Nestlé não doou caixas de leite condensado para as Forças Armadas

Compartilhe

Não é verdade que a Nestlé tenha doado oito mil caixas de leite condensado para as Forças Armadas, conforme propagandeiam publicações que têm circulado nas redes sociais (veja aqui). Em nota, a multinacional desmentiu a existência da doação.

As postagens enganosas contavam com ao menos 49.006 compartilhamentos no Facebook nesta segunda-feira (1) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


A empresa Nestlé anunciou hoje através de seu departamento de relações institucionais e de relações públicas que, devido a grande repercussão de sua marca registrada leite condensado “MOÇA”, fará a doação de 8 mil caixas do produto às Forças Armadas que será distribuída em partes iguais entre as 3 forças de segurança nacional brasileira. Pela excelente campanha de propaganda divulgada em âmbito nacional, sua marca mundial sem custos à empresa. Ass. NESTLÉ DO BRASIL

Tem circulado nas redes sociais postagens com a informação falsa de que a Nestlé teria doado 8 mil caixas de leite condensado para as Forças Armadas. Em nota enviada ao Aos Fatos por e-mail, a empresa de alimentos disse que o anúncio é falso.

O Aos Fatos também verificou que não havia nenhuma notícia sobre uma possível doação anunciada nos canais de comunicação da empresa, como o site oficial e as contas oficiais no Facebook, Instagram e Linkedin. A última ação social realizada pela empresa ocorreu no dia 22 de janeiro - uma doação em dinheiro para manter em operação uma usina de produção de oxigênio no Amazonas por causa do colapso da pandemia de Covid-19.

Por fim, também não há referências à suposta doação nos sites da Aeronáutica, Exército e Marinha.

Origem. Postagens enganosas sobre leite condensado começaram a circular após a publicação de um reportagem do portal Metrópoles sobre gastos com alimentação realizados pelo governo federal em 2020. As compras de leite condensado somavam R$ 15,6 milhões, sendo que a maior parte dos gastos, R$ 14,2 milhões, eram do Ministério da Defesa.

A peça enganosa sobre a doação também foi checada por Boatos.org e E-Farsas.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas