Lula não prometeu e Jovem Pan não noticiou indulto a Adélio Bispo

Por Bruna Leite

9 de novembro de 2022, 12h59

É montagem a imagem que vem sendo compartilhada nas redes e que mostra apresentadores da Jovem Pan diante de um telão com um texto dando conta de que o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), teria concedido indulto a Adélio Bispo, autor da facada contra o presidente Jair Bolsonaro durante a campanha de 2018. Não há registro de que a emissora tenha veiculado o conteúdo nem de que o petista tenha prometido perdão a Bispo, que foi absolvido das acusações no Judiciário por ser inimputável.

Até esta quarta-feira (9), a publicação tinha mais de 400 mil visualizações e centenas de compartilhamentos no Instagram e circulava também no WhatsApp, plataforma em que não é possível estimar o alcance (fale com a Fátima).


Selo falso

Presidente eleito Lula promete indulto para Adelio Bispo

Montagem insere legenda falsa em imagem do Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, para dizer que Lula prometeu indulto a Adélio Bispo, autor da facada em Bolsonaro

É falso que Lula prometeu dar indulto a Adélio Bispo, autor da facada contra Bolsonaro durante a campanha presidencial de 2018. A legenda enganosa foi adicionada por meio de edição a uma imagem do Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, que nunca veiculou conteúdo do tipo.

Não há qualquer menção ao enunciado enganoso no site da emissora ou em seu canal oficial no YouTube. A montagem compartilhada apresenta ainda sinais de manipulação, como as imagens ao fundo mais nítidas que os apresentadores e erros de pontuação no gerador de caracteres — faixa com o título e descrição da reportagem.

Não há qualquer indício de declaração semelhante do presidente eleito.

Inimputável. Outra evidência de que se trata de um conteúdo enganoso é que não seria possível conceder indulto a Adélio Bispo — ou seja, perdoar a sua pena —, uma vez que ele foi absolvido das acusações por ser considerado inimputável. Após sua prisão, a Justiça reconheceu o diagnóstico de Transtorno Delirante Persistente, e por isso ele não pode ser punido criminalmente.

Hoje, Adélio está na Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, por medida de segurança. Em julho de 2022, ele passou por outra avaliação psicológica para determinar se ainda apresentava risco e se poderia retornar à sociedade, como manda a legislação. Após a publicação do novo laudo médico, a 5ª Vara Federal de Campo Grande determinou que Adélio fosse mantido preso sem pena, mas em regime de segurança, devido à sua “periculosidade”.

Segundo o Judiciário, a medida de segurança se enquadra àqueles “que praticam crimes e que, por serem portadores de doenças mentais, não podem ser considerados responsáveis pelos seus atos e, portanto, devem ser tratados e não punidos”. No Brasil, o período de medida de segurança não pode ultrapassar 30 anos.

Esta checagem também foi feita por UOL Confere e Boatos.

Referências:

1. Jovem Pan (1 e 2)
2. Google
3. G1
4. Congresso em Foco
5. PGE-SP
6. UOL (1 e 2)
7. Boatos

Topo

Usamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concordará com estas condições.