É falso que músicos tocaram ‘Funk do Bolsonaro’ na frente de Moro

Compartilhe

Não é verdade que músicos tocaram o “Funk do Bolsonaro”, uma paródia de “Baile de Favela”, na frente do ex-ministro da Justiça Sergio Moro (Podemos) (veja aqui). A versão que circula nas redes sociais é uma montagem que altera o áudio da gravação. No original, a canção ouvida é “Um homem também chora”, de Gonzaguinha. A cena foi registrada durante um jantar em Fortaleza (CE) no dia 8 de fevereiro.

As publicações com o conteúdo enganoso somavam ao menos 7.000 compartilhamentos nesta segunda-feira (14) no Facebook.


Selo falso

Post reproduz vídeo de jantar com Moro com áudio falso

Foi editado o vídeo que circula nas postagens checadas em que músicos aparentam tocar o “Funk do Bolsonaro”, paródia de “Baile de Favela”, na frente do ex-ministro da Justiça e pré-candidato à Presidência Sergio Moro (Podemos). Na gravação original, veiculada no perfil do ex-juiz no Instagram é possível ouvir que a canção apresentada era “Um homem também chora”, de Gonzaguinha.

As imagens, de acordo com a assessoria de Moro, foram registradas durante um jantar com empresários em Fortaleza (CE), no dia 8. A gravação foi feita por um dos convidados.

Já a falsa trilha sonora foi extraída de um vídeo do youtuber Rodrigo Sá Foneiro, de julho de 2021. A duração e o arranjo musical são idênticos.

O vídeo editado contém outros indícios de adulteração. A sanfona, por exemplo, é o único instrumento audível, mas as imagens mostram que há também um músico tocando violão.

Além disso, o movimento do sanfoneiro não acompanha o som: a 15 segundos, por exemplo, ouve-se um som causado pelo deslizamento de dedos no teclado do acordeon que não é acompanhado pelo movimento da mão do homem que aparece nas imagens.

O “Funk do Bolsonaro”, de Tales Volpi (MC Reaça), foi lançado em maio de 2018 e usado em atos de campanha do então candidato à Presidência pelo PSL. Em dezembro de 2021, o presidente apareceu em vídeo dançando a paródia em um barco no Guarujá (SP). O funk original, “Baile de Favela”, de MC João, não faz qualquer referência a Bolsonaro.


Aos Fatos integra o Third-Party Fact-Checking Partners, o programa
de verificação de fatos da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.

Compartilhe

Leia também

Por um uso ético da IA no jornalismo

Por um uso ético da IA no jornalismo

falsoBolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

Bolsonaro não admitiu em áudio participação de Flávio em ‘rachadinha’

falsoFilho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas

Filho de Lula não comprou a Azul Linhas Aéreas