🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Tabela engana ao comparar dados de queimada em 2019 com os de anos anteriores

Por Luiz Fernando Menezes

30 de agosto de 2019, 16h19

O ano de 2019 não é o que teve o menor número de queimadas registrado no Brasil nem o que obteve resultado inferior à média mensal desde 2000. Publicações nas redes sociais que anunciam tais conclusões em uma tabela (veja aqui) usam dados verdadeiros, apurados pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), para distorcer o cálculo da média e comparar anos anteriores, cujas informações estão consolidadas, com 2019, ainda em curso.

Se calculados corretamente, comparando os dados de 2019 com os de anos anteriores até agosto, este é o oitavo ano com mais queimadas desde 2000, e o segundo desde 2010.

A peça de desinformação foi enviada por leitores do Aos Fatos no WhatsApp como sugestão de checagem (inscreva-se aqui). Usuários do Facebook também denunciaram a publicação, que já acumulava ao menos 18 mil compartilhamentos até a tarde desta sexta-feira (30). Todas as publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

São duas as distorções que a tabela acima traz para sustentar o argumento, FALSO, de que 2019 é o ano com menor número de queimadas registradas no Brasil. 1) a média de focos de incêndio nos doze meses de um ano é usada em comparação ao dado de 2019, que só vai até agosto; 2) informações consolidadas de anos anteriores são confrontadas com o número ainda incompleto de 2019, o que invalida o comparativo.

O mais correto para saber em que patamar 2019 se encontra seria comparar o dado atual com os de anos anteriores somente até agosto. Com base nos dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Aos Fatos verificou que, desta forma, 2019 é o oitavo ano com mais queimadas no país desde 2000.

Anos do governo Lula são os que mais apresentaram focos de incêndios no Brasil, como mostra o gráfico acima. Em 2005, por exemplo, foram registradas 142.036 queimadas até o dia 29 de agosto, cerca de 62% mais que em 2019.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) publicou a tabela com as distorções em sua página oficial no Facebook na última quarta-feira (28), e, desde então, já reuniu mais de 18 mil compartilhamentos. Aos Fatos entrou em contato com ela, mas não houve retorno até a tarde desta sexta-feira (30).

Referências:

1. Inpe

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.