🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Não é verdade que SBT voltará a exibir o programa A Semana do Presidente

Por Priscila Pacheco

25 de fevereiro de 2021, 19h25

É falso que o SBT voltará a exibir “A Semana do Presidente", programa que o canal transmitiu entre 1981 e 1996 para mostrar a agenda dos mandatários brasileiros, como alegam posts nas redes sociais (veja aqui). Segundo a assessoria de imprensa da emissora, o retorno da atração não está previsto atualmente. No início de 2020, um programa piloto chegou a ser gravado, mas não foi aprovado pela direção do canal.

As postagens com esta informação enganosa contam com ao menos 119.300 compartilhamentos no Facebook nesta quinta-feira (25) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da plataforma (saiba como funciona).


Por ordem de Sílvio Santos, o SBT voltará a exibir “A Semana do Presidente”, programa de grande sucesso durante o regime militar. O dono do SBT diz que é necessário destacar o trabalho do governo Jair Bolsonaro. Gostou?

Postagens que circulam nas redes sociais enganam ao dizer que o SBT voltará a transmitir o programa “A Semana do Presidente” para mostrar Jair Bolsonaro (sem partido). Em nota ao Aos Fatos, a assessoria de imprensa do canal disse que não existe previsão para o retorno da atração à sua grade de programação.

Entretanto, a assessoria da emissora confirmou, por telefone, que foi gravado um programa piloto no início de 2020, mas que a nova versão não foi aprovada pela direção. Em 14 de fevereiro do ano passado, o jornalista Flávio Ricco noticiou em sua coluna no site UOL a volta do programa, mas, dias depois, publicou que o retorno havia sido cancelado.

“A Semana do Presidente” era financiado pelo governo federal e foi transmitido entre 1981, ainda durante a ditadura militar, e 1996, já no governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Nele, o narrador Luiz Lombardi Neto (1940-2009) destacava as atividades dos mandatários. A atração era exibida aos domingos, no intervalo do programa de Silvio Santos.

Esta peça de desinformação também foi checada pela Agência Lupa e Boatos.org.

Referências:

1. UOL (Fontes 1 e 2)
2. Memórias da ditadura
3. G1
4. Extra
5. Agência Lupa
6. Boatos.org

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.