Repórter ameaçado por Bolsonaro não disse que iria visitar filha do presidente na cadeia

Por Luiz Fernando Menezes

24 de agosto de 2020, 13h29

Não é verdade que um repórter do jornal O Globo disse a Jair Bolsonaro (sem partido) que iria “visitar sua filha [Laura Bolsonaro] na cadeia” e que isso teria motivado a ameaça do presidente noticiada no último domingo (23). A fala que vem sendo destacada por peças de desinformação foi feita por um apoiador de Bolsonaro, que o convidava a visitar a feira da Catedral de Brasília, sem nenhuma citação à filha do presidente.

Vídeos e prints com a declaração falsa somavam centenas de compartilhamentos no Facebook até a tarde desta segunda-feira (24). Todas as publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

O repórter insistiu." VAMO VISITA SUA FILHA NA CADEIA"
Após o questionado, Bolsonaro rebateu: “Vontade de encher sua boca de porrada”, declarou o presidente da República.

Após ser questionado sobre os depósitos feitos por Fabrício Queiroz na conta de sua mulher, a primeira-dama Michelle Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro disse a um repórter de O Globo, no último domingo (23), que a sua vontade “era encher a sua boca de porrada”. Publicações nas redes sociais, no entanto, passaram a sugerir que a ameaça teria sido motivada por uma provocação do jornalista, que teria dito que iria visitar a filha do presidente na cadeia. A declaração, no entanto, não tem nenhuma relação com Laura Bolsonaro nem sequer foi proferida pelo repórter.

Como pode ser verificado no áudio publicado pelo jornal (veja no vídeo abaixo) e nas diversas postagens feitas pela imprensa e pela própria família Bolsonaro, a fala que vem sendo compartilhada por apoiadores do governo é, na verdade, “Vamo visitar a nossa feirinha na catedral, presidente?”. A declaração também não foi feita pelo repórter, uma vez que a voz que faz o convite para a visita é diferente da que responde: “Você está me ameaçando, presidente?”.

Conforme noticiado pela imprensa, Bolsonaro, que estava fazendo uma visita à catedral de Brasília, ameaçou o repórter após ter sido questionado sobre os cheques depositados por Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama. Após quebra do sigilo bancário do ex-assessor, feita a pedido do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro), verificou-se que Michelle Bolsonaro recebeu R$ 89 mil de Queiroz entre 2011 e 2016, como informou a Crusoé.

Em nota, o jornal O Globo repudiou a ameaça do presidente ao repórter jornal que “apenas exercia sua função, de forma totalmente profissional” e disse que “tal intimidação mostra que Jair Bolsonaro desconsidera o dever de qualquer servidor público, não importa o cargo, de prestar contas à população”.

Referências:

1. O Globo
2. Poder 360
3. Youtube (Jair Bolsonaro)
4. G1
5. Crusoé

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.