Osorio cita estatísticas de todo o Estado para medir crime na capital

Compartilhe

Em vídeo publicado no Facebook na última segunda-feira (29), o candidato do PSDB à Prefeitura do Rio, Carlos Osorio, fala do aumento dos roubos de rua na cidade em julho deste ano. Segundo ele, são “4 mil casos a mais em relação ao ano passado”.

Para checar a declaração, Aos Fatos consultou a base de dados do ISP (Instituto de Segurança Pública) e conferiu o selo FALSO à declaração do candidato. O motivo: Osorio usa números de todo o Estado para se referir ao município do Rio.


FALSO
O Instituto de Segurança Pública está dizendo que os casos de morte violenta no Rio cresceram de maneira alarmante com relação a julho do ano passado. E roubo na rua, 4 mil casos a mais em relação ao ano passado também.

As 4 mil ocorrências a mais citadas por Osorio se aproximam da diferença apurada pelo ISP para todo o Estado do Rio (4.291) entre julho de 2015 e o mesmo mês deste ano, mas estão acima do montante referente à capital no período (1.540).

São três os indicadores que compõem a estatística de roubo de rua do ISP: roubo a transeunte, roubo a coletivo e roubo de aparelho celular. Esse índice cresceu 42% na cidade do Rio e 67% no Estado de julho de 2015 ao mesmo mês deste ano. Isso basicamente significa que, no período, o interior do Estado incrementou sua participação nos números totais da criminalidade fluminense.

Selo. Como o candidato do PSDB usou dados de todo o Estado para se referir somente à situação da capital, Aos Fatos concluiu que a declaração é FALSA.

Compartilhe

Leia também

falsoPosts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Posts usam foto de outra pessoa para sugerir que autor de atentado contra Trump era trans

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Pré-candidato, Marçal oferece prêmio a seguidores e especialistas veem infração eleitoral

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’

Atentado contra Trump aponta riscos de uma moderação enfraquecida nas ‘big techs’