a vitória do pleito, mas foi Hernández que continuou no poder. O resultado gerou diversas manifestações no país, confrontos com a polícia e saques em lojas e supermercados, entre eles unidades da Despensa Familiar.

Referências:

1. Walmart (Fontes 1 e 2)
2. UOL
3. O Globo
4. La Tribuna.hn


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.