Outdoor homofóbico que viralizou fica no Bahrein, não no Qatar

Por Marco Faustino

20 de junho de 2022, 19h01

Um outdoor contrário ao movimento LGBTQIA+, que mostra um homem e uma mulher protegendo duas crianças de um arco-íris, não foi instalado no Qatar em razão da Copa do Mundo de 2022, como alegam publicações nas redes sociais (veja aqui). A imagem foi instalada no Centro Islâmico Al Hedaya, na cidade de Riffa, no Bahrein, monarquia absolutista próxima à que sediará o evento.

Publicações com a alegação enganosa somavam ao menos 1.500 compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (20), e circulam também no Twitter.


Selo falso

O Qatar já começa a espalhar outdoors anti-LGBT pelas cidades onde serão realizados os jogos da Copa do Mundo de 2022

Posts enganam ao dizer que outdoor anti-LGBT foi instalado no Qatar em razão da Copa do Mundo, o que é falso.

O outdoor com uma imagem homofóbica, que mostra o desenho de um homem e uma mulher usando um guarda-chuva para proteger crianças de um arco-íris, foi instalado no Bahrein, não no Qatar, como afirmam postagens nas redes. Por meio de busca reversa, o Aos Fatos verificou que o outdoor foi instalado na fachada do Centro Islâmico Al Hedaya, na cidade de Riffa. A palavra em árabe escrita no cartaz é al-Sharia, a lei islâmica.

O outdoor é uma manifestação contra o mês do orgulho LGBTQIA+, celebrado em junho, segundo relatou o jornal local GDN Online (Gulf Daily News Online) no último dia 13. Ao comparar a foto difundida pelas peças checadas com um outro registro divulgado pelo GDN Online e uma foto dos arredores do centro islâmico, o Aos Fatos identificou elementos idênticos, como edificações, janelas e ornamentações, que comprovam que se trata do mesmo local. É possível ver uma parte da fachada da mesquita Sheik Al Jazi, que fica ao lado do centro islâmico.

Comparativo mostra que o outdoor foi instalado no Bahrein, não no Qatar.
Comparação. Elementos idênticos nas fotos do outdoor e da fachada da mesquita Sheik Al Jazi, ao lado do Centro Islâmico Al Hedaya (Reprodução/Mohsen Alkhleffat)

A imagem usada no outdoor foi publicada cerca de uma semana antes no Twitter. Na legenda, a organização Al-Hedaya afirma que a adesão à lei islâmica serve como escudo contra “pensamentos anormais e contrários ao bom senso”. Não há menção à Copa do Mundo de 2022, que será disputada no Qatar, monarquia absolutista que também possui leis anti-LGBTQIA+.

Algumas postagens compartilham a reprodução de um tweet publicado pelo perfil “Fotos de Fatos”, em 16 de junho, com a alegação enganosa. O perfil, no entanto, se retratou dois dias depois, e afirmou que o painel estava no Bahrein.

Essa peça de desinformação circulou em países do Oriente Médio e nos Estados Unidos, onde também foi checada pelo site Misbar.

Referências:

1. GDN Online
2. Al-Hedaya
3. Fotos de Fatos (1, 2)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.