🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Vídeo de menina ateando fogo não tem relação com incêndio em supermercado em Campo Grande

Por Luiz Fernando Menezes

18 de setembro de 2020, 13h37

Não é verdade que o incêndio em uma filial da rede de supermercados Atacadão em Campo Grande (MS) no domingo (13) foi causado por uma criança que ateou fogo em uma das prateleiras. O vídeo que mostra a menina iniciando um incêndio (veja aqui) foi gravado em 2018 em Niterói (RJ). Até o momento, não se sabe a causa do fogo no estabelecimento da capital sul-mato-grossense.

Postagens com a falsa atribuição do vídeo acumulavam ao menos 2.400 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta sexta-feira (18) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


FALSO

Três vídeos estão sendo compartilhados em conjunto para sugerir que o incêndio que atingiu uma filial da rede Atacadão em Campo Grande (MS) no domingo (13) teria sido causado por uma menina. Porém, a gravação em que a criança ateia fogo à prateleira de um supermercado foi gravado há dois anos em Niterói (RJ).

As imagens foram gravadas em outubro de 2018 num estabelecimento da rede Assaí do município fluminense. Segundo o JD1 Notícias, a criança teria acendido um fósforo perto de frascos de álcool em gel. O fogo foi logo controlado e não chegou a atingir todo o supermercado.

Os outros dois vídeos que circulam junto a esse de fato mostram chamas que atingiram o Atacadão em Campo Grande. Um deles foi gravado dentro do estabelecimento e registra um dos funcionários tentando apagar o fogo com uma mangueira. O Aos Fatos não encontrou o segundo vídeo por meio de busca reversa, mas as próprias imagens atestam que se trata de um registro do incêndio do último domingo.

Ainda não se sabe a causa do incêndio que atingiu o supermercado, mas o delegado responsável pelo caso afirmou não descartar a hipótese de que tenha sido criminoso. Na tarde da última quinta-feira (17), a Polícia Civil requisitou as imagens das câmeras do Atacadão para apurar a conduta dos funcionários no dia do desastre.

O Boatos.org e a Agência Lupa também checaram as peças de desinformação.

Referências:

1. G1
2. JD1 Notícias
3. MS Notícias

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.