Não é verdade que teste para Covid-19 dá positivo em contato com água

Por Marco Faustino

26 de abril de 2021, 16h26

Um vídeo em que um teste rápido de antígeno para Covid-19 entra em contato com água não prova que o diagnóstico tenha sido positivo, como alegam posts nas redes sociais (veja aqui). O laboratório Abbott, fabricante do exame, afirmou que o aparelho foi projetado para funcionar com amostras da mucosa nasal ou nasofaríngea e que o vídeo mostra apenas o equipamento sendo danificado pelo líquido, não um resultado positivo.

Publicações com o conteúdo enganoso somavam ao menos 1.200 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta segunda-feira (26) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


Água de torneira testa positivo para Covid -19

Não foi um diagnóstico positivo, mas um defeito, o resultado de um experimento mostrado em vídeo em que um teste de antígeno para Covid-19 é posto em contato com água de torneira. A gravação tem circulado em postagens nas redes sociais que insinuam que os meios de se detectar o novo coronavírus hoje seriam falhos e manipuláveis.

Segundo a fabricante do produto, a farmacêutica Abbott, as imagens mostram o aparelho sendo danificado pelo contato com a água, meio para o qual seu uso não foi projetado. O defeito pode ser visto pela mancha vermelha que toma gradativamente o equipamento no vídeo, atravessando horizontalmente os marcadores C (de controle) e T (de teste).

Caso o diagnóstico tivesse sido positivo, o resultado seria mostrado no visor por apenas uma linha vertical sob o marcador T ou duas linhas, uma sob o C e outra sob o T, ainda de acordo com a Abbott.

Em seu manual de referência para o uso do teste rápido, o fabricante especifica que o aparelho só deve ter contato com amostras extraídas da mucosa nasal ou nasofaríngea. “O [teste] Panbio Ag não deve ser testado na água ou em quaisquer outros alimentos ou líquidos, pois isto interfere nas reações e no funcionamento do teste”, informou a empresa.

Em março, a Abbott anunciou que o teste mostrado no vídeo, o Panbio COVID-19 Ag, foi aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso por profissionais de saúde na detecção do SARS-CoV-2. A fabricante informou ainda que o teste é destinado ao uso exclusivo desses profissionais e não está à venda para os demais consumidores.

Alterações. De acordo com Gildo Girotto, químico e pesquisador da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), como esse tipo de teste tem reagentes específicos, mudar as condições do pH, de temperatura ou mesmo ter contato com outras substâncias - açúcares, conservantes, etc - pode causar alterações nos componentes e gerar diagnósticos falsos.

“Não há como afirmar, com esse teste, se há contaminação na água porque o teste não foi feito para isso. Se quisermos fazer o teste em água teremos que construir um teste específico para as condições da água - pH, temperatura, composição, de modo que elas não interfiram no resultado”, afirmou.

A Anvisa dá instruções de uso do produto que incluem todas as condições apropriadas de acordo com os padrões científicos estabelecidos pelo fabricante e o Ministério da Saúde.

Em checagem anterior, o Aos Fatos desmentiu um vídeo semelhante, onde profissionais de saúde italianos afirmaram de maneira enganosa ter obtido resultado positivo para Covid-19 ao aplicarem um teste de antígeno em um kiwi.

Esta peça de desinformação também foi checada pelo Estadão Verifica e Lupa.

Referências:

1. Abbott (Fontes 1 e 2)
2. Anvisa
3. Aos Fatos


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.