🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Vídeo de policiais invadindo o Congresso Nacional é de 2017

Por Luiz Fernando Menezes

23 de abril de 2020, 17h16

Não é verdade que policiais federais, civis e militares tenham invadido recentemente o Congresso Nacional após descobrir um suposto esquema de parlamentares para causar um rombo nas contas públicas do país. O vídeo que tem sido compartilhado nas redes juntamente com essa desinformação foi gravado em 2017 e mostra um protesto de dezenas de policiais contra a reforma da Previdência que, naquela época, incluía os agentes de segurança.

A peça de desinformação vem circulando principalmente no WhatsApp, por onde foi enviada por leitores do Aos Fatos (inscreva-se aqui). Publicações semelhantes também foram encontradas no Facebook e marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Policiais federais, civis e militares invadiram o congresso nacional hoje e a mídia ficou caladinha.

Um vídeo que mostra policiais invadindo o Congresso Nacional tem sido difundido por publicações que afirmam que a polícia teria descoberto um plano de deputados para cortar a aposentadoria de pensionistas, causar um rombo nas contas públicas e levar o Brasil ao caos. No entanto, as imagens foram gravadas no dia 8 de fevereiro de 2017, quando agentes de segurança pública invadiram o prédio do Legislativo para protestar contra a reforma da Previdência que tramitava à época.

Naquele momento, o texto incluía policiais civis e federais em uma nova regra, que, mais tarde, foi retirada da reforma. Em busca reversa pelas imagens compartilhadas pelas peças de desinformação, é possível encontrar o vídeo no Youtube desde fevereiro de 2017.

Os policiais não protestaram na Câmara dos Deputados apenas naquele mês. Em abril de 2017, foi noticiado que cerca de mil agentes de segurança invadiram novamente o Congresso para se manifestar mais uma vez contra a reforma.

Referências:

1. Câmara dos Deputados
2. Aos Fatos
3. G1


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.