Vídeo que mostra agressão a funcionário dos Correios não foi gravado em ato bolsonarista

Por Marco Faustino

3 de maio de 2022, 13h19

Não foi gravado em uma das manifestações bolsonaristas de 1º de maio de 2022 um vídeo que mostra um funcionário dos Correios sendo agredido por um homem e uma mulher, como afirmam postagens (veja aqui). As imagens foram registradas em novembro de 2019, em Vitória (ES), durante um protesto de policiais civis por melhores salários.

Publicações que difundem o conteúdo enganoso somavam 2.500 curtidas no Instagram e dezenas de compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (3).


Selo falso

Em ato pró-Bolsonaro, trabalhador dos @correiosoficial é desrespeitado, humilhado e agredido pelos bolsonaristas. No #diadotrabalhador, é importante lembrar que o Bolsonarismo NÃO está do nosso lado! #diadotrabalho!

Funcionário dos Correios foi hostilizado em novembro de 2019, não em ato bolsonarista do Dia do Trabalho

Foi gravado em 25 de novembro de 2019, não em um dos atos bolsonaristas de domingo (1º), um vídeo que mostra uma agressão a um funcionário dos Correios na rua. As cenas foram registradas durante um protesto de policiais civis em Vitória (ES). Na ocasião, os agentes se reuniram na Avenida Nossa Senhora da Penha para reivindicar melhores salários e condições de trabalho, segundo o portal G1.

Na gravação, um policial segura o braço do entregador dos Correios, que está sobre uma moto da empresa, e diz de maneira agressiva: “Cala a boca, eu não quero te ouvir mais”. Em seguida, uma agente tenta tirar o celular da mão da pessoa que grava a cena.

Entidades representativas dos policiais civis do Espírito Santo alegaram que o funcionário dos Correios teria tentado atropelar os manifestantes, o que foi negado por ele em entrevista ao jornal A Gazeta. O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Espírito Santo chamou de “covardia” a atitude dos policiais.

Aos Fatos não localizou registro de agressão similar no ato bolsonarista do último Dia do Trabalho em Vitória.

Referências:

1. G1 (Fontes 1, 2 e 3)
2. A Gazeta (Fontes 1 e 2)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.