Nova presidente da Caixa não tem 107 processos por fraude no INSS

Por Priscila Pacheco

22 de julho de 2022, 16h42

Não é verdade que a nova presidente da Caixa Econômica Federal, Daniella Marques, tenha 107 processos devido a fraudes na Previdência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), conforme é dito nas redes sociais (veja aqui). Marques aparece em oito processos, nenhum envolvendo a Previdência Social — ela é ré em apenas um deles, que trata de questões trabalhistas.

As postagens enganosas contam com ao menos 1.400 compartilhamentos no Facebook nesta sexta-feira (22).


Selo falso

Postagem engana ao dizer que presidente da Caixa tem 107 processos judiciais

Tem circulado nas redes sociais que a nova presidente da Caixa Econômica Federal, Daniella Marques Consentino, tem 107 processos judiciais por causa de fraudes relacionadas ao INSS, o que é falso. Marques aparece em oito ações na Justiça, mas nenhuma delas está relacionada à Previdência Social.

A executiva é ré em um processo trabalhista que envolve a Caixa Econômica e outras empresas, que foi aberto em 2017. Além disso, já foi ré em uma ação relacionada à posse de um imóvel no Rio de Janeiro, mas o caso foi arquivado. Seu nome consta em outros três processos, e ela própria é responsável por mover as ações. Há ainda outros três processos envolvendo o banco e Daniella, mas a instituição e sua executiva não aparecem como réus, apenas como impetrados.

A desinformação pode ter aparecido porque existe uma Daniela Marques que é parte de 107 processos, relacionados a diversas áreas. No entanto, seu primeiro nome é escrito com apenas uma letra L, diferentemente da presidente da Caixa, e não há o último sobrenome Consentino. Além disso, a xará da economista não é ré em todas as ações nas quais está envolvida — é possível que tenha participado como testemunha ou que tenha ela mesma movido uma ação, por exemplo.

Daniella Marques Consentino foi nomeada presidente da Caixa Econômica Federal no dia 29 de junho. Entrou no lugar de Pedro Duarte Guimarães, exonerado em meio a acusações de funcionárias de assédio sexual e moral. Marques foi aprovada pelo comitê do banco em 1º de julho e tomou posse no dia 5. A economista trabalhava antes na Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia.

Em nota, os advogados da executiva confirmam que não existe nenhum processo relacionado a fraude e que não é admissível confundir citações em sites jurídicos com homônimos. Os processos que se referem especificamente à Daniella são de foro íntimo.

A desinformação também foi checada pela Agência Lupa.

Referências:

1. G1 (Fontes 1 e 2)
2. Jusbrasil (Fontes 1, 2, 3 e 4)
3. TJ-RJ
4. Diário Oficial da União
5. CNN Brasil


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.