São falsos tweets atribuídos a Felipe Neto com apologia à pedofilia

Por Luiz Fernando Menezes

27 de julho de 2020, 20h17


Não há indícios de que o youtuber Felipe Neto tenha publicado tweets com apologia à pedofilia, como tem sido reproduzido nas redes sociais (veja aqui e aqui). Além não constarem no perfil dele no Twitter, as postagens não aparecem na ferramenta WayBackMachine, que armazena conteúdos já deletados, nem repercutiram na imprensa ou entre usuários da rede nos dias seguintes às datas indicadas nas imagens. Neto também negou publicamente a autoria dos tweets.

Imagens dos dois posts atribuídos ao youtuber circulam em publicações no Facebook que, juntas, reuniam ao menos 21 mil compartilhamentos nesta segunda-feira (27). As peças de desinformação foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

O tweet acima, que tem sido reproduzido em publicações nas redes sociais, não consta no perfil de Felipe Neto no Twitter nem na ferramenta WayBack Machine, que permite visualizar conteúdos antigos de páginas mesmo que ele tenha sido apagado. O youtuber não postou nada naquela rede social no dia 31 de maio deste ano.

Nos dias subsequentes a essa data, não houve qualquer repercussão relacionada à frase “criança é que nem doce, eu como escondido” e Felipe Neto, como Aos Fatos constatou em buscas na imprensa e nas redes sociais. Com 12 milhões de seguidores, seria provável que tal mensagem gerasse polêmica no Twitter, o que não se verificou.

Nesta segunda-feira (27), o youtuber também negou a autoria do tweet: “É uma mentira nojenta, que mostra até onde eles são capazes de ir para tentar arruinar a reputação de opositores”.

Ao Aos Fatos, a assessoria de Neto disse que “todas essas postagens negativas são ataques orquestrados com o único objetivo de destruir reputações, o que comprova o quão inclinados ao ódio, silenciamento e perseguição são os envolvidos”.

No Twitter, Aos Fatos encontrou em perfis anônimos a mesma declaração que foi atribuída falsamente ao youtuber. Em algumas publicações, a autoria da frase foi atribuída a outras personalidades, como Mahatma Gandhi e o Papa Francisco, em formato de meme.

No perfil de Felipe Neto hoje há apenas um tweet que traz as palavras “criança” e “doce”. Nele, o youtuber critica os ataques direcionados à cantora Mc Melody.

Essa peça de desinformação também foi checada por Estadão Verifica, Boatos.org e Agência Lupa.


FALSO

A publicação acima tampouco consta no perfil de Neto no Twitter ou nos arquivos da ferramenta WayBackMachine, como Aos Fatos constatou nesta segunda-feira (27). A frase, na verdade, foi publicada nas redes por um usuário anônimo durante a exibição do Masterchef Júnior, na Band, em 2015. Naquela época, uma das participantes do programa, de 12 anos, foi vítima de assédio virtual.

A montagem que associa a frase ao youtuber circulou primeiro nas redes no final de maio deste ano, quando foi desmentida por Neto. A peça de desinformação voltou a circular nesta semana, o que fez o youtuber, mais uma vez, se pronunciar sobre o caso:

Essa peça de desinformação já foi checada por Agência Lupa, Fato ou Fake, Estadão Verifica e Boatos.org.

Histórico. As publicações que atribuem comentários pedófilos a Felipe Neto vão ainda na contramão de posicionamentos públicos dele sobre o tema. Em 2019, ele denunciou uma estratégia que facilitava que pedófilos consumissem vídeos de crianças no YouTube. Já em março deste ano, ele criticou reportagem do Fantástico em que o médico Dráuzio Varella abraça uma condenada pelo estupro e assassinato de uma criança: “eu não concordo com vitimização de autores de crimes hediondos”.

Referências:

1. Twitter (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9)
2. WayBackMachine (1 e 2)
3. Folha de S.Paulo
4. YouTube