Na TV, Marta ataca Haddad com dados errados

25 de fevereiro de 2016, 21h23

Em crítica direta a seu adversário Fernando Haddad (PT-SP) nas eleições municipais deste ano, a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) afirmou nesta quinta-feira (25), no programa partidário de sua nova sigla, que São Paulo foi a cidade que mais perdeu postos de trabalho.

O problema, segundo Aos Fatos apurou em duas bases oficiais com metodologias diferentes, é que a declaração está equivocada. Na pior das hipóteses, em números absolutos, São Paulo ainda está melhor do que Belo Horizonte: fechou 55,6 mil vagas, contra 82,6 na capital mineira.

Veja, abaixo, por que demos o selo FALSO à senadora.


FALSO
A São Paulo que sempre foi sinônimo de oportunidades, de crescimento, foi a cidade que mais postos de trabalho fechou.

Como Marta não deixou claro a que período se refere nem a que metodologia, Aos Fatos levou em conta dados de diferentes levantamentos oficiais a partir de 2013 — quando Haddad assumiu a prefeitura paulistana. De acordo com a Pesquisa Mensal de Emprego, produzida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os números de SP seguem a tendência nacional, de aumento da taxa de desocupação.

Na tabela abaixo, é possível ver que as taxas variaram positivamente em todas as regiões metropolitanas pesquisadas — particularmente no Recife e em Salvador. São Paulo, ao contrário do que disse a senadora, apresentou a segunda menor taxa de desocupação dentre as áreas pesquisadas.

Fonte: IBGE

Mesmo que as pesquisas do IBGE contemplem apenas algumas regiões metropolitanas, são dados que também levam em consideração o setor informal. Não é o caso, por exemplo, do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), elaborado pelo Ministério do Trabalho, que monitora apenas baixas em registros oficiais de vínculo empregatício.

Aos Fatos levantou em suas bases, de 2013 a 2015, o saldo entre contratações e demissões em todas as capitais do país. Verificou, desta vez que, sim, São Paulo foi uma das capitais que mais registrou demissões do que admissões desde o início do período pesquisado: 55,604 vagas nos meses de dezembro de 2013 a 2015 deixaram de existir (ver tabela). O problema é que Belo Horizonte sofreu mais com esse problema: foram 82,670 vagas perdidas no mesmo período desde 2013. A íntegra do levantamento do Caged pode ser vista na página "Perfil do Município".

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.