🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Manuela D’Ávila não prometeu se mudar para Cuba se Bolsonaro ganhasse as eleições

Por Luiz Fernando Menezes

3 de novembro de 2020, 17h19

É editada a imagem que mostra a candidata à Prefeitura de Porto Alegre (RS), Manuela D’Ávila (PCdoB), segurando um cartaz no qual prometia se mudar para Cuba caso Jair Bolsonaro (sem partido) ganhasse as eleições de 2018. Na foto original, registrada em 2016 e publicada em uma reportagem do Dia Internacional da Mulher, a ex-deputada denuncia um comentário machista comumente direcionado a mulheres agredidas.

Publicações que trazem a foto manipulada (veja aqui) reúnem mais de 2.000 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta terça-feira (3). Todas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


FALSO

Circula nas redes sociais uma foto onde a candidata à Prefeitura de Porto Alegre pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, segura um cartaz em que promete se mudar para Cuba caso Jair Bolsonaro vencesse as eleições. Segundo as publicações, a foto teria sido registrada em 2018 e mostraria que a candidata não cumpriria suas promessas. Nada disso é real: o cartaz foi editado, a imagem é de 2016 e não há registro de declaração similar de D’Ávila.

Em busca reversa, o Aos Fatos identificou que a imagem foi originalmente publicada no Dia Internacional da Mulher de 2016 em uma reportagem do UOL que pediu que diversas mulheres tirassem fotos segurando cartazes que denunciassem frases machistas. D’Ávila, que na época era deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, erguia uma folha com os dizeres “‘Agora vem posar de vítima’ (...) (Sempre que somos agredidas)”.

O Aos Fatos buscou declarações da candidata sobre a suposta promessa e não encontrou nenhum resultado na imprensa ou em suas redes sociais (Twitter, Facebook e Instagram). Na verdade, a ex-deputada estadual já brincou com as mensagens de usuários que pedem que ela se mude para a ilha caribenha, dizendo que adorou a visita que fez ao país.

Referências:

1. UOL
2. Twitter (@ManuelaDavila)
3. Facebook (manueladavila 1 e 2)
4. Instagram (manueladavila)

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.