Vídeo mostra abordagem da polícia a torcedores do Sport, não a saqueadores de supermercado

Por Luiz Fernando Menezes

5 de abril de 2022, 16h13

Não é verdade que um vídeo que circula nas redes sociais mostre a prisão de homens que iam a Fortaleza (CE) para saquear supermercados, como afirmam postagens (veja aqui). As imagens são de uma vistoria da Polícia Militar a um ônibus de torcedores do Sport. O grupo viajou para a capital cearense para a partida entre o time pernambucano e o Fortaleza pela final da Copa do Nordeste, no domingo (3). Segundo a corporação, nada de ilícito foi encontrado no veículo ou com seus passageiros.

Publicações com o falso contexto do vídeo reuniam centenas de compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (5) e também circulam no WhatsApp, onde foram enviadas ao Aos Fatos como sugestão de checagem (fale com a Fátima).


Selo falso

Foram presos a caminho de Fortaleza para realizarem saques nos supermercados, mas foram interceptados pelo batalhão da PM a tempo de evitar o vandalismo (...)

Polícia revista torcedores do Sport antes do jogo contra Fortaleza

Postagens tiram de contexto um vídeo em que policiais militares revistam dezenas de torcedores do Sport na estrada e o compartilham como se fosse o registro da prisão de pessoas que pretendiam saquear supermercados em Fortaleza (CE).

Ao Aos Fatos, a Polícia Militar do Ceará afirmou que a publicação é falsa e que o vídeo mostra uma vistoria de rotina feita em dias de jogo. “O fato se trata de uma abordagem feita a torcedores que estavam se deslocando para o último jogo de futebol que aconteceu na Arena Castelão. Os torcedores foram vistoriados e escoltados até o estádio. Nada de ilícito foi encontrado”, afirma trecho da nota da corporação.

No último domingo (3), Sport Recife e Fortaleza se enfrentaram na Arena Castelão para decidir a final da Copa do Nordeste. O time cearense venceu por 1 a 0, com gol de Yago Pikachu, e conquistou o título.

Após o jogo, o estádio foi palco de uma confusão entre torcedores do Sport e a polícia, em que foram usadas bombas de efeito moral e tiros de bala de borracha. A torcida rubro-negra foi impedida de deixar o local por cerca de duas horas após o jogo para evitar confrontos.

Referências:

1. UOL
2. Globo Esporte


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


Esta reportagem foi publicada de acordo com a metodologia anterior do Aos Fatos.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.