Vídeo engana ao afirmar que condomínio da CDHU seria obra do governo Bolsonaro

Por Priscila Pacheco

4 de fevereiro de 2022, 18h30

É enganosa a comparação entre dois conjuntos habitacionais em Santo André (SP) feita por um homem em vídeo que circula nas redes sociais (veja aqui). Isso porque: 1) o condomínio mais novo foi construído pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), órgão do estado de São Paulo, e não recebeu recursos do governo Bolsonaro; 2) o empreendimento mais antigo mostrado na gravação não é da Era Lula (2003-2010), mas de 2015, da gestão Dilma Rousseff (PT), e foi uma obra federal, não estadual.

O vídeo reunia ao menos centenas de compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (4) e também tem sido compartilhado no WhatsApp (fale com a Fátima).


Selo falso

Olha só como é que é o CDHU na era Lula. Na era Lula. Olha lá a diferença. Aí estão construindo aqui. Vão fazer mais umas duas torres. Isso na era PT. Na gestão do Bolsonaro, olha o CDHU como é que é. Que beleza. Seus esquerdistas f*****. Olha a diferença. Tem quadra, tem parquinho. Do outro lado tem piscina. Garagenzinha, portão automático. Eu tô no sétimo andar. Ali era PT. E aqui na gestão do Bolsonaro. CDHU também. Isso aqui é CDHU. Quem é de São Paulo sabe o que é isso. Era Bolsonaro. E ali na gestão PT.

Vídeo faz comparação enganosa entre conjuntos habitacionais

Não procede a comparação feita em vídeo entre dois conjuntos habitacionais de Santo André (SP) como se o mais recente e moderno fosse mérito do governo de Jair Bolsonaro (PL), e o mais antigo, obra de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na verdade, os prédios brancos e cinza mostrados no vídeo, mais atuais, são obra do estado de São Paulo, sem verba federal. Os prédios de cor laranja e bege, descritos como da “era Lula”, foram inaugurados em 2015, na gestão de Dilma Rousseff (PT).

A CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), mencionada na peça desinformativa, é uma empresa do governo de São Paulo vinculada à Secretaria de Habitação. Ela foi responsável pela construção do condomínio Santo André K, o mais novo. O empreendimento começou a ser construído em outubro de 2018 e foi entregue em dezembro de 2021. O custo de R$ 34,4 milhões foi totalmente bancado pela CDHU, conforme informou a assessoria de imprensa da empresa pública.

O Conjunto Procópio Ferreira, mais antigo, foi entregue em 2015, na gestão de Dilma Rousseff, e construído pela prefeitura com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do governo federal.

Aos Fatos não identificou o autor do vídeo nem a data da gravação, mas é possível verificar que a filmagem ocorreu quando alguns prédios do Santo André K ainda estavam em construção.

Referências:

1. CDHU (Fontes 1, 2 e 3)
2. Prefeitura de Santo André
3. Consórcio ABC
4. Abc do Abc
5. Diário do Grande ABC


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.