🕐 Esta reportagem foi publicada há mais de seis meses

Lula recebeu homenagem da prefeitura de Roma em 2015, não em 2020

Por Luiz Fernando Menezes

14 de fevereiro de 2020, 16h29

A prefeitura de Roma homenageou o ex-presidente Lula (PT) em 2015, não em 2020, como sugerem publicações nas redes sociais (veja aqui). Naquele ano, ele recebeu a Loba Capitolina, símbolo da cidade. O petista chegou à capital da Itália nesta quarta-feira (12) para uma série de encontros, tendo sido recebido inclusive pelo papa Francisco.

A informação verdadeira fora de contexto vem sendo compartilhadas por sites, páginas e perfis pessoais nas redes sociais, reunindo ao menos 10 mil compartilhamentos até a tarde desta sexta-feira (14). Todos foram marcadas como DISTORCIDO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (entenda como funciona).


DISTORCIDO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi homenageado, nesta manhã de quarta-feira (12), em Roma, pelo prefeito da cidade, Ignazio Marino. Lula recebeu a Loba Capitolina, símbolo da cidade, na sala Júlio Cesar, no centro histórico da capital italiana.

Após o encontro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o Papa Francisco, na quinta-feira (13), sites e publicações nas redes sociais têm compartilhado a informação de que o petista teria sido homenageado pela prefeitura de Roma. Uma honraria foi de fato concedida a ele, mas em 2015, não agora.

Em junho daquele ano, o então prefeito de Roma, Ignazio Marino, concedeu ao petista a Loba Capitolina, símbolo da cidade. A homenagem também aparece na aba “Prêmios e homenagens” do Instituto Lula.

Marino nem é mais o prefeito da cidade, cargo ocupado por Gerarda Pantalone desde maio de 2019.

A assessoria do ex-presidente, em email enviado ao Aos Fatos, confirmou que a homenagem da prefeitura de Roma aconteceu em 2015 e que não houve nenhuma congratulação do tipo nessa última visita.

No atual giro por Roma, onde chegou na quarta-feira (12), Lula se encontrou com o papa Francisco e também com o ministro de Economia e Finanças da Itália, Roberto Gualtieri, o ex-primeiro-ministro Massimo D’Alema e o sociólogo Domenico De Masi, além dos organizadores do Comitê Lula Livre na Itália.

Referências:

1. Lula.com.br
2. Instituto Lula (Fontes 1 e 2)
3. Prefeitura de Roma


Esta checagem foi atualizada às 10h02 do dia 17 de fevereiro de 2020 para acrescentar a nota da assessoria do ex-presidente.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.