🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Não é verdade que médico chinês morreu após tomar CoronaVac

Por Luiz Fernando Menezes

28 de outubro de 2020, 14h41

É falso que o urologista chinês Hu Weifeng teve cirrose aguda e morreu após tomar a CoronaVac, vacina que vem sendo testada pela Sinovac Biotech no Brasil em parceria com o Instituto Butantan. O médico morreu em junho deste ano por complicações da Covid-19. Além disso, ele foi internado em março, antes, portanto, do início dos testes da imunização em humanos, que começaram em abril e são restritos a adultos saudáveis.

A peça de desinformação circula em posts no Facebook, que, juntos, reuniam ao menos 1.500 compartilhamentos na tarde desta quarta-feira (28). O conteúdo foi marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

Fotos do médico chinês Hu Weifeng, morto no começo de junho por complicações da Covid-19, vêm sendo compartilhadas nas redes sociais como se retratassem os efeitos da CoronaVac, imunização da chinesa Sinovac Biotech testada hoje no Brasil em parceria com o Instituto Butantan. “Sua pele escureceu e bolhas estouraram pelo corpo”, alega uma das publicações, que acusa a vacina de causar cirrose aguda grave, o que não é verdade.

Hu, que trabalhava no Hospital Central de Wuhan, foi diagnosticado com Covid-19 em janeiro e, depois de sofrer hemorragias cerebrais, internado em março. A foto na qual o médico aparece com uma coloração de pele mais escura foi amplamente divulgada pela imprensa internacional e brasileira (veja exemplos aqui, aqui e aqui). Algumas publicações nas redes sociais chegaram a relacionar o escurecimento com a Covid-19. Segundo a imprensa local, no entanto, o sintoma provavelmente indicaria um mau funcionamento do fígado causado pelo excesso de ferro no sangue ou por alguma medicação.

Além de Hu, outro médico que também atuava no Hospital Central de Wuhan, Yi Fan, apresentou as mesmas complicações. Ao contrário do primeiro, no entanto, Yi conseguiu se recuperar da infecção e sua pele voltou à coloração normal.

Efeitos colaterais da CoronaVac. A Sinovac Biotech iniciou os testes de sua imunização em humanos no dia 16 de abril, ou seja, depois do aparecimento das complicações de Hu. Além disso, segundo a empresa, os testes foram realizados apenas em adultos saudáveis.

Conforme explicado pelo Aos Fatos, não foram relatados até o momento efeitos colaterais graves em pacientes que receberam a imunização chinesa. Segundo dados divulgados pelo Instituto Butantan em setembro, dos 50.027 voluntários chineses, 5,36% desenvolveram efeitos colaterais. Não houve nenhuma morte registrada até o momento.

Já sobre os testes em brasileiros, o Butantan divulgou, no dia 19 de outubro, que 35% dos 9.000 voluntários tiveram reações adversas, sendo todas elas de baixo grau. Após a primeira dose, os efeitos mais identificados foram dor no local da aplicação (19%) e dor de cabeça (15%). Após a aplicação da segunda dose da vacina, as reações mais comuns foram dor no local da aplicação (19%), dor de cabeça (10%) e fadiga (4%).

Referências:

1. BBC Brasil
2. Metro
3. Standard
4. Extra (Fontes 1 e 2)
5. BJNews
6. Sinovac Biotech
7. Aos Fatos
8. Governo de São Paulo
9. EBC


De acordo com nossos esforços para alcançar mais pessoas com informação verificada, Aos Fatos libera esta reportagem para livre republicação com atribuição de crédito e link para este site.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.