Postagens distorcem fala de Paes sobre cobrança de pedágio na Linha Amarela

Por Priscila Pacheco e Luiz Fernando Menezes

1 de dezembro de 2020, 17h22


Uma declaração do prefeito eleito do Rio, Eduardo Paes (DEM), em que ele admite a possibilidade de manter a proposta da gestão Crivella de cobrar o pedágio na Linha Amarela em apenas um sentido, tem sido usada de maneira distorcida nas redes sociais (veja aqui). Sem o devido contexto, as postagens dão a entender que Paes já teria decidido pelo retorno da cobrança na via nos moldes anteriores, nos dois sentidos, o que não é verdade.

A informação enganosa circula em postagens no Facebook que contam com ao menos 32 mil compartilhamentos nesta terça-feira (1º). Todas as publicações foram marcadas com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


DISTORCIDO

O Pedágio voltará a ser cobrado, acabou de falar na Globo... isso é só o começo. NÃO reclame apenas Pague.

Postagens nas redes sociais distorcem o conteúdo de uma declaração do prefeito eleito do Rio, Eduardo Paes (DEM), em entrevista concedida à rede Globo nesta segunda-feira (30), para afirmar que ele vai retomar a cobrança do pedágio da Linha Amarela nos dois sentidos, como era antes da intervenção feita pelo atual mandatário Marcelo Crivella (Republicanos).

Na realidade, quando perguntado sobre o tema, Paes afirmou que admitiria a possibilidade de pedágio nos moldes que foram propostos por Crivella em outubro deste ano: o município faria a cobrança em apenas um sentido por valor mais baixo que o cobrado anteriormente pela Lamsa, concessionária que administrava a via. Veja a íntegra da resposta de Paes:

“Eu ouvi também o prefeito Crivella dizer que eles têm um estudo na prefeitura, imagino que seja um estudo técnico, que dá para fazer o pedágio num sentido só a 4,50, uma coisa assim. Se esse estudo for verdadeiro e há viabilidade financeira para isso, acho que a prefeitura tá hoje numa posição de força em relação à Lamsa para tomar uma decisão para que ponha, para que se tiver que colocar pedágio, num preço muito mais baixo. Estou falando aqui exatamente o que falei na campanha, falei na semana passada a partir dessa informação que eu ouvi do próprio prefeito Crivella. Então, imagino que este estudo sendo técnico e mostrando viabilidade econômico-financeira para a manutenção da concessão é o ideal e o adequado”.

Paes fez um comentário parecido em entrevista concedida à Band News no mesmo dia.

Na campanha, Eduardo Paes disse que manteria a Linha Amarela sem pedágio caso a prefeitura tenha condições de pagar a encampação da via. O valor ainda será definido pela Justiça, mas estima-se algo em torno de R$ 1 bilhão.

Em outubro do ano passado, Crivella rompeu o contrato com a concessionária, encampou a Linha Amarela e mandou derrubar as cancelas do pedágio. Segundo o prefeito, a concessão teria dado um prejuízo de R$ 1,6 bilhão à administração municipal, valor correspondente ao que teria sido arrecadado com o pedágio e superado o valor previsto na concessão.

Neste ano, a prefeitura obteve vitórias no STF (Supremo Tribunal Federal) e no STJ (Superior Tribunal de Justiça), que mantiveram o cancelamento da concessão da via expressa. Agora, é aguardado o julgamento definitivo do caso pelo STJ.

Referências:

1. Globo
2. O Globo
3. Band News
4. Folha de S. Paulo
5. Agência Brasil

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.