Vídeo de perfuração de poço artesiano em Caicó (RN) é de 2015, não atual

Compartilhe

Vem circulando nas redes sociais (veja aqui) um vídeo que mostra a perfuração de um poço artesiano em Caicó (RN) como se fosse uma obra recente do Exército, o que não é verdade. As imagens foram feitas em 2015, quando, de fato, os militares estiveram à frente dos trabalhos na cidade, mas agora são disseminadas sem mencionar a data original.

A peça de desinformação conta com ao menos 146.100 compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (28) e foi marcada com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


O exército brasileiro encontrou água em Caicó (RN), zona mais seca do nordeste. Abastecerá 3.000 famílias. Vamos divulgar porque a mídia lixo não faz.

Não é atual, mas de 2015, um vídeo que circula nas redes sociais mostrando a perfuração de um poço artesiano na cidade de Caicó, no interior do Rio Grande do Norte. Sem mencionar a data nem as circunstâncias da gravação original, as postagens enganam ao sugerir que a obra do Exército seria recente.

Além de o vídeo ter sido publicado em canais no YouTube (veja aqui e aqui) em 2015, sites locais também divulgaram o evento (veja aqui, aqui e aqui) naquele ano. As imagens mostram o momento em que o 1º BEC (Batalhão de Engenharia de Construção) perfura o poço no local do antigo Hospital Milton Marinho.

Peças de desinformação trazendo o vídeo fora de contexto começaram a circular em 2019. Na época, Aos Fatos checou postagens enganosas que atribuíam ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido), a abertura de 200 poços artesianos no Nordeste. Aos Fatos não encontrou notícias de ações do Exército realizadas em Caicó naquele ano.

A Agência Lupa também checou o vídeo.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas