Não é verdade que Lula se recusou a descer de ônibus em cidade na Bahia

Por Marco Faustino

17 de maio de 2022, 12h04

Não é verdade que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se recusou a descer do ônibus durante a sua passagem pela cidade de Cruz das Almas (BA) em agosto de 2017, como afirma um vídeo que circula nas redes sociais (veja aqui). Imagens publicadas pela Folha de S. Paulo na época mostram o petista cercado por militantes e simpatizantes no município.

Publicações que difundem o vídeo editado acumulavam 780 mil visualizações no Tik Tok e centenas de compartilhamentos no Facebook nesta terça-feira (17).


Selo falso

Lula se recusa a descer de ônibus para falar com pessoas na rua durante transmissão ao vivo

Posts difundem editado para fazer crer que Lula não desceu de ônibus para cumprimentar apoiadores

Um vídeo circula nas redes sociais com legendas enganosas para alegar que o ex-presidente Lula (PT) se recusou a descer do ônibus para cumprimentar populares ao visitar a cidade de Cruz das Almas (BA), em 2017. Aos Fatos localizou registros na imprensa e nas redes sociais que comprovam que o petista desceu do ônibus e caminhou em meio à multidão. Ele também discursou na cidade baiana e incentivou a participação de jovens na política.

Reprodução do site da Folha de S. Paulo que mostra foto de Marlene Bergamo, com Lula cumprimentando apoiadores
Folha. Foto de Marlene Bergamo mostra Lula cumprimentando apoiadores

O vídeo é uma versão editada de uma publicação da deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), em 18 de agosto de 2017, durante a caravana Lula pelo Brasil. A versão omite, entre outros trechos, a parte em que a parlamentar mostra o ex-presidente no andar térreo do ônibus, na porta ao lado do motorista, de onde cumprimentou apoiadores — o que pode ser comprovado em vídeo transmitido na ocasião.

Além disso, são adicionadas legendas que distorcem falas do ex-presidente. Lula não disse que a cidade baiana era uma “porcaria”. O que se ouve no original é uma pessoa não identificada afirmar: “Só alegria na rua, só carinho, só gratidão”.

Também foram alteradas as legendas de um trecho em que Lula reclama de um membro da comitiva que olha para o celular, trocando palavras como “prédio” por “velho” e “porra, passei lá” por “pra sair lá [nas redes sociais]: “Eu queria ver você ter a sensibilidade de ver a cara do povo de uma cidade que você não conhece e ter que encarar… Você está na ‘porra’ desse celular fazendo o quê? Ah, caralho! Dá olhada no povo, vê aí um velho da cidade pra tirar foto pra sair lá (nas redes sociais)”, diz a legenda desinformativa.

No vídeo original, é possível ouvir o trecho completo: “Ô, Zé, não é possível que você não tenha a sensibilidade de ver a cara do povo de uma cidade que você não conhece, cara… e você está nessa porra desse celular. Fazendo o que? Ai, caralho. Dá uma olhada no povo, vê aí um prédio da cidade pra você falar: ‘Porra, passei lá’”. Também é possível ouvir a frase original em vídeo transmitido pelo então senador Lindbergh Farias (PT-RJ) na mesma data.

A qualidade do áudio original, no entanto, não permite verificar duas frases atribuídas a Lula: “Não é possível um povo insuportável desse” e “O tanto de vagabundo”, como apontam as legendas do vídeo editado.

Referências:

1. Folha de S.Paulo
2. Twitter
3. YouTube
4. PT (Fontes 1 e 2)
5. Facebook (Fontes 1, 2 e 3)


Aos Fatos integra o Programa de Verificação de Fatos Independente da Meta. Veja aqui como funciona a parceria.


Esta reportagem foi publicada de acordo com a metodologia anterior do Aos Fatos.

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.