Reportagem sobre pedido de uso da ivermectina por ‘médicos europeus’ é antiga

Por Marco Faustino

19 de novembro de 2021, 16h40

Publicações nas redes sociais enganam ao compartilhar como se fosse recente um registro de reportagem exibida pela RedeTV! em março de 2021 sobre pedido de “médicos europeus” para que o antiparasitário ivermectina fosse usado no tratamento da Covid-19 (veja aqui). Na época, um grupo de médicos portugueses pressionou a Infarmed (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde de Portugal) para que o remédio fosse recomendado no país, o que foi negado pela agência sanitária.

Posts que compartilham a reportagem antiga como recente acumulavam ao menos 4.500 compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (19).


Selo distorcido

Uma reportagem exibida pela RedeTV! em 11 de março de 2021, que citava a pressão de médicos para que a ivermectina fosse recomendada no tratamento da Covid-19 em Portugal, vem sendo difundida como se fosse recente e retratasse a opinião de toda a classe médica europeia. Isso não é verdade.

Na época, um grupo de médicos portugueses pressionou a Infarmed, autoridade sanitária de Portugal equivalente à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para que o fármaco fosse recomendado para o tratamento da doença, o que não ocorreu.

No mesmo dia em que a reportagem da RedeTV! foi veiculada, a Comissão de Avaliação de Medicamentos da Infarmed informou que, após análise dos artigos e publicações disponíveis, mantinha a posição de que as evidências eram insuficientes para apoiar o tratamento da Covid-19 com ivermectina.

Em 22 de março, a Infarmed publicou que a EMA (Agência Europeia de Medicamentos) concluiu que as evidências disponíveis não eram suficientes para apoiar o uso da ivermectina contra a doença fora de ensaios clínicos. Não houve posicionamento posterior da agência portuguesa sobre esse uso da ivermectina.

A imagem difundida pela peça de desinformação é uma foto de uma televisão que mostra o diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom, e uma tarja com a legenda “Médicos europeus pedem uso urgente da ivermectina”. Embora o trecho tenha sido de fato exibido pela RedeTV!, a reportagem cita que o pedido foi feito por médicos portugueses, não de toda a Europa, e que a OMS não recomendava o uso do remédio contra a Covid-19 pela falta de evidências de sua eficácia contra a doença.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a FDA (Food and Drug Administration, órgão regulador americano), a EMA (European Medicines Agency, da União Europeia) e a Merck, fabricante do medicamento nos EUA, seguem a mesma linha de não recomendar a ivermectina para tratar ou prevenir a Covid-19.

Esta peça de desinformação também foi checada por Estadão Verifica e Lupa.

Referências:

1. Facebook (RedeTV)
2. Saúde Mais
3. Web Archive - Infarmed (Fontes 1 e 2)
4. OMS
5. Anvisa
6. FDA
7. EMA
8. Merck


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos do Facebook. Veja aqui como funciona a parceria.


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.