🕐 ESTA REPORTAGEM FOI PUBLICADA EM Novembro de 2022. INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE TEXTO PODEM ESTAR DESATUALIZADAS OU TEREM MUDADO.

Vídeo de 2017 em que PM apoia Mourão e pede golpe militar volta a circular como se fosse atual

Por Bruna Leite

8 de novembro de 2022, 12h11

Não é recente e nem tem relação com o atual cenário político um vídeo em que um policial defende golpe militar e concorda com Hamilton Mourão (Republicanos-RS), atual vice-presidente e senador eleito. As cenas foram gravadas em 2017, logo após Mourão, então general da ativa do Exército, falar em uma “ação militar” contra o “problema político” da época. O policial que aparece nas imagens é Carlos Eduardo Belelli, posteriormente detido sob acusação de integrar um grupo de extermínio. Ele foi solto e concorreu a prefeito de Caldas Novas (GO) em 2020.

Até esta segunda-feira (7), a publicação desinformativa já havia alcançado 2 milhões de visualizações e 53 mil compartilhamentos no Facebook.


Selo falso

Informação importante das forças armadas.

Reprodução de publicação desinformativa tirada de contexto, na qual o coronel tenente Belelli apoia intervenção militar

Um vídeo em que um policial concorda com Hamilton Mourão (Republicanos), atual vice-presidente e senador eleito pelo Rio Grande do Sul, não é recente nem tem relação com o atual cenário político nacional. O homem que aparece nas imagens é Carlos Eduardo Belelli, tenente-coronel da Polícia Militar de Goiás, e o vídeo foi gravado em 2017, após Mourão — então general da ativa — dizer em uma palestra que acreditava em uma ação militar contra a corrupção na política.

Em fevereiro de 2018, Mourão foi para a reserva do Exército e assumiu a presidência do Clube Militar, no Rio de Janeiro, até se candidatar a vice-presidente pelo PRTB na chapa vitoriosa das eleições daquele ano, liderada por Jair Bolsonaro, então no PSL.

No mesmo ano, Belelli se candidatou a deputado estadual pelo PR de Goiás e não se elegeu. Em 12 de dezembro daquele ano, o tenente-coronel foi preso em uma investigação sobre um grupo de extermínio da Polícia Militar. Ele foi liberado no ano seguinte. Em 2020, Belelli concorreu à Prefeitura de Caldas Novas (GO) pelo PSL, mas ficou na terceira colocação e não se elegeu.

Hoje senador eleito, Mourão se manifestou contrário a um golpe militar. No dia 2 de novembro, o vice-presidente afirmou que tal ação colocaria o Brasil “em uma situação difícil” perante a comunidade internacional.

Agora querem que as Forças Armadas deem um golpe e coloquem o País numa situação difícil perante a comunidade internacional.

As manifestações ordeiras, em justa indignação, são bem vindas. Vemos nelas famílias, idosos, crianças…todos pessoas de bem.

Referências:

1. Facebook
2. Folha de S.Paulo (1 e 2)
3. Governo Federal
4. Correio Brasiliense
5. G1 (1 e 2)

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.