Número de mortes por Covid-19 no Amazonas não caiu após visita de Teich

Por Priscila Pacheco

6 de maio de 2020, 19h16


Não é verdade que o número de mortes por Covid-19 notificadas no Amazonas caiu após a visita do ministro da Saúde, Nelson Teich, ao estado entre domingo (3) e segunda-feira (4), como sustentam publicações nas redes sociais e vídeos no YouTube (veja aqui). No dia 3, o governo amazonense não divulgou os dados de óbitos e, em 4 de maio, foram reportadas 36 mortes pela doença do novo coronavírus -- 11 a mais que no sábado (2). Já na terça-feira (5), o estado anunciou outras 65 mortes, 29 a mais do dia anterior.

Publicações com a afirmação enganosa acumulavam ao menos 1.300 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quarta-feira (6) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (saiba como funciona). Já o vídeo publicado no YouTube contava com mais de 271 mil visualizações.


FALSO

Só foi Bolsonaro mandar o ministro da saúde para Manaus visitar os hospitais, que em dois dias houve redução de 1.000% de mortes no estado. Por que será?

Publicações nas redes sociais enganam ao afirmar que houve uma queda de 1000% nos registros de mortes por Covid-19 no Amazonas após visita do ministro Nelson Teich (Saúde) nos dias 3 e 4 de maio. No domingo (3), o governo local não divulgou o número, mas, na segunda-feira (4), foram reportados 36 óbitos pela doença do novo coronavírus -- 11 a mais que no sábado (2), quando tinham sido registradas 25 mortes. Nesta terça-feira (5), o estado anunciou outros 65 óbitos, 29 acima do dia anterior.

Há uma semana, em 29 de abril, o boletim da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas registrou 29 novas mortes por Covid-19. Em 30 de abril, foram outras 45 e em 1ª de maio, 51. O ritmo de alta só foi interrompido no sábado (2), quando foram notificadas 25 novas mortes.

Em contato feito pelo Aos Fatos por telefone, o Ministério da Saúde informou que os números de óbitos diários são compilados pelos estados e que não há um protocolo hoje que uniformize o procedimento no Brasil. Entretanto, a pasta reconheceu que é comum haver uma redução pontual nas notificações em fins de semana e feriados pelo fato de algumas secretarias funcionarem com equipes reduzidas. Nesses casos, os registros são acrescentados às estatísticas dos dias úteis seguintes. O ministério negou que faça auditoria dos dados enviados pelos estados.

Passada a visita de Teich ao Amazonas, o ritmo diário de notificações continuou subindo. Nesta quarta-feira (6), o estado registrou 102 novas mortes, totalizando, desde o início da pandemia, 751 óbitos em decorrência da Covid-19.

O ministro Nelson Teich e o secretário-executivo do Ministério da Saúde, general Eduardo Pazuello, estiveram no Amazonas entre domingo e segunda-feira, quando se reuniram com autoridades, como o governador Wilson Lima (PSC) e o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB), e visitaram hospitais.

Versões. Uma versão similar da mesma peça de desinformação tem circulado nas redes para afirmar que o número de mortes na capital Manaus teria caído cerca após a visita de Teich. Esta afirmação, checada por Aos Fatos nesta sexta-feira (8), também é falsa.

Referências:

1. Aos Fatos
2. Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas (Fontes: 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7)
3. Ministério da Saúde (Fontes: 1 e 2)