Não é verdade que Doria é rejeitado por 98% da população

Por Luiz Fernando Menezes

30 de setembro de 2020, 17h35

É falso que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), seja rejeitado por 98% da população, como afirmam publicações que circulam nas redes sociais (veja aqui). O Aos Fatos não encontrou nenhuma pesquisa que tenha divulgado informação semelhante e tanto o Ibope quanto o Datafolha, que publicaram levantamentos em setembro, apontam que a taxa de reprovação do tucano é de 39%. Em nenhum momento de 2020 a porcentagem chegou a 98%.

A peça de desinformação circula nas redes sociais desde o início da pandemia, mas voltou a viralizar em setembro. Só no último mês, ela teve ao menos 31 mil compartilhamentos no Facebook. Todas as publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (saiba como funciona).


FALSO

Doria já é REJEITADO por 98% da população. Se você também REJEITA COMPARTILHE.

Nenhuma pesquisa de popularidade do governo de São Paulo indica que João Doria (PSDB) é rejeitado por 98% da população, como afirmam publicações que circulam nas redes sociais. Tanto o Ibope quanto o Datafolha, os dois principais institutos de pesquisa do país, apontaram recentemente que, na verdade, 39% da população considera o governo de Doria ruim ou péssimo. O Aos Fatos também não identificou nenhum outro levantamento com o dado citado na peça de desinformação.

O último Datafolha, divulgado no dia 25 de setembro, apontou que o governo de João Doria é avaliado como ótimo ou bom por 21% da população, regular por 39%, e ruim ou péssimo também por 39%. Os números demonstram uma queda na popularidade desde a pesquisa de abril que trouxe aprovação de 51% e desaprovação de 19%. Como a pesquisa de abril foi feita por telefone e a mais recente foi presencial, os números das duas não são comparáveis.

No dia 21 de setembro, o Ibope havia trazido dados semelhantes ao do Datafolha. No levantamento do instituto, a gestão é avaliada como ótima ou boa por 23% da população, regular por 37%, e ruim ou péssima por 39%. A pesquisa anterior, divulgada em março, mostrava que o governo de São Paulo era aprovado por 17% e rejeitado por 44%.

A peça de desinformação circulou nas redes sociais em maio, poucos meses após o início da pandemia no Brasil, e, naquela época, foi desmentida pela Agência Lupa. Publicações idênticas, no entanto, têm sido compartilhadas desde então. Uma das peças, postada no dia 11 de setembro, acumulava ao menos 32 mil compartilhamentos até a tarde desta quarta-feira (30).

Referências:

1. Datafolha (Fontes 1 e 2)
2. Estadão

Leia também

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.