Vereadora do PSOL em Vitória corrigiu fala sobre derrota de Lula na eleição

Por Marco Faustino

26 de julho de 2022, 18h28

Um vídeo em que a vereadora Camila Valadão (PSOL), da Câmara Municipal de Vitória, fala que as pesquisas indicam a derrota do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) circula fora de contexto nas redes sociais (veja aqui). Ela de fato afirmou que as pesquisas indicavam a derrota de Lula, mas se corrigiu segundos depois: disse que os levantamentos mostram vitória do ex-presidente contra o atual mandatário, Jair Bolsonaro (PL).

Publicações que omitem o contexto original do vídeo somavam 21 mil curtidas no Instagram e centenas de shares no Facebook nesta terça-feira (26).


Selo não é bem assim

Vereadora Camila Valadão diz que as pesquisas eleitorais indicam a derrota de Lula

Posts fazem crer que a vereadora Camila Valadão (PSOL-ES) admitiu derrota de Lula; registro, no entanto, omite que se trata de um ato falho

A declaração da vereadora Camila Valadão (PSOL), de Vitória, de que as pesquisas eleitorais mostram a derrota de Lula na disputa à Presidência da República, difundida nas redes sociais, foi na verdade um ato falho. O vídeo que circula omite uma fala subsequente da vereadora em que ela se corrige e diz que as pesquisas mostram, na verdade, a derrota de Bolsonaro para Lula.

O trecho tirado de contexto foi dito pela vereadora durante sessão da Câmara Municipal de Vitória na última segunda-feira (25), transmitida ao vivo no YouTube. Aos 34 minutos, Valadão diz:

“Meu corpo estará nas ruas e nas lutas para essa missão. As pesquisas eleitorais já indicam a derrota eleitoral de Lula, então seguiremos na batalha para que isso de fato se concretize.” A vereadora, no entanto, se corrige logo em seguida: “(...) de Bolsonaro, troquei. Derrota de Bolsonaro e vitória de Lula. É o que as pesquisas dizem”. Essa última afirmação não aparece na publicação checada.

Lula lidera a maioria das pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República feitas até o momento da publicação desta checagem. O agregador do Estadão, que usa dados de 14 institutos, aponta uma média de 45% para o petista, ante 31% de Bolsonaro; o UOL, que considera 20 institutos, coloca o ex-presidente com 43% e o atual mandatário com 32%. Os cálculos não são uma média do valor absoluto dos resultados, pois dão pesos diferentes para os institutos de pesquisa, com base em critérios de qualidade.

Referências:

1. Instagram
2. YouTube
3. O Estado de S.Paulo
4. UOL


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.