Vídeo de 2016 é editado para fazer crer que Lula disse que só Bolsonaro ganha dele

Por Priscila Pacheco

15 de julho de 2022, 18h58

É falso que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que somente o presidente Jair Bolsonaro (PL) é capaz de ganhar dele no Brasil, conforme fazem crer postagens nas redes sociais (veja aqui). O vídeo é uma montagem a partir de um discurso feito pelo petista em setembro de 2016. Na versão sem edição, Lula diz que tem uma história pública conhecida no país e que só Jesus Cristo ganharia dele nesse quesito. O vídeo foi manipulado para substituir o nome de Jesus Cristo pelo de Bolsonaro.

O vídeo adulterado conta com ao menos 3.970 visualizações no Instagram nesta sexta-feira (15).


Selo falso

Só ganha de mim aqui no Brasil Bolsonaro. Só!

Trata-se de uma montagem o vídeo de cinco segundos em que o ex-presidente Lula afirma que só quem ganha dele no Brasil é Bolsonaro. Na gravação original, feita em 15 de setembro de 2016, Lula comenta que tem uma carreira pública conhecida e que só Jesus Cristo ganharia dele em popularidade no país. Na versão que circula no Instagram, o nome de Jesus é substituído pelo de Bolsonaro.

A frase foi dita pelo petista em pronunciamento após denúncia apresentada pelo MPF (Ministério Público Federal) contra ele, sua então esposa Marisa Letícia (1950–2017) e outras seis pessoas no caso da Operação Lava Jato. A fala completa foi a seguinte:

“Eu tô falando como cidadão indignado. Como pai de cinco filhos, como avô de sete netos e como, acho que futuro bisavô, porque minha neta resolveu ficar grávida. Eu tenho uma história pública conhecida. Acho que só ganha de mim aqui no Brasil Jesus Cristo. Só! Porque, pense, um cabra conhecido e marcado nesse país. Foi assim no sindicato. Foi assim no PT”, disse no evento, que ocorreu no diretório do PT em São Paulo.

O trecho pode ser visto a partir de 40 minutos e 41 segundos no vídeo original, disponível no YouTube.



A citação sobre Jesus Cristo, inclusive, foi destacada pela mídia naquele dia. Lula não mencionou o nome de Bolsonaro em nenhum momento durante o discurso.

Referências:
1. G1 (1, 2)

2. TVT

3. Jornal do Comercio

4. Uol

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.