🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Não é verdade que Camila Pitanga anunciou que teve Covid-19 em vez de malária

Por Priscila Pacheco

21 de agosto de 2020, 19h11

É falso que a atriz Camila Pitanga tenha anunciado que, após tratar malária com cloroquina, descobriu erro nos exames e que teve Covid-19. Na verdade, postagens têm destacado como se fosse real uma notícia satírica publicada por um perfil de paródias no Twitter que se chamava Estabão (veja aqui).

O perfil, que era uma imitação do jornal O Estado de S. Paulo, passou a se chamar Revista Diário Digital e usa a seguinte descrição: “A maior revista de notícias fictícias da internet. Não acredite em nada que encontrar aqui. Perfil independente de humor criando sátiras e paródias todo dia”. A mudança foi comentada nesta sexta-feira (21) em um tweet: “Estamos pensando em mudar nosso nome, e ao invés de sermos paródia do Estadão, sermos um jornal próprio de humor”. A descrição antiga também citava que o perfil era satírico.

Por fim, Aos Fatos não encontrou informações sobre erros nos laudos médicos de Camila Pitanga no Estadão e em outros sites de notícias nem nas redes sociais da atriz. No dia 12 de agosto, Aos Fatos já havia publicado uma checagem sobre postagens que diziam que Pitanga estaria mentindo sobre a doença.

A peça de desinformação já conta com ao menos 1.400 compartilhamentos nesta sexta-feira (21). Todas as publicações foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

Camila Pitanga volta à internet e choca os fãs ao revelar que após realizar tratamento com cloroquina descobriu erros nos laudos médicos, que apontavam Covid-19 ao invés de malária.

Publicações nas redes sociais têm usado a postagem de um perfil de sátiras do Twitter para afirmar que a atriz Camila Pitanga anunciou que, após se tratar com cloroquina, descobriu erro nos exames que diagnosticaram malária e que era, na verdade, Covid-19.

O perfil se chamava Estabão e se descrevia como uma paródia do jornal O Estado de S. Paulo. Nesta sexta-feira (21), mudou o nome para Revista Diário Digital, mas continua como uma conta de ficção. A descrição diz: “A maior revista de notícias fictícias da internet. Não acredite em nada que encontrar aqui. Perfil independente de humor criando sátiras e paródias todo dia”.

A mudança de nome havia sido comentada à tarde: “Estamos pensando em mudar nosso nome, e ao invés de sermos paródia do Estadão, sermos um jornal próprio de humor”.

A descrição do nome antigo também citava que o perfil era de sátira e que nada ali era verdade, mas isso não impediu que na própria publicação sobre Camila Pitanga houvesse comentários de pessoas acreditando que a notícia fosse verdadeira. Mesmo que o nome antigo tenha sido confundido com o perfil original do jornal, a conta não era autenticada, algo que atribui credibilidade ao veículo de comunicação.

Por fim, Aos Fatos não encontrou informações sobre erros nos laudos médicos de Camila Pitanga no Estadão e em outros sites de notícias nem nas redes sociais da atriz.

Caso Camila Pitanga. No dia 10 de agosto, a atriz Camila Pitanga anunciou em suas redes sociais que ela e a filha, Antônia Pitanga, haviam sido diagnosticadas com malária. Pouco tempo depois, passaram a circular nas redes sociais publicações afirmando que a artista havia contraído Covid-19 e estaria mentindo sobre o diagnóstico para poder tomar cloroquina, remédio indicado para o tratamento da malária. Aos Fatos fez a checagem da peça de desinformação e mostrou os resultados dos exames enviados pela assessoria da atriz, que apontavam positivo para malária e negativo para Covid-19. O Laboratório de Malária do Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) de São Paulo, responsável pelos testes, confirmaram a veracidade dos documentos.

Referências:

1. Aos Fatos
2. Estadão
3. Revista Diário Digital

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.