Não é de Cortella texto que critica quem ‘atira pedras’ em governantes por causa da pandemia

Por Luiz Fernando Menezes

10 de julho de 2020, 16h22


Não é de autoria do escritor e professor Mário Sérgio Cortella um texto com críticas a quem "atira pedras" no presidente e em prefeitos, médicos e economistas em razão da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus (veja aqui). Em abril, quando a mensagem começou a circular nas redes sociais, Cortella negou que fosse o autor.

A peça de desinformação voltou a aparecer em postagens no Facebook nesta semana, reunindo ao menos 8.000 compartilhamentos até sexta feira (10). As postagens foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Por Mário Sérgio Cortella:
Aquele que tiver a real solução para esse problema que atire a 1ª pedra !!! Atire no Prefeito que fechou a cidade e mandou todos pra casa. Atire no Presidente que pede pra abrir a cidade e a volta ao trabalho. Atire nos médicos que pedem o isolamento social para evitar o colapso no sistema de saúde. Atire nos economistas que pedem para voltar a rotina prevendo um colapso financeiro .... O NEGÓCIO É ATIRAR PEDRAS ! Se voltar tudo a funcionar vai morrer quantas pessoas ? Se ficar em isolamento social vai morrer quantas empresas? Vou responder: Ninguém sabe!! [...]

Não foi escrito por Mário Sérgio Cortella uma mensagem que circula nas redes sociais com críticas a quem tentaria atribuir a crise causada pela pandemia ao presidente Jair Bolsonaro e a prefeitos, médicos e economistas. O texto argumenta que ninguém teria a "real solução" para o problema, por isso não seria possível apontar culpados pelos danos econômicos do novo coronavírus. No Facebook, em abril, o escritor negou que fosse o autor da mensagem.

Aos Fatos identificou textos semelhantes que circulam sem autoria em publicações no Facebook e em sites desde meados de março, especialmente dias após a notícia da primeira morte por Covid-19 no Brasil. Em abril, a mensagem passou a circular atribuída a Cortella, quando foi checada pelas equipes do Fato ou Fake e do Boatos.org. Essa é mesma versão que voltou a ser difundida nesta semana.

Referências:

1. Facebook (MarioSergioCortella)
2. G1