Vídeo de briga entre ambulantes e fiscais em SP é antigo e não tem relação com isolamento

Por Luiz Fernando Menezes

18 de maio de 2020, 13h49


Um vídeo que mostra uma briga entre fiscais de uma subprefeitura de São Paulo e vendedores ambulantes não é recente nem tem relação com a pandemia do novo coronavírus, como afirmam publicações nas redes sociais (veja aqui). Segundo a peça de desinformação, a confusão teria sido causada após os fiscais tentarem fechar o comércio do bairro. No entanto, o vídeo foi gravado em setembro de 2019, e a briga começou após a apreensão de um carrinho com bebidas alcoólicas.

A gravação com o falso contexto circulou no começo de maio no Facebook e foi republicada pelo pastor Silas Malafaia no último sábado (16) em sua conta no Twitter. Na primeira rede social, o vídeo descontextualizado tem sido difundido em páginas e perfis pessoais e acumulava mais de 40 mil compartilhamentos até a tarde desta segunda-feira (18). Todas as postagens foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Um vídeo em que diversas pessoas agridem fiscais no bairro Santa Ifigênia, na capital paulista, tem circulado nas redes como se mostrasse uma reação de vendedores ambulantes ao fechamento do comércio devido às medidas de isolamento determinadas pela prefeitura e pelo governo do estado no combate à Covid-19. As imagens, no entanto, foram registradas em setembro de 2019, antes do começo da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Conforme noticiado pelo Bom Dia SP, o vídeo mostra uma briga entre ambulantes e fiscais da subprefeitura da Sé. Segundo a reportagem, a confusão teria sido iniciada após a apreensão de um carrinho de um ambulante que vendia bebidas alcoólicas e deixou dois fiscais feridos. Ninguém foi detido.

As imagens foram compartilhadas com um falso contexto pelo pastor Silas Malafaia em seu Twitter no último sábado (16). Aos Fatos entrou em contato com Malafaia para que ele pudesse comentar a checagem, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem.

Fechamento do comércio. A peça de desinformação faz parte de uma narrativa alimentada pelo presidente Jair Bolsonaro que responsabiliza governadores e prefeitos pelos impactos econômicos das medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus. No estado de São Paulo, tais medidas foram decretadas no dia 24 de março e prorrogadas diversas vezes. Até o momento, elas são válidas até o dia 31 de maio. Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo nesta segunda-feira (18), no entanto, o governador João Doria (PSDB) indicou que pode ser decretado o lockdown (isolamento total) caso as medidas de distanciamento atuais não sejam respeitadas e o sistema de saúde do estado fique na iminência de um colapso.

Referências:

1. Globo Play
2. G1 (Fontes 1 e 2)
3. Aos Fatos
4. Veja
5. Estadão


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.